Tamanho do texto

Empresa que contra distribuição de água no Rio de Janeiro cortou o fornecimento nesta terça-feira. Serviços essenciais são feitos por caminhões-pipa

A campanha do Vasco no Campeonato Brasileiro é boa, embora irregular nas últimas rodadas. A equipe ocupa a quarta posição, mas ainda assim convive com instabilidade no departamento de futebol, tanto que a diretoria demitiu o técnico Cristóvão Borges na semana passada. Um outro exemplo da intranquilidade no clube é que a água de São Januário foi cortada por falta de pagamento.

Deixe seu recado e comente a notícia com outros torcedores

O corte aconteceu porque o Vasco tem uma dívida com a Cedae, empresa que controla a distribuição de água no Rio. Enquanto isso, os serviços essenciais estão sendo abastecidos por caminhões-pipa, o que deve ser feito pelo menos até o fim de semana. Banheiros, vestiários e bares do clube passam por problemas e o mau cheiro prevalece em boa parte do estádio.

Veja também: Invencibilidade da Ponte Preta preocupa Vasco na sequência do Brasileirão

Dentro, pelo menos, boas notícias. O técnico Marcelo Oliveira vai poder contar com o reforço dos três jogadores suspensos na última rodada para enfrentar a Ponte Preta, domingo, em Campinas, pela 26.ª rodada do Brasileirão. Alecsandro, Felipe e Douglas treinaram nesta terça com o grupo e estão à disposição do treinador.

Leia também: Wendel se conforma com empate e vê justiça pelo que o Vasco jogou

Marcelo se preocupou com uma lesão no púbis do atacante Tenório, cuja escalação passou a ser dúvida para o jogo com a Ponte. Os médicos do Vasco, no entanto, acreditam que ele se recupere a tempo de atuar no fim de semana.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.