Tamanho do texto

Segundo o treinador, todos têm que ficar atento aos momentos de perigo que sempre acontecem no clube

O técnico Gilson Kleina acaba de completar seis meses de trabalho no Palmeiras e já se acostumou às crises do clube. Com contrato até o fim do ano, o treinador fez uma comparação curiosa ao explicar que precisa ficar sempre atento ao que acontece no Verdão.

E mais: Leandro usa Paulistão para tentar se firmar como o substituto de Barcos

Gilson Kleina, técnico do Palmeiras
Divulgação/Palmeiras
Gilson Kleina, técnico do Palmeiras

"Trabalhar no Palmeiras é como morar em Israel. Ao primeiro toque da sirene, você já tem que ficar alerta para ver o que vai acontecer", afirmou o treinador, à TV Record , em entrevista que será veiculada na manhã de sábado, mas a frase foi divulgada antecipadamente pela emissora. Em Israel, as sirenes soam para alertar a população em momentos de perigo.

Deixe seu comentário para esta notícia

Kleina assumiu o Verdão no decorrer do ano passado, depois da saída de Luiz Felipe Scolari, com a missão de salvar o clube do rebaixamento. Porém, o treinador não conseguiu livrar o time da queda no Campeonato Brasileiro e, mesmo assim, foi mantido no cargo.

O comandante também permaneceu depois da troca de presidente, com a eleição de Paulo Nobre para o posto antes ocupado por Arnaldo Tirone. Kleina até foi alvo de críticas recentemente no clube, depois de derrotas na Libertadores, mas conseguiu se sustentar com vitórias no Paulistão.

Com apenas uma derrota no Estadual, o Palmeiras ocupa o quarto lugar, com 22 pontos, e está perto da classificação. Já no torneio continental, restando três jogos para o término da fase, a equipe paulista aparece no terceiro lugar do Grupo 2, com três pontos, mesmo número do lanterna da chave Tigre. A liderança é do Libertad, que tem oito, seguido pelo Sporting Cristal, com cinco.