Tamanho do texto

Senador procurou ministro das relações exteriores para averiguar condições do torcedores suspeitos da morte de torcedor do San José em Oruro

Suplicy pediu informações ao ministério das relações exteriores sobre os 12 corintianos presos
Agência Senado
Suplicy pediu informações ao ministério das relações exteriores sobre os 12 corintianos presos

O senador Eduardo Suplicy (PT-SP) disse em plenário na quinta-feira que enviou pedido de informações ao ministro das Relações Exteriores, Antônio Patriota, sobre os 12 torcedores corintianos presos há um mês em Oruro, na Bolívia. Eles são suspeitos pela morte do jovem boliviano Kevin Beltrán Espada, de 14 anos. O garoto foi atingido no rosto por um sinalizador que partiu da torcida do Corinthians durante a partida da equipe contra o San José, no dia 20 de fevereiro, válida pela Libertadores.

Corinthians informa que família de Kevin não aceitou ajuda oferecida pelo clube

A ação de Suplicy foi motivada por uma carta que recebeu de Paula Cristina da Silva, prima de um dos presos na Bolívia, Danilo Oliveira. Ela relata que tem fotos e vídeos feitos durante o jogo  que mostram Danilo tocando um instrumento de percussão no momento em que o sinalizador foi lançado. O rapaz seria, portanto, inocente das acusações. Um menor de 17 anos, H.A.M. assumiu a autoria do disparo. Ele está em São Paulo e a justiça boliviana não considerará sua confissão como válida se ele não se apresentar às autoridades de Oruro. 

No dia de julgamento dos 12 presos em Oruro, corintianos protestam na Paulista

"Diante do teor da carta e da dificuldade sofrida por todos os detidos na Bolívia, peço esclarecimentos que subsidiem uma resposta a Paula", pediu o senador ao ministro. As informações são da Agência Senado. O senador relatou que na correspondência enviada por Paula, ela conta que o primo "tem curso superior, trabalhava e não era deliquente". 

No discurso, Suplicy manifestou condolências à família de Kevin e a todos os bolivianos e a preocupação com o comportamento das torcidas brasileiras às vésperas da Copa do Mundo de 2014 no país.