Tamanho do texto

Time mineiro levou a melhor e estragou a estreia de Márcio Goiano no Criciúma

Os torcedores do Boa , que compareceram nesta sexta-feira, no estádio Dilzon Melo, em Varginha, acompanharam mais uma vitória da equipe do Sul de Minas na Série B do Campeonato Brasileiro. Na estreia de Márcio Goiano no Criciúma , o Boa venceu o Tigre por 2 a 0, chegou a 38 pontos e se aproxima do G4. Os gols da vitória boveta foram anotados pelo armador Carlos Magno, em cobrança de pênalti, e pelo artilheiro Jheimy.

Confira ainda: Classificação atualizada da Série B

O técnico Nedo Xavier teve um desfalque de última hora, já que o lateral direito Carlos César, foi negociado com o Atlético-MG nesta sexta-feira, até maio de 2012. Dessa forma, o comandante boveta, foi obrigado a escalar Olívio improvisado pelo setor. No Criciúma, Márcio Goiano, que estreou no comando da equipe, não conseguiu recolocar o Tigre no caminho das vitórias.

Na sequência do Campeonato Brasileiro, o Boa Esporte visita na próxima terça-feira, o Grêmio-SP, na Arena Barueri. Já o Criciúma, enfrenta no mesmo dia e horário, o Sport, no estádio Heriberto Hulse.

O jogo - Atuando em casa, o Boa já começou a partida assustando o Criciúma com o volante Moisés, que aos três minutos, arriscou arremate da entrada da área, mas a bola passou sobre o travessão. Apesar dos donos da casa terem atacado pela primeira vez, os catarinenses logo equilibraram a partida, demonstrando que o time de Varginha não teria facilidades no jogo.

Porém, a história do jogo mudou aos 11, depois que o auxiliar Michael Correia enxergou toque de mão do zagueiro do Criciúma dentro da área, e marcou o pênalti para o time mineiro. O armador Carlos Magno cobrou com categoria, deslocando o goleiro Bruno, para inaugurar o placar no estádio Dilzon Melo.

Sem desanimar, aos 17, o volante Mateus apareceu livre dentro da área do Boa, e bateu cruzado, mas a bola saiu à direita do arqueiro Luiz Fernando. Aos 20, nova chance para o Tigre, Zé Carlos aproveitou cruzamento de Ramalho e cabeceou com violência, o goleiro boveta foi obrigado a se esticar todo para fazer excelente defesa.

Depois de alguns minutos de pressão dos visitantes, o Boa voltou a tocar bola com mais qualidade, em busca de ampliar o marcador. Aos 25, o avante Jheimy não conseguiu dominar cruzamento da direita e desperdiçou ótima chance de marcar.

Aos 39, depois de contra-ataque em velocidade, o armador Carlos Magno deu excelente assistência para o artilheiro Jheimy, que não perdoou e mandou para o fundo das redes do Criciúma, ampliando a vantagem do Boa e levando os torcedores à loucura nas arquibancadas do Dilzon Melo.

Na volta para a etapa complementar, o técnico Márcio Goiano colocou o Criciúma mais ofensivo, sacando o volante Ramalho para entrada do atacante Marcel. Porém a alteração demorou a fazer algum efeito, e a pressão nos minutos iniciais foi dos donos da casa, que tiveram várias chances de marcar o terceiro gol.

Dono de uma das melhores defesa do Brasileirão, os sistema defensivo do Boa, sempre que foi acionado mostrou precisão para levar vantagem em cima dos atacantes do Criciúma. Aos 18, quando a bola passou pelos zagueiros, o goleiro Luiz Fernando trabalhou bem em cobrança de falta pela direita, e mandou para escanteio.

Aos 21, Carlos Magno puxou contra-ataque em altíssima velocidade, e deu uma assistência com açúcar para Jheimy, que finalizou no travessão. No minuto seguinte, mais uma chance para a equipe mineira com Jean Cléber, que livre dentro da área, bateu cruzado, para mais uma defesa do goleiro Bruno.

Com domínio das ações, a equipe de Varginha administrou a partida como quis, sem dar qualquer possibilidade de reação para o Criciúma. Nos minutos finais do jogo, as duas equipes diminuíram o ritmo, aparentando satisfação com o resultado. Dessa forma, os torcedores bovetas, aguardaram apenas o apito final do árbitro sergipano Rogério Lima da Rocha, para comemorar a vitória.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.