Tamanho do texto

Clube carioca ameaçou cobrar R$ 325 milhões caso os paulistas contratassem Ronaldinho Gaúcho

Roberto Frizzo, vice-presidente de futebol do Palmeiras
AE
Roberto Frizzo, vice-presidente de futebol do Palmeiras

A busca pela contratação do atacante Kleber (hoje no Grêmio ) abalou a relação entre as diretorias de Palmeiras e Flamengo . A situação ficou ainda pior agora, com a acusação dos cariocas de que o clube paulista tentou adquirir os serviços de Ronaldinho Gaúcho . Roberto Frizzo, vice-presidente de futebol do Palmeiras, tenta minimizar o clima de rivalidade, mas admite que vê o adversário tentando transferir a responsabilidade no caso.

Deixe seu recado e comente a notícia com outros torcedores

“Não digo que foi uma precipitação (a acusação dos cariocas)", afirmou Frizzo. "Eles precisavam dar uma satisfação para a torcida deles e, para não assumirem a perda como responsabilidade deles, quiseram passar a bomba. Tenho de cuidar do Palmeiras e não falei com o pessoal de lá. Não estou aqui para ser amiguinho ou inimiguinho de ninguém”, concluiu.

Leia também: Para Tirone, está comprovado que Palmeiras nunca fez contato com Ronaldinho

Apesar do discurso de Frizzo, o presidente Arnaldo Tirone está disposto a responder à notificação extrajudicial que recebeu do Flamengo. O clube carioca ameaçou cobrar R$ 325 milhões do Palmeiras caso o clube contratasse o atleta. Na tarde de segunda-feira, Ronaldinho foi confirmado oficialmente como novo jogador do Atlético-MG .

“O Palmeiras não tinha nada a ver com isso e nós não tínhamos falado com o jogador", acrescentou Frizzo. "Ele tem uma liminar que ainda pode ser cassada a qualquer momento.”

Assim que Ronaldinho Gaúcho deixou o Flamengo por meio de uma liminar, o Palmeiras foi colocado como possível destino do jogador. Os dirigentes sempre negaram a existência de negociação, apesar de admitirem que Luiz Felipe Scolari gostaria de contar com o atleta.

*Com Gazeta

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.