Tamanho do texto

Clube será julgado pelo STJD por faixa com os dizeres "Não Irão nos derrubar no apito" em partida contra o Atlético-GO

O polêmico caso da faixa estendida pela torcida do Náutico em protesto contra a arbitragem, na partida contra o Atlético-GO, ainda pode trazer consequências não muito boas para a equipe pernambucana. Na próxima quarta-feira, o clube será julgado pelo STJD (Superior Tribunal de Justiça Desportiva) e pode receber uma multa da Terceira Comissão Disciplinar no valor de até 215 mil reais.

Torcida do Náutico protestou contra a arbitragem
Reprodução
Torcida do Náutico protestou contra a arbitragem

Na ocasião do protesto, o árbitro Leandro Pedro Vuaden ficou incomodado com a mensagem dos torcedores do Náutico ("Não irão nos derrubar no apito!!!"), e solicitou que a faixa fosse retirada das arquibancadas do estádio dos Aflitos, gerando um atraso de cerca de 15 minutos em relação ao horário previsto para o início do jogo. O objeto só foi recolhido quando os jogadores do Náutico pediram para que a faixa fosse enrolada e guardada. O incidente foi relatado na súmula do confronto.

O Náutico estava receoso quanto à possibilidade de perda de mando de campo, mas a aplicação da punição não foi solicitada e a equipe acabou sendo enquadrada no artigo 191 (incisos I e III) do CBJB (Código Brasileiro de Justiça Desportiva), que determina uma multa de R$ 100 mil por cada inciso.

Além da punição pela faixa, o Náutico foi acusado de ter atrasado o início do jogo em 15 minutos, o que pode acarretar uma multa de mil reais por minuto.

No jogo seguinte ao do Atlético-GO, a torcida do Timbu protestou novamente, mas utilizou um prédio vizinho para fixar a faixa. O alvo novamente foi a arbitragem e o STJD.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.

    Notícias Recomendadas