Tamanho do texto

No Canindé, Dida fez grande jogo e Borges perdeu no final o gol que daria vitória ao Santos

O Santos visitou a Portuguesa , neste domingo, no Canindé, em busca de sua primeira vitória no Campeonato Brasileiro, mas não foi capaz de furar a defesa comandada pelo goleiro Dida. Assim, as duas equipes não saíram do 0 a 0. Os santistas completaram sete rodadas sem vencer somando cinco empates na competição. A Lusa tem agora oito pontos e ainda não viu o seu novo camisa 1 ser vazado em duas partidas.

Veja a classificação completa e os próximos jogos do Campeonato Brasileiro

Apesar do 0 a 0, as duas equipes tiveram boas chances de sair com a vitória do Canindé. Porém,   tanto Dida como Rafael tiveram tarde inspirada. A decepção santista pode ser considerada maior já que nos acréscimos do segundo tempo, depois de jogada de Neymar, Borges ficou na cara de Dida e chutou a bola para fora do estádio da Portuguesa.

O Santos volta a campo pela Série A diante do Grêmio, no próximo domingo, às 16 horas, na Vila Belmiro. Já a Portuguesa visita o Atlético-MG, também no domingo, só que a partir das 18h30, no Estádio Independência.

Veja fotos dos jogos da 7ª rodada do Campeonato Brasileiro


O jogo
Precisando conquistar a sua primeira vitória no Brasileirão, o Santos começou a partida tomando a iniciativa. Tanto que, a primeira chance de gol do jogo, foi dos visitantes. Aos sete minutos, Paulo Henrique Ganso cobrou falta perigosa, que exigiu uma defesa em dois tempos do veterano goleiro Dida.

Apesar de o Santos começar um pouco melhor o confronto, aos poucos a Portuguesa passou a se arriscar mais no ataque. Com 11, a Lusa poderia ter aberto o placar, só que Guilherme chutou a bola no travessão, após de um passe preciso de Ananias.

Dida fechou o gol da Portuguesa e não deixou o time de Neymar abrir o marcador no Canindé
Gazeta
Dida fechou o gol da Portuguesa e não deixou o time de Neymar abrir o marcador no Canindé

Pouco depois, aos 19, a equipe rubro-verde voltou a assustar os santistas, outra vez com Guilherme. O volante da Portuguesa limpou a marcação alvinegra e teve liberdade para arriscar de fora da área, exigindo uma grande defesa de Rafael, que espalmou a bola para escanteio e evitou que os donos da casa inaugurassem o marcador.

Melhor em campo, a Lusa teve mais uma boa oportunidade para fazer o seu primeiro gol, aos 24. O meia-atacante Ananias recebeu bom passe dentro da área e, quando se preparava para arrematar, foi travado por Adriano, que desviou a bola para escanteio.

Com amplo domínio das ações, os rubro-verdes tiveram mais duas chances em sequência para balançar as redes do Santos. Aos 30, Guilherme emendou um belo arremate, após receber a bola na entrada da área. Rafael espalmou e evitou o gol. Dois minutos depois, o zagueiro Rogério esteve perto de abrir o placar a favor da Portuguesa, mas desperdiçou a oportunidade, em cabeçada dentro da pequena área.

Após um primeiro tempo com o adversário melhor no jogo, o Santos voltou com duas alterações. O técnico Muricy Ramalho trocou o jovem lateral direito Douglas pelo meia Elano. O experiente ala esquerdo Léo, que sentiu dores na costela na etapa inicial, foi substituído por Juan.

Os santistas voltaram com um futebol melhor no segundo tempo, mas seguiam encontrando dificuldades para furar o bloqueio defensivo rubro-verde. A Lusa, por sua vez, continuava assustando. Aos 13, Léo Silva soltou uma bomba de longa distância e quase surpreendeu Rafael.

Com falta de ritmo de jogo e ainda sem apresentar suas melhores condições físicas, Ganso deixou o duelo aos 15. O polivalente Gérson Magrão, que atua como lateral e volante, entrou no seu lugar no meio-campo alvinegro.

O Santos teve, talvez a sua melhor chance até então, aos 25. Elano cobrou falta para a grande área, a bola foi escorada para Durval, que acertou uma forte cabeçada, bem defendida por Dida.

Após esse perigoso lance, foi a vez do treinador Geninho mexer no time da casa. Cansado, Ananias, que voltava de lesão, deu lugar a Rodriguinho nos minutos finais da partida.

Perto do apito final do árbitro, aos 40, Moisés cobrou uma falta com força, exigindo mais uma boa intervenção de Rafael, que espalmou a bola para escanteio. Três minutos depois, foi a vez de Rodriguinho exigir mais uma boa defesa do goleiro santista.

Na melhor oportunidade de gol do encontro, aos 46, Neymar fez grande lance individual e encontrou Borges livre. Sozinho com Dida, o centroavante isolou a bola e desperdiçou a chance de levar o seu time ao primeiro triunfo no Brasileiro.

FICHA TÉCNICA - PORTUGUESA 0 X 0 SANTOS

Local: Estádio do Canindé, em São Paulo (SP)
Data: 1º de julho de 2012, domingo
Horário: 16 horas (horário de Brasília)
Árbitro: Raphael Claus (SP)
Assistentes: Marcelo Carvalho Van Gasse (Fifa-SP) e Daniel Paulo Ziolli (SP)
Renda: R$ 302.885,00
Público: 7.942 pagantes
Cartões amarelos: Rogério, Diego Viana, Gustavo e Boquita (Portuguesa); Adriano, Neymar e Durval (Santos)

PORTUGUESA: Dida; Rogério, Lima e Gustavo; Boquita, Léo Silva, Guilherme, Moisés e Ivan; Ananias (Rodriguinho) e Diego Viana (Henrique)  Técnico: Geninho

SANTOS: Rafael; Douglas (Elano), Edu Dracena, Durval e Léo (Juan); Adriano, Henrique, Arouca e Paulo Henrique Ganso (Gérson Magrão); Neymar e Borges  Técnico: Muricy Ramalho

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.