iG - Internet Group

iBest

brTurbo

 

Futebol

04/12 - 13:28

Presidente da federação decreta o fim do Pinheirão
Estádio, que foi palco de muitas conquistas do Paraná Clube, não vai servir mais ao futebol. Futuro da área deve ser a absorção pelo mercado imobiliário

Altair Santos, iG Curitiba

Para o Paraná Clube, em especial, o estádio Pinheirão traz boas recordações. Foi lá que a equipe disputou boa parte de seus jogos quando estava na primeira divisão do Campeonato Brasileiro (entre 1993 e 2007). Além disso, foi no local que o clube ganhou a maioria dos títulos que acumulou na década de 1990. Só que, se depender do presidente da Federação Paranaense de Futebol, Hélio Cury, os paranistas deverão se contentar apenas em recordar os bons momentos vividos no Pinheirão.

Segundo o dirigente, o estádio não será mais reaberto. “O estádio está interditado e penhorado e a federação não tem nada o que fazer”, disse Cury, apesar de a entidade ser a dona do Pinheirão. Desde 2007, o local foi lacrado judicialmente, por conta das dívidas que a FPF acumulou por 20 anos com o INSS e por atrasos constantes no pagamento do IPTU. Perguntado se haveria uma solução para voltar a reabrir o estádio, Cury foi tácito. “Não tem plano B, não tem plano C, não tem nada”, explicou.

Estima-se que a dívida acumulada do estádio estaria hoje em torno de R$ 20 milhões. Para viabilizá-lo novamente, só se houvesse a intervenção do poder público. No entanto, governo estadual e prefeitura de Curitiba lavaram as mãos. O Pinheirão poderia ser a opção para sediar jogos para a Copa do Mundo de 2014, mas optou-se pela solução mais barata: a Arena da Baixada. Assim, a aposta futura é que a área venha a ser absorvida pelo mercado imobiliário. Isso, se a dívida que envolve o estádio não se tornar impagável.


Leia mais sobre:

> Você tem mais informações? Envie para Minha Notícia, o site de jornalismo colaborativo do iG


Topo
Contador de notícias