Tamanho do texto

Guerrero fez o gol que colocou o time na final contra o vencedor de Chelsea x Monterrey

Um Pacaembu. Não há melhor definição do que esta para a atmosfera na arena japonesa na estreia do Corinthians no Mundial de Clubes de 2012. E na sua casa oriental, diante de 31.417 testemunhas, o time paulista fez a sua parte, venceu por 1 a 0 e está na final do próximo domingo, 8h30 (de Brasília), contra o vencedor de Chelsea x Monterrey, partida desta quinta-feira, no mesmo horário, em Yokohama, palco da decisão.

Deixe seu recado e comente a notícia com outros torcedores

A promessa de uma invasão corintiana em terras japonesas se concretizou antes mesmo de a bola rolar. De todas as partes surgiam multidões de corintianos. Torcedores vindos da Austrália, dos Estados Unidos, da Inglaterra e, claro, do Brasil. Sem falar nos milhares de corintianos que vivem no Japão.

Leia mais: Marcelinho Carioca é “engolido” por multidão e prevê vitória magra na estreia

O gol de Guerrero, aos 30 minutos do primeiro tempo, uma meia hora que se arrastou e mostrou o Al Ahly jogando na defensiva contra alguém disposto a atacar, premiou metade do esforço dos milhares de torcedores que usaram suas economias para presenciar um fato histórico. Agora falta a outra metade. Aquela contra Chelsea ou Monterrey. Yokohama será pequena.

O jogo

Não havia mistério sobre o time que Tite estava disposto a escalar neste Mundial desde a partida contra o Vasco, no Pacaembu, no final de outubro. Nem a lesão que Guerrero sofreu no jogo de despedida contra o São Paulo, em 2 de dezembro, mudou a ideia do treinador. E com essa insistência o Corinthians conseguiu o gol que o coloca onde mais queria estar quando chegou ao Japão. A final.

Veja também: Fifa apresenta vídeo de Mundiais e corintianos vaiam conquista são-paulina

Não foi simples. O Al Ahly não se abria, tinha duas linhas de quatro fixas e muito próximas no seu campo de defesa e o ferrolho egípcio dificultava o trabalho de Douglas, Danilo e Paulinho, este mais avançado por conta do pouco trabalho dado pelos jogadores ofensivos do time do Cairo.

Foram apenas três finalizações corintianas em 45 minutos. Uma com Douglas, aos 9 minutos, e duas com Guerrero, a segunda numa cabeçada certeira no canto direito de Ekramy após assistência do camisa 10. Um gol que obrigou o Al Ahly a se abrir no segundo tempo.

O que parecia bom para o Corinthians não se apresentou tão positivo assim. Nos primeiros 20 minutos após o intervalo, o Al Ahly foi melhor. Apresentou mais opções de ataque com Aboutrika no lugar de Said e Cássio levou os primeiros sustos no jogo. O maior deles aos 20, quando o ídolo egípcio lançou Fahti, que na saída de Cassio, balançou a rede pelo lado de fora.

O Corinthians só melhorou quando Guerrero passou a ser mais acionado. Prendendo bem a bola no ataque e fazendo bem a função de pivô, foram com ele as melhores chances do time do segundo tempo. Mesmo assim, o goleiro Elseoud que substituiu o contundido Ekramy, não trabalhou mais.

Tite tentou mudar o cenário com entradas de Romarinho e Jorge Henrique nos lugar de Emerson e Douglas, mas dos pouco fizeram. O suficiente já havia sido feito. Guerrero, substituído por Guilherme Andrade nos acréscimos conseguiu o que era necessário. E o “bando de loucos” vai para Yokohoma para gritar que é bicampeão do mundo.

FICHA TÉCNICA
AL AHLY 0 X 1 CORINTHIANS

Local: Toyota Stadium, em Toyota (Japão)
Data: 12 de dezembro de 2012, quarta-feira
Horário: 8h30 (de Brasília)
Árbitro: Marco Rodríguez (México)
Assistentes: Marvin Torrentera e Marcos Quintero (ambos do México)
Público: 31.417 pagantes
Gol: Guerrero, aos 29 minutos do primeiro tempo

AL AHLY: Ekramy (Elseoud); Fathi, Gomaa, Naguib e Kenawi; Rabia, Ashour, Said (Aboutrika) e Soliman e Hamdi; Gedo (Meteab)
Técnico:Hossam El Badry

CORINTHIANS: Cássio; Alessandro, Chicão, Paulo André e Fábio Santos; Ralf e Paulinho, Danilo e Douglas (Jorge Henrique); Emerson (Romarinho) e Guerrero (Guilherme Andrade)
Técnico: Tite

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.