Tamanho do texto

Sevilla confirma a contratação do lateral direito. Dinheiro será usado para assegurar a permanência do atacante

Palmeiras deve adquirir os direitos econômicos de Mazinho
AE
Palmeiras deve adquirir os direitos econômicos de Mazinho

O dinheiro da venda do lateral direito Cicinho sequer deve entrar nos cofres do Palmeiras . O retorno financeiro conseguido com a ida do defensor para o Sevilla-ESP deve ser usado para assegurar a permanência do atacante Mazinho.

Deixe o seu recado e comente a notícia com outros torcedores

O clube espanhol confirma a compra de Cicinho por 2 milhões de euros (R$ 4,9 milhões) sendo que metade desse valor ficaria para o Palmeiras, detentor de 50% dos direitos exonômicos.

Leia: Palmeiras perde para o Cruzeiro e entra na zona de rebaixamento

A outra metade pertence ao empresário Aparecido Roberto Freitas, o Cidão. Como o agente também é presidente do Oeste de Itápolis, a tendência é que ele fique com o valor total da transferência do lateral. Metade como empresário e a outra parte referente ao pagamento da contratação de Mazinho pelo Palmeiras.

 Acompanhe o Brasileirão em tempo real e com estatísticas no aplicativo iG Futebol

Cicinho já viajou para a Espanha, onde realiza exames médicos. O contrato será assinado ainda nesta segunda-feira. Segundo o vice-presidente de futebol, Roberto Frizzo, a diretoria pretende promover o garoto Luiz Gustavo, das categorias de base, para ser o reserva de Artur. "Reclamam que não investimos na base. É a chance de fazer isso", afirmou o dirigente.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.