iG - Internet Group

iBest

brTurbo

 

Futebol

02/12 - 16:06

Endividamento faz Paraná "cortar na carne" em 2011

Clube terá elenco enxuto, barato e repleto de revelações. Objetivo é que a folha salarial não passe de R$ 100 mil por mês

Altair Santos, iG Curitiba

O Paraná Clube chegou a uma conclusão óbvia, mas que demorou muito tempo para ser entendida por sua diretoria: em 2011, só vai gastar o que arrecadar. Desde 2008, na tentativa de voltar à primeira divisão do Campeonato Brasileiro, o clube tem cometido estripulias financeiras que resultaram em um endividamento superior a R$ 30 milhões, segundo mais recente levantamento da consultoria Crowe Horwath RSC.

Boa parte desta dívida se refere a questões trabalhistas com jogadores de futebol. O Paraná transformou-se em um contumaz atrasador de salários, e os atletas, após encerrados os contratos, recorrem para receber o que lhes é devido. O clube não revela a quantidade de ações a que responde na Justiça do Trabalho, mas estima-se que hoje o número seja superior a 50. Por isso, a diretoria decidiu rever seus investimentos no futebol.

Para a próxima temporada, revela o presidente Aquilino Romani, a folha de pagamento não deverá passar de R$ 100 mil. “Se quisermos sobreviver, vamos ter de cortar na carne”, diz. A estratégia do clube é promover o maior número possível de jogadores sub-18, sub-19 e sub-20 e enxertar no elenco alguns mais experientes. Da equipe titular de 2010, poucos vão ficar.

Por enquanto, só o goleiro Juninho se propôs a abrir negociações. Já os zagueiros Luís Henrique e Irineu – destaques da equipe na série B – preferiram buscar o mercado do interior paulista. O técnico Roberto Cavalo lamenta, mas anuncia que vai procurar fazer do limão uma limonada. “O ideal seria manter uma espinha dorsal, mas será difícil. Mesmo assim, tentaremos ser competitivos.”

Na Série Bdeste ano, o Paraná Clube tinha uma folha salarial de R$ 300 mil. Era a segunda mais baixa, só atrás do Icasa. Segundo a diretoria, para extrapolar o teto de R$ 100 mil que será estabelecido para 2011, só se surgir alguma parceria que banque a diferença.

Projetando receita de R$ 1,5 milhão para o ano que vem, entre cotas de TV, patrocínio e arrecadações, o Paraná tem como meta principal na próxima temporada não fazer crescer seu endividamento. “No ano passado, fechamos com déficit de R$ 6 milhões. Neste ano, o déficit caiu para R$ 1 milhão. Em 2011, queremos pelos menos zerar”, antecipa Romani. 


Leia mais sobre:

> Você tem mais informações? Envie para Minha Notícia, o site de jornalismo colaborativo do iG


Topo
Contador de notícias