Tamanho do texto

Geralmente calmo, craque holandês grita com companheiros, cobra marcação e é acalmado pelo técnico Oswaldo de Oliveira

Seedorf tem pela frente o clássico contra o Fluminense, sábado
Gazeta Press
Seedorf tem pela frente o clássico contra o Fluminense, sábado

O veterano holandês Clarence Seedorf começa a sair do sério no Botafogo . Geralmente calmo e sorridente, o meia saiu do sério durante o treino de hoje, em Saquarema, na Região dos Lagos do Rio de Janeiro. O Botafogo treina para pegar o rival Fluminense, sábado, no Engenhão.

Concorda com a reação de Seedorf? Deixe seu comentário

Tão logo o técnico Oswaldo de Oliveira determinou o fim da com bola, Seedorf começou a gritar com alguns companheiros que estavam próximos a ele, como o zagueiro Fábio Ferreira e o lateral esquerdo Márcio Azevedo, falando palavras como "todos precisam marcar!". Em seguida, atirou um copo de água no chão. O holandês só se acalmou depois que Oswaldo se aproximou, lhe deu um abraço e o colocou para treinar cobranças de falta.

Os meias Andrezinho e Lodeiro partiram em defesa de Seedorf.

"O Seedorf é uma referência e precisamos aprender com ele, escutar o que ele diz e tentar seguir, já que todos aqui conhecem o caráter dele e sabem que ele faz as coisas para ajudar o grupo", disse o uruguaio.

Andrezinho disse que é comum esse tipo de discussão entre os jogadores. "Nós precisamos nos comunicar em campo e isso é natural. Imagina, por exemplo, a partida de sábado, com o Engenhão cheio, nem sempre vamos conseguir escutar as determinações do Oswaldo. Portanto, cabe aos mais experientes orientar a equipe dentro de campo e ninguém melhor do que o Seedorf para isso. Ele tem uma leitura muito boa dos jogos, é uma referência, um líder natural. A intenção dele é sempre a mais positiva possível e por isso que todos reagiram muito bem. Ele é querido por todos", explicou Andrezinho.

Leia ainda: Oswaldo faz cobrança à 'zaga frouxa'

A marcação da equipe, que tanto irritou Seedorf no treino desta quinta-feira, já tinha sido alvo de reclamações de Oswaldo de Oliveira na atividade de quarta-feira, quando o treinador usou adjetivos como "frouxo" para definir a maneira com a zaga estava permitindo que os atacantes adversários penetrassem para chegar na cara do goleiro.

Ainda em relação ao coletivo desta quinta-feira, Oswaldo praticamente definiu a equipe que vai a campo. O volante Renato, recuperado de uma lesão no músculo adutor da coxa esquerda, reaparece na vaga de Jadson, enquanto que o uruguaio Lodeiro vai atuar no posto de Fellype Gabriel, que já não enfrentou o Bahia, na derrota por 2 a 0, por conta de dores no joelho direito. Fellype até treinou nesta quinta, mas entre os reservas.

O goleiro Jéfferson e o lateral direito Lucas, que estavam à serviço da Seleção Brasileira no Superclássico das Américas, contra a Argentina, que acabou não acontecendo, treinaram na sede de General Severiano, longe do grupo, uma vez que a delegação retornou para o Rio de Janeiro logo depois das atividades desta quinta-feira. Os dois estão confirmados contra o Fluminense.

Dessa maneira, se nada de anormal acontecer até a hora do jogo, o Botafogo vai a campo contra o Fluminense com a seguinte escalação: Jéfferson, Lucas, Fábio Ferreira, Dória e Márcio Azevedo; Gabriel, Renato, Andrezinho, Lodeiro e Seedorf; Elkeson.

Nesta sexta-feira o elenco participa de um recreativo pela manhã, no Engenhão, e depois começa o período de concentração. Na sétima colocação do Campeonato Brasileiro com 40 pontos conquistados, o Botafogo busca uma vitória sobre o Fluminense para seguir com chances de conquistar uma vaga na próxima Copa Libertadores, algo que é considerado uma prioridade no clube, que não disputa o torneio continental desde 1996.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.

    Notícias Recomendadas