Tamanho do texto

O jogador foi substituído no início do segundo tempo, mas considerou a volta positiva

Martinez, meia do Náutico
Gazeta Press
Martinez, meia do Náutico

A vitória por 3 a 0 sobre o Porto, na noite desta quarta-feira, renovou a liderança do Náutico no Campeonato Pernambucano. A partida também marcou o retorno do volante e capitão Martinez, que não jogava desde o dia 6 de fevereiro por causa de uma lesão. O jogador foi substituído no início do segundo tempo, mas considerou a volta positiva.

"Eu acho que realmente hoje foi um bom jogo para mim para adquirir ritmo. Eu sai no começo do segundo tempo, mas já estava programado. Se deixassem, eu jogaria com certeza os 90 minutos. Estou preparado e feliz da vida de ter voltado e voltado bem", garantiu o camisa 7.

O jogador agora projeta o clássico de domingo, contra o Sport, na Ilha do Retiro. Apesar da liderança e do momento conturbado vivido pelo Leão, Martinez descartou o favoritismo do Timbu para a partida. "Acho que o empenho tem que ser um pouco maior do que outro jogo normal. Para clássico vale aquela velha história de que não existe favoritismo, nem para nosso lado, e nem para o lado deles, apesar de eles jogarem casa. Clássico é um jogo à parte, um jogo diferente, e a gente tem que continuar dando sequência ao nosso trabalho", explicou.

Dirigente "esquece" vitória e volta a criticar arbitragem 

Mesmo com a vitória, o diretor de futebol do Náutico, Armando Ribeiro, voltou a criticar a arbitragem. "O que vimos hoje aqui foi uma arbitragem que não encontramos sequer em pelada de várzea". O dirigente aproveitou para sugerir a escalação de Sandro Meira Ricci, do Distrito Federal, para o Clássico dos Clássicos.

"Temos um árbitro de fora aqui, mas que faz parte do quadro da Federação, o Sandro Meira Ricci, que tem condições de apitar. Mas a questão não é ser daqui ou de fora, pois temos árbitros ruins no quadro nacional. O fato é que pelo investimento que fizemos em montar um time caro, precisamos ter também uma arbitragem de qualidade para o espetáculo. Estamos temerosos com o nível da arbitragem em nossos jogos. Não é choro de derrotado, até porque fizemos reclamações de arbitragens em partidas em que vencemos", disse.