Tamanho do texto

Time tem de vencer por 1 a 0 ou por mais de um gol de diferença no dia 1º de fevereiro para seguir na Libertadores

Ronaldinho Gaúcho recebe carrinho na Bolívia
AP
Ronaldinho Gaúcho recebe carrinho na Bolívia
Apesar de todo o período de adaptação à altitude em Sucre, o Flamengo tropeçou nas próprias falhas em Potosí. Sem aparentar falta de fôlego, o time saiu na frente, mas permitiu a virada do Real Potosí em vacilo da zaga e foi derrotado por 2 a 1. A equipe Vanderlei Luxemburgo, que considerava um empate com gols um "grande resultado", terá agora de recuperar o prejuízo no dia 1 de fevereiro, no Engenhão.

Para garantir vaga na fase de grupos da Libertadores, o time terá de vencer por 1 a 0 ou por mais de um gol de diferença. Vitória por 2 a 1 levará a decisão para os pênaltis e qualquer outro placar com um gol de diferença dará a classificação ao Real Potosí. Quem for adiante, entrará no Grupo 2, que já tem Lanús (ARG), Emelec (EQU) e Olímpia (PAR).

Como já era esperado, o Potosí iniciou o jogo tentando imprimir um ritmo forte. Logo aos 3 minutos, Brittes arriscou um chute da intermediária e, com a bola rápida em função do ar rarefeito, por pouco não surpreende o goleiro Felipe. O camisa 1 do Flamengo novamente sentiu o efeito da altitude na trajetória da bola em bomba de Centurion, aos 9 minutos. A resposta dos cariocas veio um logo depois, em bom chute de Renato que o goleiro Henry Lapczyk defendeu em dois tempos. Na sequência, Deivid recebeu na intermediária e, livre, bateu rasteiro, com perigo.

Veja também: Na volta ao Fla, Vagner Love diz que está de olho na Copa de 2014

A equipe boliviana, correndo bastante na marcação, começou a errar passes no meio e facilitar a estratégia proposta por Vanderlei Luxemburgo, que desde o início dos treinamentos em Sucre pedia que o time valorizasse a posse de bola e explorasse os contra-ataques. Aos 18 minutos, Ronaldinho Gaúcho fez bela inversão para Luiz Antonio, que avançou livre pela direita e tocou para Leonardo Moura, que chegou atrasado. A resposta, porém, foi quase no ângulo de Felipe. Júnior César perdeu a bola e Sebástian Pool quase surpreende os cariocas em belo chute.

Aos 27 minutos, um cruzamento aparentemente sem direção achou Deivid na área e ele quase surpreendeu o goleiro do Potosí que, no entanto, conseguiu tocar para escanteio aos 28 minutos. Um minuto depois, uma pintura de Leonardo Moura. Ele recebeu de Ronaldinho Gaúcho e driblou duas vezes o marcador Rivero pela direita antes de encontrar Luiz Antonio livre para completar para a rede: 1 a 0. Foi o primeiro gol do volante na equipe profissional.

Veja imagens da rodada da Libertadores da América:

A alegria dos cariocas, contudo, durou muito pouco. Aos 31 minutos, os dois times passaram a dosar um pouco mais a velocidade e uma leve chuva começou a cair em Potosí. Aos 44 minutos, quase o empate. Ortiz soltou uma bomba da intermediária, Felipe soltou e a zaga conseguiu cortar. Na seqüência, o goleiro rubro-negro fez milagre. Brittes cabeceou à queima-roupa e Felipe fez bela defesa. Porém, foi marcado impedimento do atacante do Potosí.

O Flamengo começou mais ativo no segundo tempo e, após passe de Ronaldinho, Luiz Antonio foi derrubado na intermediária. Renato Abreu, que treinou cobranças durante todo o período de adaptação em Sucre, se posicionou, mas cobrou mal. Aos 9 minutos, Pool tentou de fora da área, mas sem direção. Aos 12 minutos, Deivid tocou mal no meio de campo, o Potosí recuperou a bola e foi ao ataque. Riveiro, livre, achou Brittes nas costas de David Braz para virar a partida: 2 a 1. A torcida do Potosí, encolhida por causa do frio e chuva, começou a participar mais ativamente.

Vanderlei Luxemburgo então promoveu duas alterações. Airton deu lugar ao argentino Bottinelli e Negueba entrou na vaga de Deivid. Logo na primeira jogada, quase o gol de empate. Negueba avançou em velocidade pela direita e cruzou rasteiro para Bottinelli, que por pouco não alcançou. Aos 21 minutos, Negueba partiu novamente pela direita mas, com Ronaldinho Gaúcho livre na marca do pênalti, cruzou mal. O camisa 10 reclamou. Quatro minutos depois, bela tabela do Flamengo que sobrou para Willians, na esquerda, cruzar para Ronaldinho , que mais uma vez ficou reclamando pelo passe sem direção.

O Flamengo começou a se lançar de qualquer forma ao ataque e, já sem o mesmo fôlego do primeiro tempo, passou a dar perigosos espaços para os contra-ataques da equipe boliviana. Luxemburgo então sacou Willians e lançou Camacho, um dos destaques da vitória dos reservas por 4 a 0 sobre o Bonsucesso, no último sábado, pelo Estadual.

FICHA TÉCNICA – REAL POTOSÍ 2 X 1 FLAMENGO
Local: Estádio Victor Agostín Ugarte, em Potosí (BOL)
Data: 25 de janeiro de 2012, quarta-feira
Horário: 21h50 (de Brasília)
Árbitro: Líber Prudente (URU)
Assistentes: Carlos Pastorino e Carlos Changala (URU)
Cartões amarelos: Léo Moura, Jiménez, Bottinelli, Alarcón, Willians
Gols: Léo Moura, aos 29 minutos do primeiro tempo(Flamengo), Centurión, aos 31 minutos do segundo tempo (Potosí), Britez aos 12 minutos do segundo tempo(Potosí)

Real Potosí: Henry Lapczyk; Ronny Jiménez, Alberto Alarcon, Centurion, Rosauro Rivero; Roly Sejas, Michelena (Tudor), Eduardo Ortiz;Victor Hugo (Ovando), Brittez (Torrez) e Pool. Técnico: Victor Zwenger

Flamengo: Felipe, Leonardo Moura, Welinton, David Braz e Júnior César; Airton (Bottinelli), Luiz Antonio, Willians (Camacho); e Renato Abreu Ronaldinho Gaúcho e Deivid (Negueba). Técnico: Vanderlei Luxemburgo

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.