Tamanho do texto

Equipes se enfrentam pela decisão da Taça Rio e vencedor irá enfrentar o Fluminense pelo título

Fellype Gabriel, que já marcou três gols contra o Vasco neste Carioca, irá substituir Renato
Gazeta
Fellype Gabriel, que já marcou três gols contra o Vasco neste Carioca, irá substituir Renato
Mais que o título do segundo turno, Botafogo e Vasco se enfrentam neste domingo, às 16h, no Engenhão, pela oportunidade de conquistarem uma vaga na final do Campeonato Carioca e lutarem pelo primeiro título importante na temporada. O vencedor da Taça Rio terá pela frente o Fluminense , que já está garantido na decisão por ter sido campeão da Taça Guanabara , primeiro turno do torneio estadual.

Deixe o seu recado e comente a notícia com outros torcedores

No caminho até a final da Taça Rio , os dois clubes tiveram percursos diferentes, mas ambos dominaram seus adversários e se classificaram exibindo superioridade e bom futebol. O Botafogo eliminou o Bangu , surpresa entre os quatro finalistas, por 4 a 2. Já o Vasco voltou a superar o maior rival, assim como havia feito na semifinal do primeiro turno, vencendo o Flamengo por 3 a 2 .

Equilíbrio
Se a tarefa de apontar um favorito em clássicos já é difícil, com as duas equipes vivendo bons momentos e empolgadas com a evolução apresentada nas últimas semanas, os treinadores optaram por manter o discurso padrão do equilíbrio antes da bola rolar.

Leia mais: Antes da final, Bota treina pênaltis, mas Loco Abreu fica de fora

“Vamos nos deparar com um dos jogos mais complicados deste ano até o momento. O Botafogo tem um time certinho, encontrou a sua maneira de atuar e ataca e defende com eficiência. Com certeza teremos muitas dificuldades, mas temos que ser competentes para neutralizar os pontos fortes do rival e fazer com que os nossos possam se sobressair”, disse Cristóvão Borges, técnico do Vasco .

Do lado do Botafogo, o técnico Oswaldo de Oliveira optou por destacar a qualidade do elenco rival. Durante boa parte da temporada, Cristóvão Borges não teve o atacante Eder Luis e o volante Rômulo disponíveis. Mesmo assim, os jogadores reservas deram sequência ao bom futebol apresentado desde o ano passado e são opções para mudar uma partida.

Veja mais: Ricardo Gomes visita o Vasco em São Januário, mas sem ver torcida

“O Vasco é um time bem armado e conta com muitas peças de reposição, o que lhe permite manter o ritmo em alta ao longo dos noventa minutos. O Botafogo, porém, também tem as suas virtudes, é uma equipe equilibrada e que está sabendo bem atuar ao longo da temporada. Com certeza vai ser uma partida muito disputada e sem previsão de ganhador”, disse o comandante do Botafogo. 

Felipe e Loco Abreu preocupam
Apesar de se destacarem pelo jogo coletivo, Botafogo e Vasco contam com bons nomes individuais e que podem decidir uma partida. Pelo time da Colina, além de Alecsandro, que é artilheiro do torneio com 12 gols, o meia Felipe, que teve atuação de gala contra o Flamengo, também preocupa.

Veja também: Com dores musculares, Jobson desfalca Botafogo na decisão

"O Felipe é um jogador diferenciado, que consegue encontrar espaços na defesa adversária com passes muito eficientes. A tendência é que ele seja novamente muito perigoso. Mas não podemos pensar apenas nele, pois nosso adversário tem um elenco de atletas versáteis e todos podem fazer a diferença”, disse o zagueiro Antônio Carlos. 

No Vasco , a figura de Loco Abreu não é de agradável lembrança. O time de São Januário é o alvo preferido do uruguaio, que já marcou quatro vezes nos pouco mais de dois anos no Botafogo. Neste campeonato, apesar de ter sido criticado pelos gols e penalidades perdidas - seis das últimas sete - já foram nove gols.

Leia ainda: Vasco acende sinal de alerta para final da Taça Rio com Botafogo

Felipe teve grande atuação contra o Flamengo e é a aposta vascaína para a final
Gazeta Press
Felipe teve grande atuação contra o Flamengo e é a aposta vascaína para a final
“O Loco Abreu é um jogador muito perigoso e, pelo visto, voltou a fazer diferença. Com ele bem, o Botafogo deixa de jogar apenas por baixo e ganha uma ótima opção por cima. Mais uma preocupação para nós. O time deles tem entrosamento e joga junto desde o ano passado”, disse Eder Luis.

Vasco é 'freguês' do Bota em finais
Se nos números totais, o Vasco venceu mais o Botafogo - são 140 vitórias contra 84 do Botafogo e 96 empates -, nas decisões o time de General Severiano foi quem mais comemorou. Em sete finais, o Botafogo venceu seis, contra apenas uma do rival. Neste ano, os times se enfrentaram pela fase de classificação da Taça Rio e o Botafogo venceu por 3 a 1, com grande atuação de Fellype Gabriel, que marcou os três gols da sua equipe.

Desfalques
Apesar de tentarem manter o mistério, os treinadores de Vasco e Botafogo deve ter poucas modificações em suas equipes. Cristóvão Borges deverá repetir o time que venceu o Flamengo no último domingo, com Juninho Pernambucano no banco, já que o lateral direito Fagner, o zagueiro Rodolfo e os volantes Eduardo Costa e Fellipe Bastos seguem amparados por efeito suspensivo. Eles foram punidos por conta dos incidentes na derrota de 2 a 1 para o Flamengo pela etapa de classificação da Taça Rio.

Leia mais: Cristóvão avisa que Vasco subiu de produção na hora certa

Pelo lado do Botafogo , a novidade fica por conta do meia Fellype Gabriel, que irá substituir o volante Renato, vetado por conta de uma torção no tornozelo esquerdo. O atacante Jobson, que ficaria no banco de reservas, também foi vetado para a partida, com dores musculares.

FICHA TÉCNICA - BOTAFOGO X VASCO

Local: Estádio Olímpico João Havelange, o Engenhão, no Rio de Janeiro (RJ)
Data: 29 de abril de 2012 (Domingo)
Horário: 16 horas (de Brasília)
Árbitro: Wagner do Nascimento Magalhães (RJ)
Assistentes: Luiz Antônio de Oliveira (RJ) e Rodrigo Henrique Correa (RJ)

BOTAFOGO: Jefferson, Lucas, Antônio Carlos, Fábio Ferreira e Márcio Azevedo; Marcelo Mattos, Fellype Gabriel, Andrezinho, Elkeson e Maicosuel; Loco Abreu
Técnico: Oswaldo de Oliveira

VASCO: Fernando Prass, Fagner, Renato Silva, Rodolfo e Thiago Feltri; Rômulo, Felipe, Felipe Bastos (Juninho Pernambucano) e Diego Souza; Eder Luis e Alecsandro
Técnico: Cristovão Borges