Tamanho do texto

Time alviverde pode chegar à quarta vitória seguida com Gilson Kleina. Já a equipe tricolor tenta se aproximar da zona de Libertadores

Atacante Luan foi liberado para o clássico
Gazeta Press
Atacante Luan foi liberado para o clássico

As últimas rodadas foram de manutenção do foco em seus objetivos no Campeonato Brasileiro para São Paulo e Palmeiras. Mas neste sábado, em jogo marcado para as 16 horas (de Brasília) no Morumbi, um deles ou os dois interromperão suas arrancadas. E o principal desafio do clássico é, mais do que atrapalhar um rival, não se complicar para as rodadas restantes do torneio e estragar o trabalho da temporada.

Quem você acha que vai levar a melhor? Dê sua opinião com outros fãs 

Para o Choque-Rei válido pela 28ª rodada da competição, o Tricolor chega com invencibilidade de três jogos, com um empate e duas vitórias, ambas conquistadas em seu estádio, mas está em quinto lugar e a quatro pontos da faixa que dá vaga na Libertadores, seu maior objetivo na liga nacional.

Veja também: Rivais desafiam série de tabus em clássico no Morumbi

Já o Verdão, desde a chegada de Gilson Kleina para o lugar de Luiz Felipe Scolari, alcançou duas vitórias no Brasileiro, mas, se tropeçar, segue na antepenúltima colocação, dentro da zona de rebaixamento e a seis pontos do Coritiba, primeiro clube fora do setor de descenso da tabela.

A arrancada do Palmeiras sob o comando de Gilson Kleina obrigou o são-paulino Ney Franco a promover uma alteração no esquema de jogo da equipe. Ao invés do 4-3-3 típico, o treinador decidiu lançar mão da formação 4-2-3-1, com dois volantes teoricamente de marcação, mas que têm boa saída de bola. No clássico jogarão Denilson e Wellington de volta da suspensão cumprida no empate diante do Coritiba, sendo o zagueiro Rhodolfo, expulso no mesmo confronto, a única baixa imediata.

Assim, Maicon deixa o time titular e fica só como opção no banco de reservas, do mesmo modo que Willian José. Recuperado de uma lesão na coxa direita que o afastou de três partidas do São Paulo na temporada, o artilheiro Luis Fabiano está de volta ao time para tentar aumentar a marca de 24 gols em 31 partidas. Com o Fabuloso no comando do ataque, Ney Franco espera que a equipe esteja emocionalmente mais preparada que o adversário.

"Quando uma equipe está fragilizada em termos de pontuação, como é o caso do Palmeiras, em qualquer momento ela perde o equilíbrio. Mas não podemos ser influenciados pelo momento do adversário. Os números da tabela dizem pouca coisa para esse confronto, porque a troca de treinador (Felipão por Kleina) mexeu com o time, que agora tem índice alto de gols, por exemplo. Mesmo abaixo na tabela, eles estão em momento bom. Mas, se fizermos gol, mexeremos com a estrutura tática e emocional deles", recomendou o comandante são-paulino, indicando a possibilidade de forte pressão nos minutos iniciais do clássico.

Luís Fabiano também está de volta ao São Paulo no confronto deste sábado
Gazeta Press
Luís Fabiano também está de volta ao São Paulo no confronto deste sábado

O volante Denilson segue pela mesma linha de Ney Franco e, como provável responsável pela marcação do chileno Valdivia, reconhece o bom nível do time palmeirense: "Se for eu que tiver que marcar o Valdivia, sei que é um grande jogador, habilidoso. Às vezes, no bom sentido, é chato, porque ele gosta de incomodar o adversário com sua qualidade. Enfim, o time do Palmeiras em si é muito bom."

Em busca do mesmo final de temporada tranquilo e da vaga da Libertadores que o Palmeiras, por exemplo, já assegurou, manter-se próximo ao G-4 é visto como fundamental para o camisa 15.

"Queremos os três pontos, não sei de que maneira. Precisamos dessa vitória. Sabemos da qualidade do Palmeiras, mas temos condições de ganhar. Ganhando, teremos confronto direto depois com o Vasco. Trabalhamos todos os dias para estar no G-4, entre os primeiros".Já o trabalho palmeirense é para evitar o segundo rebaixamento de seus 98 anos de história. "Cada time vai entrar com suas forças, canalizando seus ideais. O nosso primeiro objetivo é sair dessa zona de desconforto e chegar ao 16º lugar. Precisamos manter um norte, e o nosso norte passa pelo clássico. Temos que ser eficientes", pediu Gilson Kleina.

A eficiência passa, principalmente, pela escolha de um companheiro para Barcos. Sem Maikon Leite, suspenso, o técnico  estava em dúvida entre Mazinho, para manter a estrutura tática de sucesso, e Obina, exigindo que Barcos saísse mais da área. De última hora, porém, Luan conseguiu efeito suspensivo no Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) e aguardará novo julgamento para saber se cumprirá o último jogo de punição pelo cartão vermelho levado na derrota por 2 a 0 para o Corinthians. A outra mudança na escalação é Román para a vaga de Thiago Heleno, machucado - existe ainda a remota chance de Henrique ser recuado e Correa aparecer no meio-campo.

Independentemente dos escolhidos, a ideia é manter a força mostrada nas vitórias sobre Figueirense e Ponte Preta. Se bater o São Paulo neste sábado e o Coritiba na quinta-feira, em Araraquara, o Verdão deixará a zona de rebaixamento. Embora aceite o empate no clássico, Kleina aposta na igualdade que um confronto tradicional tem para surpreender no Morumbi.

"Em números, o São Paulo está muito melhor, está buscando a Libertadores, mas analiso uma força de igualdade, estamos em uma crescente. E em qualquer situação na dá para fugir do que Palmeiras x São Paulo representa, nunca se pode imaginar um maior do que o outro. Em clássico, as forças vêm de onde não se imagina, então temos que ser competentes, neutralizar os pontos fortes deles e impor os nossos", indicou o técnico.

FICHA TÉCNICA
SÃO PAULO X PALMEIRAS

Local: Estádio do Morumbi, em São Paulo (SP)
Data: 6 de outubro de 2012, sábado
Horário: 16h (de Brasília)
Árbitro: Paulo César Oliveira (Fifa-SP)
Assistentes: Emerson Augusto de Carvalho e Marcelo Van Gasse (ambos Fifa-SP)
Assistentes adicionais: Flavio Rodrigues Guerra e Rodrigo Guarizo do Amaral (ambos de SP)

SÃO PAULO: Rogério Ceni; Paulo Miranda, Edson Silva, Rafael Toloi e Cortez; Wellington, Denilson e Jadson; Lucas, Osvaldo e Luis Fabiano
Técnico: Ney Franco

PALMEIRAS: Bruno; Artur, Mauricio Ramos, Román e Juninho; Henrique, Márcio Araújo, Marcos Assunção e Valdivia; Luan e Barcos
Técnico: Gilson Kleina

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.