Tamanho do texto

Volante disse que pensa em joga no exterior, mas só por uma proposta "fora do normal"

Jogando pelo Corinthians, Ralf chegou à seleção brasileira
Mowa Press
Jogando pelo Corinthians, Ralf chegou à seleção brasileira

Titular absoluto do Corinthians, o volante Ralf sabe que a exposição que tem no clube pode atrair o interesse de equipes do exterior. No entanto, com contrato até 2015, o meio-campista explica que não tem intenção de sair neste momento e coloca o time no mesmo patamar de times internacionais.

Deixe seu recado e comente a notícia com outros torcedores

"Não sei o que vem pela frente. Penso primeiro sempre em conseguir títulos aqui. O Corinthians é grande e, quando eu sair, vou ser muito grato pelo que passei. É igual aos times da Europa e só saio se for por uma proposta fora do normal. Claro que todo jogador pensa em Seleção e Europa, e eu não sou diferente, mas estou concentrado primeiro aqui", comentou.Aos 28 anos, Ralf explica que só agora está tendo a oportunidade de corrigir defeitos que carregava desde o início da carreira. Marcador implacável, o atleta alega que a falta de um trabalho mais elaborado nas categorias de base atrapalha sua evolução quando ajuda mais à frente.

Leia mais: Fábio Santos defende Wallace: “Barcos chutou e deu um soco antes”

"Eu sempre busco melhorar, porque não tive suporte nas categorias de base. O Corinthians me dá a possibilidade de evoluir depois de velho, aprimorando chutes a gol e outros fundamentos", completou.

Veja também: Antes de vistoria, Corinthians prepara avaliação de percurso ao Japão

O volante começou no Taboão da Serra e, em 2005, chegou ao São Paulo, mas não se firmou no rival. Depois, rodou por Imperatriz-MA, XV de Jaú, Gama e Noroeste, antes de se destacar pelo Barueri e chamar a atenção do Corinthians, que o contratou em 2010.

E ainda: Ralf se diz surpreso por ausência em amistosos contra Iraque e Japão

"Minha passagem pelo São Paulo foi rápida, fiquei só quatro meses e não tive a chance de jogar. Antes, tinha jogado pelo Taboão da Serra. Se tivesse recebido um suporte maior, talvez pudesse apresentar melhor algumas coisas", concluiu.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.