Tamanho do texto

Movimento ucraniano que protesta contra o turismo sexual já chegou ao Brasil. Saiba quem são e veja fotos dos protestos que já fizeram

Quem acompanha a Euro 2012 já deve ter se deparado com fotos de mulheres de biotipo eslavo com os seios de fora segurando cartazes com “Fuck Euro 2012” ou até tentando roubar a taça do torneio. O movimento feminista, chamado Femen, já chegou no Brasil e não pretende passar despercebido no país que em 4 anos sediará os dois eventos esportivos mais importantes do mundo.

Deixe seu recado e comente a notícia com outros torcedores


Sara Winter (sobrenome inventado), representante do movimento no Brasil, revelou, em entrevista ao iG, que está organizando manisfestações que deverão acontecer ainda neste ano no País. Os alvos devem ser a Copa do Mundo e as Olimpíadas, eventos marcados para daqui a 2 e 4 anos, respectivamente. Assim como acontece na Ucrânia, sede da na Euro 2012, o alvo é o turismo sexual gerado por eventos de grande porte.

Veja fotos dos estádios da Euro 2012

Ativista do Femen protesta na embaixada ucraniana em Paris
Divulgação / Femen
Ativista do Femen protesta na embaixada ucraniana em Paris

"O nosso problema não é a Copa em si, que gera coisas boas, mas os resultados ruins que também traz" diz Sara.

Leia mais: Jogadores da Alemanha visitam Auschwitz antes da Euro 2012

Natural de São Carlos, ela trabalhava como secretária quando viu uma notícia sobre o movimento, achou “o máximo” e foi pesquisar. Entrou em contato com as fundadoras através do Facebook e percebeu que se identificava com os ideais defendido pelas ucranianas.

Desde então, passou a promover e coordenar as atividades do Femen Br, que hoje conta com cerca de 30 membros. Desses, Sara calcula que pouco mais da metade sejam homens – diferente do que acontece na Ucrânia, onde a grande maioria é de mulheres. Aqui, apenas ela e mais duas mulheres tiram a roupa para protestar.

Qual seleção tem as camisas mais bonitas da Euro 2012? Veja e vote

Reticente quando perguntada sobre como serão os protestos no Brasil, Sara conta que recebeu uma doação da sede do Femen e está de viagem marcada para a Ucrânia. Quando voltar com o knowhow  das fundadoras do movimento, se dedicará a planejar os "ataques", como as ativistivas denominam suas manifestações.

Sara Winter (c) é a primeira representante do Femen no Brasil
Divulgação / Femen
Sara Winter (c) é a primeira representante do Femen no Brasil

O que é o Femen?
Antes de falar sobre o Femen, é bom evitar uma associação comum: o movimento não é especificamente contra eventos esportivos. Criado na Ucrânia em 2008 pelas jovens Oksana Shachko, Anna Hutsol e Sasha Shevchenko, ele surgiu para lutar pelos direitos das estudantes, mas rapidamente voltou sua atenção para questões como a prostituição e o turismo sexual, problemas especialmente agudos no leste europeu.

E é exatamente por isso que protestam contra a Euro 2012, que será realizada na Ucrânia e na Polônia. Propagandeado como estímulo ao desenvolvimento dos países sede, o torneio também traria, segundo as integrantes do Femen, um aumento no turismo sexual, mas os governos locais estariam negligenciando o problema.

Veja também: Espanha, Alemanha e Inglaterra são seleções mais valiosas da Euro 2012

Em recente entrevista ao canal Sportv, Sasha Shevchenko fez duras críticas a Euro 2012 e lançou acusações contra o presidente da Uefa. "Isso não é festa de futebol, é uma festa de turismo sexual e prostituição. E o Michel Platini é conivente com isso. A infraestrutura da Ucrânia não está pronta, a sociedade ucraniana não está pronta para isso. O que está pronta é a indústria de prostituição" declarou.

As ucranianas começaram as manisfestações contra a Euro em 2010, mas ainda não acabaram. Recentemente prometeram novas ações na cerimônia de abertura, que acontece sexta-feira na Polônia, e, em entrevista à rede Al Jazeera garantiram "Nós vamos estragar a Euro 2012".

Manifestante do Femen protesta contra Euro 2012
Divulgação / Femen
Manifestante do Femen protesta contra Euro 2012