Tamanho do texto

Mesmo sem fazer um grande jogo, time cruzeirense manteve a liderança ao vencer a Caldense por 2 a 1

Dagoberto reclama durante a partida contra a Caldense
Denilton Dias/ VIPCOMM
Dagoberto reclama durante a partida contra a Caldense

O Cruzeiro entrou em campo neste domingo diante da Caldense, no Mineirão com amplo favoritismo, pelo fato de jogar em casa e por liderar o Campeonato. Contudo, o time cruzeirense não conseguiu fazer uma grande partida e, depois de sair atrás no placar, sofreu para virar a partida nos minutos finais e vencer por 2 a 1.

Deixe seu recado e comente a notícia com outros torcedores

Apesar do fraco futebol, o resultado garantiu à equipe celeste mais uma rodada na liderança do campeonato, já que, com 19 pontos, o time não pode ser alcançado pelo Atlético-MG. A Caldense, por sua vez, ficou com sete pontos, na oitava colocação, a cinco pontos da zona de classificação para a próxima fase.

Na próxima rodada, o Cruzeiro visita o Villa Nova, no Estádio Castor Cifluentes, enquanto que a Caldense recebe o Boa no Ronaldão.

Confira as imagens da rodada dos campeonatos estaduais neste domingo:


O jogo - Mesmo jogando em casa, o Cruzeiro não começou bem o jogo e deixou os visitantes equilibrarem as ações desde o início. As grandes jogadas de perigo da primeira etapa foram chutes de longa distância e bolas aéreas, já que as duas equipes demonstraram dificuldades no setor criativo.

O primeiro lance de perigo foi da Raposa, aos quatro minutos. Diego Souza recebeu na intermediária e bateu forte, rasteiro, vendo a bola passar muito perto da trave. Cinco minutos depois, foi a vez de Chimba responder pela Caldense. O atacante recebeu, passou por um jogador e soltou a bomba. Fábio fez boa defesa.

O Cruzeiro assustou mais uma vez com Diego Souza de fora da área, mas foram os visitantes que chegaram ao gol. Aos 19 minutos, Paulão se atrapalhou ao tentar dominar a bola com o peito e foi desarmado por Chimba, que invadiu a área e foi derrubado pelo mesmo Paulão, que tentava se recuperar do erro. Nena bateu bem e abriu o placar.

O susto não fez o Cruzeiro acordar e o equilíbrio e a falta de jogadas ofensivas de ambos os lados continuou até o final do primeiro tempo, à exceção de duas cabeçadas em lances isolados dos anfitriões. Nilton obrigou Glaysson a se esticar para impedir o gol cruzeirense aos 28 e Vinícius Araújo errou o alvo aos 32.

Os times voltaram com as mesmas formações para a segunda etapa e o ritmo continuou muito parecido também. As jogadas de ataque eram raríssimas e o técnico do Cruzeiro, Marcelo Oliveira resolveu mexer no time: Tinga entrou no lugar de Nilton e Diego Souza saiu para a entrada de Elber. Mas nem as substituições mudaram o panorama monótono do jogo.

A primeira chance de gol surgiu apenas aos 19 minutos, quando Paulão se antecipou ao seu companheiro Vinícius Araújo, que estava melhor posicionado, e desperdiçou bom cruzamento. Aos 27, Elber também tentou de cabeça, mas parou na boa defesa de Glaysson.

No minuto seguinte, Dagoberto arrancou em velocidade, invadiu a área e foi derrubado. O próprio Dagoberto bateu rasteiro e empatou a partida, incendiando seu time, que, empurrado pela torcida, foi para cima nos minutos seguintes.

A pressão deu resultado, assim como as mexidas de Marcelo Oliveira, que havia colocado o meia-atacante Ricardo Goulart no lugar de Paulão, e viu o reserva receber bom cruzamento de outro suplente, Elber, e completar de cabeça para as redes, decretando o resultado final e garantindo a liderança da Celeste por pelo menos mais uma rodada.

FICHA TÉCNICA
CRUZEIRO X CALDENSE

Local: Estádio Mineirão, em Belo Horizonta(MG)
Data: 24 de março de 2013, domingo
Horário: 16 horas (de Brasília)
Árbitro: Igor Junio Benevenuto
Assistentes: Janette Mara Arcanjo e Marconi Helbert Vieira
Cartões amarelos: Ceará, Paulão e Dagoberto (Cruzeiro); Paulão, Cris, Edmilson, Rossini, Jefferson Feijão, Maxsuel, Glaysson e Nena (Caldense)
Gols:
CRUZEIRO: Dagoberto, aos 28 e Ricardo Goulart, aos 37 do segundo tempo
CALDENSE: Nena, aos 20 minutos do primeiro tempo

CRUZEIRO: Fábio; Ceará, Paulão (Ricardo Goulart), Léo e Everton; Leandro Guerreiro, Nilton (Tinga), Everton Ribeiro e Diego Souza (Elber); Dagoberto e Vinícius Araújo.
Técnico: Marcelo Oliveira

CALDENSE: Glaysson; Jefferson Feijão, Júlio César, Paulão e Cris; Edmilson, Maxsuel, Ewerton Maradona (Rodrigo Paulista) e Rossini; Chimba (Tinga) e Nena.
Técnico: Tarcísio Pugliese