Tamanho do texto

Novo diretor executivo nem cogita um fracasso na tentativa de voltar à Série A, mas pede um pouco de tempo até apresentar reforços

José Carlos Brunoro é apresentado no Palmeiras
Gazeta Press
José Carlos Brunoro é apresentado no Palmeiras

José Carlos Brunoro até gargalhou durante sua primeira entrevista coletiva como diretor executivo do Palmeiras, mas não cansou de repetir "temos muito para trabalhar". O foco do dirigente é evitar um vexame no centenário do clube, no próximo ano, por isso coloca como maior meta em 2013 subir na Série B do Campeonato Brasileiro. E, ao mesmo tempo, tentando dar a estrutura que o presidente Paulo Nobre pede.

Deixe seu recado e comente com outros leitores

Com esse intuito, o pedido é por calma na busca por contratações. "Não tenho condição de dizer quando vamos trazer reforços", admitiu Brunoro. "Trabalhamos para que seja rápido, mas não adianta ficar pensando que nesta semana precisamos apresentar um grande nome. Vamos fazer as coisas coerentemente, dentro das opções ofertadas e para uma adaptação rápida dentro do sistema tático do técnico."

Em meio à pressa, o pedido do dirigente que trabalhou no início da vitoriosa co-gestão entre Verdão e Parmalat nos anos 1990 pede calma. "Vou pedir paciência. Não a mesma que pedi na época da Parmalat, quando pedi três meses, fiz estágio no Parma e escreveram no muro ‘Parmalat é ilusão’ porque não trazia nada. Hoje não temos esse tempo, as dificuldades são maiores do que se tivéssemos começado outubro ou novembro. Mas ainda dá para fazer alguma coisa", apostou.

Leia mais: Nobre diz que "não colocará um centavo do seu patrimônio" para ajudar Palmeiras

O dirigente nem cogita fracasso na tentativa de subir. "Nosso grande objetivo é estar na Série A no ano do centenário. A grandeza do Palmeiras passa por esse caminho", definiu. "Pegamos o caminho andando e precisamos de um foco muito grande para atender às necessidades da comissão técnica e do clube. Não dá para fugir das carências mais urgentes, e vamos nos esforçar para resolvê-las. E trazer jogador para completar o elenco em definitivo para o ano todo."No plantel, a necessidade por zagueiros diminuiu um pouco, já que Marcos Vinicius foi promovido do time B para ser opção com Henrique e Mauricio Ramos, Luiz Gustavo está de volta após disputar a Copa São Paulo de Futebol Júnior e Fernando, também vindo da Copinha, agradou a Gilson Kleina. Mas apostar só em garotos não é a ideia de Brunoro.

"Qualquer clube hoje com categorias de base deve ter no elenco, pelo menos, de 20% a 30% da base, senão fica sem sentido. Em médio prazo, fazemos isso para motivar garotos a virem para o Palmeiras. Mas só com garotos da base não se completa um elenco com a qualidade que precisamos atualmente", afirmou, prometendo manter sigilo em qualquer negociação para não gerar prejuízos ao Palmeiras.

Diante de tanta cautela, o diretor executivo espera que logo ao menos a sensação de organização seja vista no clube. "Quero que em uma semana já vejam outro perfil de entendimento e comunicação. Vão levar uns dois meses para mostrarmos por que viemos, mas já na próxima semana dá para mostrar alguma coisa diferente", projetou.