iG - Internet Group

iBest

brTurbo

 

Futebol

14/12 - 17:32

Anúncio em jornal reacende a polêmica Schmitt-Coritiba
Procurador-geral do STJD foi ironizado por torcedores do clube, que até hoje atribuem a ele a culpa pela punição imposta pelo tribunal, por causa da invasão do Couto Pereira

Altair Santos, iG Curitiba

Um anúncio de jornal, intitulado “Agradecimento” causa polêmica no futebol paranaense. Publicado na edição de segunda-feira do jornal "Tribuna do Paraná", de Curitiba, a publicidade traz um texto assinado por “Torcedores do Coritiba F.C”. O conteúdo ironiza o procurador-geral do STJD, Paulo Schmitt, que para os torcedores do clube paranaense é tachado de responsável pela punição imposta após a invasão do estádio Couto Pereira, em 6 de dezembro de 2009.

O anúncio diz o seguinte: “Os torcedores do Coritiba agradecem ao justo e honesto procurador Paulo Schimitt, que com sua tenacidade conseguiu aplicar a maior pena a um clube de futebol na história do Brasil. Sim, agradecemos, pois só assim o Coritiba pôde mostrar mais uma vez ao Brasil, e também à mídia internacional, porque é o maior clube do estado do Paraná e um dos maiores do Brasil. Não é qualquer clube que enfrenta uma penalidade destas e na 34ª rodada já está com a classificação à Série A garantida e na 37ª já é campeão. O Coritiba disputou 29 partidas fora de seu estádio, sem contar com o apoio maciço dos seus torcedores, e apenas 9 no Couto Pereira. Para cumprir esta brilhante trajetória, o Coritiba rodou em 8 meses aproximadamente 55.000 quilômetros pelo território brasileiro, o equivalente a 6.785 quilômetros por mês, obtendo 21 vitórias – marca não ultrapassada por nenhum clube da série A nesta temporada. Portanto, finalizamos desejando ao Paulo Schimitt saúde e vida longa para poder acompanhar o crescimento e a grandeza do nosso Coritiba.”

Paulo Schmitt, que é torcedor do Atlético-PR, quando denunciou o Coritiba ao STJD havia enquadrado o clube em artigos que poderiam resultar em 30 jogos de pena. No julgamento, o tribunal reformou a denúncia e reduziu para dez. Na época em que o caso tramitou no STJD, o procurador já havia sido alvo de várias críticas de torcedores do Coritiba. A ponto de rebater com declarações polêmicas: “Os paranaenses têm síndrome de vira-latas”.

O procurador, que estará na função até junho de 2012, avalia que a pressão faz parte da liturgia do cargo. Ele só lamenta que tenha seu trabalho mais respeitado fora do Paraná.  “Clubes com maior influência nacional e internacional respeitam mais nosso trabalho, mas os daqui acham que podem falar o que quiserem”, disse Schmitt, na época da polêmica.

Perguntado sobre qual a responsabilidade a respeito do anúncio publicado no jornal, o Coritiba disse não ter nenhuma. Para o advogado Itamar Cortez, que defende as causas do clube no STJD, ele não avalia que possa haver alguma retaliação futura. “O Coritiba, como instituição, não interferiu nisso e nunca foi tratado de forma diferente no STJD e, acredito, não será daqui para frente”, disse. 


Leia mais sobre: Paulo Schmitt STJD Coritiba

> Você tem mais informações? Envie para Minha Notícia, o site de jornalismo colaborativo do iG


Reprodução

paulo schmitt

Paulo Schmitt
Procurador é torcedor do Atlético-PR e chegou a pedir 30 jogos de suspensão para o Coritiba

Topo
Contador de notícias