Tamanho do texto

Treinador raciocina que um ponto conquistado contra o São Paulo já ajudaria, desde que o time vença o Coritiba na rodada seguinte

Gilson Kleina, treinador do Palmeiras
Gazeta Press
Gilson Kleina, treinador do Palmeiras

O Palmeiras depende só de si para sair da zona de rebaixamento nas próximas duas rodadas do Brasileirão . Para isso, precisa vencer o São Paulo no Morumbi, no sábado, e o Coritiba em Araraquara, na quinta-feira. O treinador Gilson Kleina, no entanto, não considera ruim um empate no clássico e aposta em confrontos diretos para evitar a presença do clube na Série B de 2013.

Deixe seu recado e comente a notícia com outros torcedores

"O melhor resultado da rodada é sempre fazermos a nossa vitória, ou pelo menos pontuar. Se conseguirmos um ou três pontos, teremos um confronto direto depois e podemos diminuir bastante a diferença", apontou. "A rodada vai ser muito boa com uma vitória nossa. E boa se pontuarmos", definiu.

O foco do treinador é vencer o Coritiba na quinta-feira, mesmo que a vitória não signifique ultrapassar o clube paranaense, que está a seis pontos do Palmeiras e com um jogo a mais. O raciocínio de Kleina é de que o clube paranaense não será o único rival palmeirense fora da zona de rebaixamento, e cita como argumento a derrota da Ponte Preta para o próprio Coritiba e o empate entre Flamengo e Bahia nessa quinta-feira.

E mais: Kleina não relaciona Thiago Heleno e tem dupla de ataque indefinida

"Se continuarmos nessa situação de vitórias, em qualquer rodada teremos condições de sair. Se a rodada premiou o 16º, não premiou o 14º, o 15º... As equipes tropeçaram. Fazendo nossa parte, aproximamos nossa pontuação até do décimo. Dentro desse momento, temos que correr para o nosso ideal", calculou.

Por isso, o técnico considera os pontos que podem ser somados no Morumbi um lucro. "O primeiro objetivo sempre é a vitória, mas não se pode descartar pontuar em um clássico. Não que essa partida de sábado não seja decisiva, mas a decisão maior vem contra o Coritiba, e dependeremos só de nossas forças", projetou.

Veja ainda:  CBF recusa pedido do Palmeiras para vetar árbitro e fala em 'mudança de foco'

Mesmo em antepenúltimo lugar, Kleina tenta controlar a ansiedade dos palmeirenses em deixar a faixa de descenso. "Vamos continuar com motivação, confiança, sem mudar nosso discurso de crescimento, e para isso precisamos pontuar para atingir o nosso planejamento. E dizer para o torcedor e para nós mesmos que vamos sair no momento certo", avisou.

*Com Gazeta

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.

    Notícias Recomendadas