Tamanho do texto

Para o atacante, clube mineiro deve mudar a postura dentro de campo e encontrar o controle emocional o mais rápido possível

Jô comemora gol do Atlético-MG ao lado de Ronaldinho
Gazeta Press
Jô comemora gol do Atlético-MG ao lado de Ronaldinho

Chegou o momento de os atletas mais experientes do Atlético-MG chamarem a responsabilidade e recolocarem o time na briga pelo título. Essa é a opinião do atacante Jô, que argumenta que o elenco do clube mineiro é na maioria composto por jovens, mas que os experientes têm que conduzir a equipe.

Deixe seu recado e comente a notícia com outros torcedores

"Apesar de ser um elenco de jogadores novos, eles já passaram por muitas situações", afirmou Jô. "Eu já joguei fora do Brasil. O Ronaldinho, o Leonardo Silva e o Réver são mais velhos. Temos que chamar a responsabilidade, sabemos que ficou difícil, mas não impossível", declara.

Para Jô, o Atlético-MG não precisa mudar a maneira de atuar, mas sim a atitude e a postura dentro de campo. O jogador afirma que o controle emocional é importante na hora de decidir, e isso tem faltado ao time e precisa ser encontrado o mais rapidamente possível.

Jogue palavras cruzadas e mostre que sabe tudo sobre a história do seu clube

"Temos de continuar jogando do mesmo jeito que estamos atuando desde o início da competição. Não temos de mudar a maneira de jogar, mas sim a atitude e a vontade de querer estar de novo na liderança. Todo mundo tem que ter a cabeça no lugar e aumentar a pegada. Querendo ou não, perdemos muito nisso e temos de reencontrar para voltar a vencer", comenta.

Além do controle emocional, Jô atribui a queda de rendimento do Atlético-MG à forte marcação dos adversários. "A marcação ficou um pouco mais forte. Um time que fez primeiro turno excelente, o segundo turno fica difícil, os outros times marcam melhor nossas jogadas. Temos que procurar uma solução, mas a paciência é importante neste momento", argumenta.

*Com Gazeta

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.