iG - Internet Group

iBest

brTurbo

 

Futebol

10/11 - 11:48

Fenômenos Renato e Arena impulsionam as vendas no Grêmio

Camisa “retro” de 1983, e miniatura do estádio Olímpico ajudam marketing a aumentar sua fatia no orçamento

Altair Santos, especial para o iG

Atualmente, na famosa Rua da Praia, em Porto Alegre, é normal ver gremistas desfilarem com camisas “retrô” de 1983, ano em que o Grêmio ganhou o título mundial. Trata-se de uma linha lançada após a chegada do técnico Renato Portaluppi e que tem feito a alegria do marketing do clube. “Ela já rivaliza com a venda da camisa do uniforme número um”, diz Caco Keller, diretor de marketing da equipe gaúcha.

Segundo a gerência da loja Grêmio Mania, a expectativa é fechar o ano com 5 mil exemplares vendidos da camisa retrô. Ainda mais que, recentemente, o sucesso de vendas propiciou o lançamento de um modelo feminino. “Com o fenômeno Renato, a loja duplicou o faturamento. Tanto que o fornecedor, para atender a demanda, precisou aumentar a produção para dar conta. A camisa do Renato de 1983, seja no modelo masculino ou feminino, é a mais procurada, seguida da do Jonas e do goleiro Victor”, explica João Basílio, gerente da butique gremista.

O fato é que Renato, como era a expectativa do marketing do Grêmio, impulsionou a venda de produtos relacionados ao Grêmio, sobretudo as camisas. Mas não é apenas o técnico que tem feito a alegria do clube. O novo estádio do clube também. Apesar de a obra não precisar de recursos de marketing para se financiar, pois todo o orçamento é bancado pela construtora OAS, a Arena Grêmio alavancou o comércio de um suvenir do estádio Olímpico.

Como a atual casa gremista será desativada quando a arena estiver concluída, provavelmente em 2013, os torcedores empreenderam uma corrida para ter lembranças do Olímpico. O campeão é uma réplica em miniatura do estádio, vendida por pouco mais de 50 reais. Importada, a peça já obrigou o Grêmio a requerer outro lote. “Ela já existia antes mesmo do projeto do novo estádio, mas agora virou uma febre”, cita Caco Keller. “A miniatura do Olímpico se consolida cada vez mais nas vendas a partir do momento que o torcedor do Grêmio vai tomando consciência de que o Olímpico vai ser demolido e quer ficar com uma lembrança”, afirma o gerente da Grêmio Mania.

Atualmente, o marketing do Grêmio, somando todas as ações, responde por 28% do faturamento do clube. Na avaliação do departamento, a chegada de Renato Gaúcho e a saudade antecipada do Olímpico fizeram a conta aumentar em 3%. “Antes, estávamos na faixa dos 25%. Com esse impulso, já estamos em 28%, mas podemos fechar o faturamento em 30%”, estima Keller, torcendo para que a nova gestão do clube, que assume em 2011, saiba explorar ainda mais esses fenômenos de venda do Grêmio.


Leia mais sobre: Grêmio Renato Gaúcho Arena Grêmio

> Você tem mais informações? Envie para Minha Notícia, o site de jornalismo colaborativo do iG


Topo
Contador de notícias