Tamanho do texto

Com o resultado conquistado no Moisés Lucarelli, o time paulista chega aos 37 pontos e consegue manter a distância dos times que brigam contra o rebaixamento

Depois de um início arrasador, o Náutico recuou demais e permitiu a virada por 2 a 1 da Ponte Preta no Moisés Lucarelli. O gol salvador da equipe de Campinas foi marcado por Marcinho, que converteu pênalti já na reta final da partida, feito que não ocorria há seis meses no time campineiro.

Deixe o seu recado e comente a notícia com outros torcedores

Com o resultado conquistado no Moisés Lucarelli, o time paulista chega aos 37 pontos e consegue, pelo menos, manter a distância dos times que brigam contra o rebaixamento no Campeonato Brasileiro. Já no Náutico, a derrota encerra a sequência de duas vitórias seguidas e deixa a equipe a frente dos pontepretanos pelo número de vitórias, mas com os mesmos 37 pontos.

Confira a classificação do Campeonato Brasileiro

Na próxima rodada, a 30ª da competição nacional, o Náutico recebe o desesperado Palmeiras nos Aflitos às 16 horas (de Brasília) de domingo. No mesmo dia, mas às 18h30, a Ponte Preta viaja para o Rio de Janeiro, onde encara o líder Fluminense no Engenhão.

Nikão tenta passar pela marcação do Náutico
Gazeta Press
Nikão tenta passar pela marcação do Náutico

O jogo – Embalado pela vitória diante do Corinthians, o Náutico entrou no Majestoso sem dar chances para a Ponte Preta respirar. Logo aos quatro minutos, o lateral esquerdo Douglas Santos recebeu na intermediária, avançou e, da entrada da área, bateu rasteiro e cruzado para vencer o goleiro Édson Bastos.O Timbu chegou com perigo mais uma vez no início da partida, mas o forte chute de Kim passou raspando o travessão alvinegro. Também de fora da área, foi a primeira chance da Macaca. Nikão aproveitou espaço na zaga pernambucana e soltou o pé para boa defesa de Felipe.

Aos 28 minutos, um lance polêmico levantou a torcida no Moisés Lucarelli. Rildo fez jogada individual, trombou com o ex-pontepretano Jean Rolt e pediu pênalti, mas a arbitragem nada marcou.

Na volta do intervalo, o Náutico quis repetir a pressão do começo do jogo e chegou com perigo em chute de Rogério defendido por Édson Bastos. A resposta campineira saiu dos pés de Luan, que limpou dois marcadores e obrigou Felipe a espalmar no susto.

No desespero, Guto Ferreira sacou Roger para a entrada do grandalhão Giancarlo e passou a apostar nos chuveirinhos na área. Mas foi o baixinho Rildo quem resolveu. João Paulo cruzou da esquerda e o atacante apareceu na área para deixar tudo igual em Campinas.

No lance seguinte, o inspirado Luan foi derrubado por Souza na grande área e a Ponte Preta teve um pênalti marcado a seu favor, algo que não acontecia há mais de seis meses. Na cobrança, o experiente Marcinho não vacilou e alcançou a virada da Macaca.

Atrás no placar em Campinas, o Náutico se mandou para o ataque e Édson Bastos apareceu para salvar forte chute do lateral direito Patric. Minutos depois, o ala alvirrubro entrou de maneira criminosa em Luan e foi expulso, encerrando de vez os planos de Alexandre Gallo de conquistar a trinca e colaborando para a Ponte Preta se tranquilizar na briga contra a degola.

Confira as imagens dos jogos desta quarta-feira:


FICHA TÉCNICA
PONTE PRETA 2 x 1 NÁUTICO

Local: estádio Moisés Lucarelli, em Campinas (SP)
Data: 10 de outubro de 2012, quarta-feira
Horário: 19h30 (de Brasília)
Árbitro: Paulo Henrique Godoy Bezerra (SC)
Assistentes: Ediney Guerreiro Mascarenhas e Luiz Antônio Muniz de Oliveira (ambos do RJ)

Renda: R$ 43.027,00
Público: 6.856 pagantes

Cartões amarelos: Roger, Rildo, Marcinho, Cicinho (Ponte Preta); Souza e Rhayner(Náutico)
Cartão vermelho: Patric (Náutico)

Gols:
PONTE PRETA: Rildo, aos 28, e Marcinho, aos 32 minutos do segundo tempo
NÁUTICO: Douglas Santos, aos quatro minutos do primeiro tempo

PONTE PRETA: Edson Bastos; Cicinho, Ferron, Diego Sacoman e João Paulo; Baraka, Wendell, Lucas (Luan) e Nikão (Marcinho); Rildo e Roger (Giancarlo)

Técnico: Guto Ferreira

NÁUTICO: Felipe; Patric, Alison, Jean Rolt (Josa) e Douglas Santos; Martinez, Souza, Rhayner e Kim (Reis); Rogério e Araújo (Rogerinho)
Técnico: Alexandre Gallo

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.