Tamanho do texto

Sem tanto dinheiro em caixa, o clube seguiu uma lista de possíveis cotados para o cargo de treinador

A demissão de Gaúcho foi apenas o estopim de uma grave crise no Vasco. Sem atividades no clube, o diretor geral Cristiano Koehler e o diretor executivo René Simões se reuniram nesta quinta-feira à tarde na casa do presidente Roberto Dinamite em busca de soluções.

E mais: Após demissão de Gaúcho, Ricardo Gomes também deixa o Vasco

Eles, entretanto, ainda não conseguiram definir o nome de quem assumirá o comando do time. E o pior: foram procurados pelo diretor técnico Ricardo Gomes que, insatisfeito com a administração no Gigante da Colina, comunicou sua saída. Os dirigentes ainda tentam convencê-lo a ficar. René Simões garante que Gomes continua no clube.

Paulo Autuori está na mira do Vasco
Gazeta Press
Paulo Autuori está na mira do Vasco

Sem tanto dinheiro em caixa, o Vasco seguiu uma lista de possíveis cotados para o cargo de treinador. Antes mesmo de entrar em contato, foi informado que Cristóvão Borges e Dorival Júnior recusariam a oferta. Paulo Autuori, Renato Gaúcho, Ney Franco e até mesmo Joel Santana surgiram como opções durante a reunião, mas apenas o primeiro, que chegou da Europa nesta quinta, foi procurado em uma conversa preliminar e as partes prometeram novos contatos.

Veja: Crise financeira barra opções do Vasco para o lugar de Gaúcho

Com isso, ainda sem definição, os jogadores vão se reapresentar nesta sexta-feira sem um treinador e o auxiliar Jorge Luiz é quem deve comandar as atividades. Enquanto conversavam, os dirigentes foram informados que Ricardo Gomes, que havia se mostrado solidário a Gaúcho em Volta Redonda e não queria a saída do treinador, está convicto a deixar o clube, o que pode gerar um verdadeiro desmanche no futebol do Vasco.

Roberto Dinamite e René Simões ainda tentam convencer Ricardo Gomes, técnico campeão da Copa do Brasil em 2011, a ficar — o preparador físico Luiz Otávio, indicado por Ricardo também pode sair.

Para aumentar a crise no Gigante da Colina, a maioria dos jogadores está insatisfeita por não receber os salários em dia - muitos atletas ainda não receberam os pagamentos de janeiro e fevereiro - e tem aumentado a pressão sobre a diretoria, que não consegue buscar novos recursos e segue culpando antigas gestões pelo atual momento clube. Em São Januário, funcionários também não descartam entrar em greve para receber seus direitos.

Lista de técnico com ponderações
Paulo Autuori é a primeira opção da diretoria do Vasco. Mas, como tem diversos títulos de expressão no currículo, a expectativa é a de que ele peça um salário acima do planejadopelo clube. Por isso, outras opções foram levantadas pelo diretor geral Cristiano Koehler e pelo diretor executivo René Simões.

Ney Franco é um nome que agrada, mas, por estar empregado no São Paulo, o Vasco acredita que terá dificuldades na negociação. É aí que surge a opção por Renato Gaúcho, desempregado desde 2011, quando dirigiu o Atlético-PR, e que segue no Rio de Janeiro. Joel Santana e até Jorginho, técnico do Bahia, foram lembrados.

Dorival Júnior, que comandou o time na Série B, em 2009, e foi cotado logo após a demissão de Gaúcho, afastou qualquer possibilidade de retorno. “Venho de quatro trabalhos seguidos e preciso de uma parada”, decretou.

Cristóvão Borges também assegurou que não é o momento de voltar.