Tamanho do texto

"Foi pênalti. Pensei em só triscar, mas se eu triscasse era gol. Mas foi normal, pegou no braço", confessou o centroavante da Ponte

Aos 19 minutos de jogo no Morumbi, Roger resolveu usar seu braço para cortar uma bola alçada por Jadson. O centroavante argumenta que essa foi a sua opção para evitar o primeiro gol são-paulino nesta noite, embora o árbitro tenha marcado pênalti que Rogério Ceni converteu, abrindo o placar do triunfo por 3 a 0 dos anfitriões.

Leia também:  São Paulo se recupera e vence a Ponte Preta com gol de Ceni na volta de Lucas

"Foi pênalti. Pensei em só triscar, mas se eu triscasse era gol. Mas foi normal, pegou no braço", confessou o centroavante da Ponte Preta. "É um erro, assumo. Agora é hora de ser homem e assumir. Mas não por isso que perdemos ", continuou o jogador que, no segundo tempo, chegou a pedir falta na grande área ao girar sobre Rafael Toloi e ficar no chão.

Veja fotos dos jogos deste sábado:


Apesar de admitir sua infração, o atacante se irritou bastante com a atuação do árbitro Rodrigo Guarizo Ferreira do Amaral. "Ele está parando tudo. É só relar no Lucas que ele para", reclamou, apontando influência do juiz. "Não estamos bem, mas é difícil. Ele vai nos minando."

Quem mais minou a equipe campineira, entretanto, foi exatamente a Macaca. "Foi difícil jogar. Saímos perdendo por 2 a 0 e ficou difícil de jogar", apontou Roger, lembrando que o time foi para o intervalo já com dois gols sofridos. O jogador até esteve perto de descontar, já no fim do jogo, em bola que passou rente à trave de Rogério Ceni.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.