iG - Internet Group

iBest

brTurbo

 

Futebol

17/12 - 08:00

De running back a atacante do Botafogo, Caio revela a paixão por esportes americanos

Torcedor do Boston Celtics na NBA, e do Philadelphia Eagles na NFL, revelação do clube carioca mostra conhecimento e conta que chegou a se arriscar com a bola oval

Renan Rodrigues, iG Rio de Janeiro

Aproveitando as férias ao lado da família, em Volta Redonda, o atacante Caio, do Botafogo, segue ligado nos programas esportivos. Mas nada de futebol ou especulações sobre as últimas transferências dos clubes brasileiros. Fanático por Basquete e Futebol Americano, o jogador não perde uma partida dos seus times favoritos.

Antes de se destacar no Campeonato Carioca como 'talismã' do Botafogo, Caio morou por seis anos nos Estados Unidos. Durante esse tempo, além de aprender uma nova língua e conhecer outra cultura, o atacante até se aventurou com a bola oval. Numa conversa exclusiva com o iG ele conta mais sobre a admiração pelo ala Paul Pirce, o fanatismo pelo Boston Celtics e as dificuldades passadas longe do Brasil.

iG: De onde surgiu a paixão por esportes americanos?
Caio: Me mudei para os Estados Unidos com 10 anos. Fui morar em Boston, Massachussets. Meu pai era pintor em uma empresa e minha mãe trabalhava limpando casas. Como o futebol não é tão popular lá, não passa na televisão com tanta frequência, acabei me interessando pelo basquete e por futebol americano. Fui aprendendo com os colegas da escola e comecei a acompanhar. Desde então não parei, mesmo depois que voltei ao Brasil. Continuo assistindo nos canais da tv fechada.

iG: Quais eram seus times favoritos?
Caio: No basquete o Boston Celtics. Sou fanático pelo Boston, são os maiores vencedores da NBA e acabei acompanhando uma época que eles estavam sem ganhar um título desde 1986. O time é muito tradicional, tem muita história. Meu jogador preferido é o Paul Pierce, que está no Boston desde o começo da carreira. No futebol americano eu gostava do Philadelphia Eagles, porque admiro muito o Michael Vick, quarterback do time. Ele fazia jogadas incríveis e acabei virando torcedor do time, mesmo não sendo da região.

iG: Chegou a jogar algum desses esportes?
Caio: Na escola, a temporada era dividida. No verão, jogava futebol, e no inverno, basquete e futebol americano. Como sempre gostei muito de esporte, me arrisquei em todos. No futebol americano eu era running back. Como eu era muito rápido, recebia a bola e tinha que correr, tentando fintar os adversários e levar a bola o mais longe possível. Mas em uma partida eu acabei fraturando o pulso e deixei um pouco de lado. No basquete eu era armador, também usava bastante a velocidade e o drible. Até que eu não era tão ruim, mas foi no futebol que acabei me destacando mesmo.

iG: Recebeu propostas para jogar por alguma faculdade?
Caio: Pelo futebol sim. Tinha sido eleito o melhor jogador do estado de Massachussets pelo colégio e as universidades de Harvard, da Califórnia e St. John me ofereceram bolsas para jogar e poder estudar, mas acabei voltando para o Brasil. No fim acabou dando certo, acho que fiz a escolha certa.

iG: Chegou a assistir alguma partida ao vivo, nos estádios?
Caio: Fui umas sete vezes no TD Garden, o estádio do Boston. É tudo muito organizado, bonito e confortável. E tem uma das torcidas mais apaixonadas. Já no estádio do Philadelphia Eagles, eu fui só uma vez, até porque a distância era maior. Mas também foi muito bacana.

iG: Tem coleção de camisas dos times? Algum outro objeto?
Caio: Tenho duas camisas do Boston Celtics e tinha uma camisa do Eagles, que acabou ficando com meu pai. Além disso, tenho um boneco miniatura do Kevin Garnett (jogador do Boston) e algumas revistas. Também jogo muito video-game com meu pai, mas sempre sai uma briga para ver quem escolhe o Boston.

iG: Como foi passar a infância nos EUA? Pensa em voltar a morar lá um dia?
Caio: Foi muito interessante, tive a oportunidade de conhecer outra cultura, outra língua. Mas foi difícil também. Tive que fazer um ano do colégio novamente, só existia um brasileiro no começo, dificuldades naturais de quem vai para outro país. Minha mãe só voltou nesse ano, mas graças a Deus eu posso ajudar eles hoje e deixar minha família perto de mim. Estou tentando retribuir o que eles fizeram por mim. Voltar aos Estados Unidos agora só para viajar, passar férias na Disney ou rever os amigos que eu deixei lá.

iG: Acredita no título do Boston ou do Eagles nesta temporada?
Caio: O Boston está com um bom time. Na partida da última quarta-feira eu estava assistindo e eles venceram o New York Knicks de virada, com uma cesta no último segundo. Foi incrível. Esse jogo deu uma animada, o time é um dos líderes e acho que pode ser campeão sim. Já o Eagles eu não sei, o futebol americano é mais disputado, existem vários times que podem conquistar o título, mas vou torcer.


Leia mais sobre: Caio Botafogo NFL Boston Celtics Philadelphia Eagles NBA

> Você tem mais informações? Envie para Minha Notícia, o site de jornalismo colaborativo do iG


Photocamera

botafogo_atletico_go_caio_loco_abreu

Caio
Atacante recebeu proposta de faculdades dos Estados Unidos para jogar futebol

Topo
Contador de notícias