Tamanho do texto

O clube do Palestra Itália se prepara para adotar uma nova casa no Campeonato Brasileiro

Torcida do Palmeiras atirou cadeiras no gramado
Bruno Winckler
Torcida do Palmeiras atirou cadeiras no gramado

O Palmeiras só será julgado pelo STJD (Superior Tribunal de Justiça Desportiva) nesta sexta-feira sobre uma possível perda de mando de campo devido aos objetos atirados no gramado do Pacaembu na derrota para o Corinthians. Mas o clube já se prepara para adotar uma nova casa no Campeonato Brasileiro: membros da comissão técnica de Gilson Kleina já fizeram vistoria em estádios de Araraquara e Ribeirão Preto.

Deixe o seu recado e comente a notícia com outros torcedores

O auxiliar Juninho Lola passou pelas duas cidades e existe a possibilidade de que as duas sejam utilizadas pelo clube. Por conta de copos d’água e cadeiras jogados em campo no Derby do último dia 16, além da depredação do Pacaembu, o Verdão pode perder até dez mandos de campo, sendo obrigado a atuar a mais de 100 km da capital. A diretoria já trabalha com a possibilidade de não atuar mais em São Paulo neste Brasileiro.

A primeira opção é Araraquara, a 270 km da capital. Gilson Kleina gosta do estádio da cidade, a Fonte Luminosa, e Juninho Lola enviará a ele e ao gerente de futebol César Sampaio um relatório com elogios ao local. Já é dado como certo no clube de que o duelo contra o Coritiba, no dia 11, será lá.

Leia mais:  Barcos e Guiñazu são convocados e viram desfalques no Brasileirão

O estádio Santa Cruz, em Ribeirão Preto (a 313 km de São Paulo), foi visitado nesta quinta-feira por uma comitiva do Palmeiras que tinha, além de Juninho Lola, o responsável pelos gramados dos campos do CT do clube, Marcos Antonio da Silva, o Marquinhos, e o auxiliar do departamento profissional, Adilson Pena de Andrade, conhecido como Moeda.

"O Santa Cruz tem um campo bom e a estrutura é boa também. O Palmeiras tem muita torcida aqui e isso acaba pesando. Mas fomos a Araraquara também. Vamos passar um relatório para o Cesar Sampaio e para o Gilson Kleina e eles vão decidir o melhor lugar. A princípio, estamos entre esses dois lugares", disse Juninho Lola.

O gramado em Ribeirão Preto agradou mais o auxiliar de Kleina. "Vim assistir a um jogo no ano passado do Palmeiras aqui e tinha muita gente. Isso é um fator que pode ajudar. O campo aqui está um pouco melhor que o da Arena da Fonte, mas trouxemos o nosso responsável pelos gramados lá do CT. Ele também vai dar o parecer dele", apontou.

Veja também:  Palmeiras antecipa concentração antes de pegar a Ponte

A diretoria do Palmeiras acredita que a punição será com a perda de cinco mandos de campo. Com isso, atuaria fora de São Paulo, na briga para evitar o rebaixamento, ao ser mandante contra Coritiba (no dia 11), Cruzeiro (20/10), Botafogo (4/11), Fluminense (11/11) e Atlético-GO (25/11).

O confronto deste sábado, contra a Ponte Preta, deve ser o último do Palmeiras no Pacaembu neste Brasileiro. A punição, contudo, só serve para partidas válidas pela liga nacional, o que libera o estádio municipal para jogos da Copa Sul-americana - nesta terça-feira, o time enfrenta o Millonarios, da Colômbia, no primeiro duelo das oitavas de final.

* com Gazeta

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.