Tamanho do texto

Time goiano confirma fama de carrasco de paulistas e complica para outro grande do Estado

O Atlético-GO encerrou uma sequência de três empates consecutivos e derrotou o Palmeiras por 2 a 1, neste domingo, no Serra Dourada. Em jogo de baixo nível técnico, o time da casa aproveitou melhor as poucas oportunidades criadas e saiu vencedor da partida, válida pela 18.ª rodada do Campeonato Brasileiro.

Veja a classificação completa e os próximos jogos do Campeonato Brasileiro

Com o resultado, o Atlético-GO chegou aos 15 pontos, ultrapassou o Sport e agora é o 18.º colocado. Na próxima rodada, os goianos enfrentam o Bahia, no domingo que vem, em Pituaçu. Já o Palmeiras segue na 16.ª posição, com 16 pontos, colado na zona de rebaixamento. No sábado que vem a equipe volta a campo para enfrentar o Santos, no Pacaembu.

O time paulista entrou em campo repleto de desfalques. Márcio Araújo, Marcos Assunção, Henrique, Fernandinho, Artur, Daniel Carvalho, Wesley, Luan e Maikon Leite eram as ausências. Com isso, o técnico Luiz Felipe Scolari mudou o esquema tático da equipe, que foi para a partida com Roman entre os titulares e atuando no 3-5-2.

Além disso, o volante Corrêa, apresentado durante a semana como novo reforço palmeirense, teve sua estreia acelerada e começou como titular. O jogador, contratado junto ao Dínamo de Kiev, estava há cerca de três meses sem jogar.

Veja fotos das partidas deste domingo que movimentaram a 18ª rodada do Brasileirão

O jogo
O começo da partida foi truncado e a primeira chance foi do Atlético-GO, com Ricardo Bueno, que cabeceou para fora. Aos 11 minutos, a equipe da casa voltou a levar perigo. Após cobrança de falta da direita, a defesa palmeirense tentou fazer linha de impedimento, mas Correa não saiu. Para a sorte dele, os jogadores adversários se atrapalharam e não conseguiram abrir o placar.

Aos poucos o Atlético-GO foi crescendo na partida, aproveitando os erros de marcação do Palmeiras, que parecia ter dificuldade para se acertar no esquema 3-5-2. E foi em uma falha do adversário que o time da casa abriu o placar. Eron recebeu lançamento de Dodó pelo lado esquerdo, nas costas da zaga, dominou e bateu no canto direito.

O gol acordou o Palmeiras, que logo empatou. Aos 24 minutos, João Vitor recebeu pela direita, avançou e deu um lindo cruzamento para Barcos. Com a calma característica, o atacante argentino finalizou de cabeça, no canto esquerdo de Márcio, que foi pego no contrapé.

O time paulista melhorou com o empate, passou a achar mais espaços na defesa adversária e voltou a levar perigo aos 34 minutos. Mazinho recebeu bom lançamento, entrou na área e bateu de esquerda, mas em cima de Márcio, que defendeu. Foi a última boa chance da primeira etapa.

As duas equipes não voltaram bem para o segundo tempo e o ritmo da partida diminuiu. O Palmeiras até ficava mais com a bola, mas não conseguia chegar com perigo. Vendo isso, o técnico Luiz Felipe Scolari colocou o atacante Obina em campo, no lugar de Valdivia.

E logo em seu primeiro toque, Obina quase marcou. Ele aproveitou bom cruzamento de Roman, que a essa altura já atuava como um lateral-direito, e cabeceou no canto direito, mas sem força. Um minuto depois, Barcos tocou de calcanhar para Obina, que bateu de primeira e exigiu nova boa defesa de Márcio.

A entrada do atacante mudou o jogo por alguns minutos, mas logo a defesa atleticana acertou a marcação e o ritmo voltou a cair. Agora era o time da casa que ficava mais com a bola, mas sofria com a falta de criatividade no ataque. No entanto, em um contra-ataque, quase o Palmeiras virou, com Patric.

Insatisfeito com a atuação do Atlético-GO, Jairo Araújo tirou Ricardo Bueno e colocou Rayllan aos 33 minutos. A troca surtiu efeito imediato e o segundo gol dos anfitriões saiu no minuto seguinte, justamente com Rayllan, que aproveitou escorada de cabeça de Patric para o meio da área.

A última chance palmeirense aconteceu aos 38 minutos. Após confusão na área, a bola sobrou para Mazinho, que bateu de primeira. A bola ia em direção ao gol, mas tocou no braço de Eron. O árbitro entendeu que o lance foi legal e mandou o jogo seguir, para desespero dos jogadores e de Felipão, que reclamaram até o apito final.

FICHA TÉCNICA -  ATLÉTICO-GO 2 x 1 PALMEIRAS

Local: estádio Serra Dourada, em Goiânia (GO)
Data: 19 de agosto de 2012, domingo
Horário: 19h30 (de Brasília)
Árbitro: Sandro Meira Ricci (Fifa-PE)
Assistentes: Alessandro Rocha de Mattos (Fifa-BA) e Marcio Eustáquio Santiago (Fifa-MG)
Assistentes adicionais: Claudio Mercante Junior (PE) e Francisco Leone de Oliveira (TO)
Cartões amarelos: Patric (Atlético-GO); Maurício Ramos e Thiago Heleno (Palmeiras)

Gols:  Eron, aos 18 e Barcos, aos 24 minutos do primeiro tempo. Rayllan, aos 34 minutos do segundo tempo

ATLÉTICO-GO: Márcio; Marcos, Gustavo, Reniê e Eron (Diego Giaretta); Dodó, Marino, Ernandes e Wesley (Felipe); Ricardo Bueno (Rayllan) e Patric
Técnico: Jairo Araújo

PALMEIRAS: Bruno; Román, Maurício Ramos, Thiago Heleno (Leandro Amaro) e Juninho; João Vitor, Correa (João Denoni), Patrik e Valdivia (Obina); Mazinho e Barcos
Técnico: Luiz Felipe Scolari

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.