Tamanho do texto

Presidente do Santos admitiu que está à procura de reforços para a próxima temporada, porém não confirmou negociações em andamento

Com dinheiro em caixa após a venda do meia Paulo Henrique Ganso para o São Paulo, o Santos promete buscar reforços de peso para a próxima temporada. Apesar disso, o presidente do clube praiano, Luis Álvaro de Oliveira Ribeiro, é cauteloso ao falar sobre nomes. Indagado sobre o meia Alex, que rescindiu no começo desta semana o seu vínculo com o Fenerbahçe (Turquia), o dirigente elogiou o veterano, porém, negou ter mantido qualquer contato com o atleta.

Deixe o seu recado e comente esta notícia com outros torcedores

Luis Alvaro de Oliveira elogiou Alex, mas negou negociações com o meia
Francisco De Laurentiis
Luis Alvaro de Oliveira elogiou Alex, mas negou negociações com o meia

"Todo o jogador diferenciado, como é o Alex, em princípio interessa. Só que não existe absolutamente nada agora. Nenhuma iniciativa foi tomada", disse Laor, em entrevista à Rádio Estadão/ESPN.

Leia mais:  Neymar ganha camisa de LeBron James e diz que só falta a de Kobe Bryant

Questionado também sobre a possibilidade de investir na contratação do atacante Robinho, do Milan (Itália), ídolo da torcida santista, o mandatário despistou mais uma vez.

Luis Álvaro de Oliveira Ribeiro admitiu que, em sua última viagem para a Europa, antes de participar de uma reunião da Fifa, na Suíça, esteve jantando com o Rei das Pedaladas em Milão.

Entretanto, o presidente não revelou nenhum avanço na hipótese de repatriar o Rei das Pedaladas. "Meu papo com Robinho restringiu-se às qualidades dos risotos que nós comemos no jantar. Juntos, nós provamos seis tipos diferentes de risotos. Nem pensamos em futebol. Falamos somente de risoto", comentou.

Para terminar, Laor reiterou a sua estratégia de não citar nomes de possíveis alvos da direção, destacando apenas que jogadores de peso vão chegar a Vila Belmiro para 2013. "Estamos em um momento de definições do elenco. Teremos surpresas agradáveis para o torcedor. Até porque, nós precisamos repor as peças que saíram e as que ainda vão sair. Mas não vamos falar em nomes, sem que antes as negociações estejam encaminhadas", encerrou.

*Com Gazeta

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.