iG - Internet Group

iBest

brTurbo

 

Futebol

31/10 - 18:36

Trocas de comando bem sucedidas abalam mito do planejamento
Em 2010, Campeonato Brasileiro vê times como Atlético-GO, Atlético-MG, Corinthians, Cruzeiro, Flamengo e São Paulo reagirem após substituição de treinadores

Levi Guimarães, iG São Paulo

“O fundamental para o sucesso de qualquer time em uma competição por pontos corridos é o planejamento de longo prazo. Todo treinador precisa de tempo para que seu trabalho dê resultado”. As frases anteriores viraram discurso padrão entre dirigentes e comentaristas nos últimos anos, com a implantação dos pontos corridos como fórmula de disputa do Campeonato Brasileiro. Mas alguns resultados recentes permitem que essa lógica seja questionada.

Entre 2006 e 2008, é verdade, o São Paulo se beneficiou do tal “planejamento” e “tempo de trabalho” para o treinador. Começando e terminando aquelas temporadas com Muricy Ramalho no comando, o time conquistou o tricampeonato consecutivo. Mas em 2009, isso mudou. O campeão foi o Flamengo, treinado por Andrade, que assumiu o time como interino na 14ª rodada e acabou seguindo até o final.

Em 2010, são muitos os exemplos de times que se acertaram na competição depois de substituírem o técnico. De candidatos ao título, como Cruzeiro e Corinthians, a equipes que lutam para fugir da zona de rebaixamento, como Atlético-MG, Atlético-GO e Flamengo, passando por aquelas que ainda sonham com uma vaga na Libertadores, como São Paulo, Grêmio e Palmeiras.

As únicas exceções em um campeonato que já teve mais de 30 trocas de treinadores (se forem contabilizados também os interinos) são Fluminense, Botafogo e Guarani, que mantêm seus comandantes desde a primeira rodada. Respectivamente, Muricy Ramalho, Joel Santana e Vágner Mancini. Veja abaixo como outras equipes mudaram drasticamente de desempenho no Brasileirão justamente indo contra ideias como “longo prazo”, “planejamento” e “projeto”.

Vipcomm
Cuca chegou ao Cruzeiro com o Brasileirão já em andamento

Cruzeiro
Os mineiros eram comandados por Adílson Batista até a sétima rodada. Depois de uma derrota por 2 a 1 para o Atlético-GO, Adílson foi demitido e substituído por Cuca. Atualmente o Cruzeiro ocupa a vice-liderança com os mesmos 57 pontos do Fluminense (está atrás apenas pela diferença no saldo de gols).

Corinthians
Começou o Brasileirão com Mano Menezes no comando e quando o treinador assumiu a seleção brasileira deixou a equipe na liderança. Com Adílson Batista, o time se manteve sempre entre os três primeiros, mas teve uma sequência de cinco jogos sem vitória e o técnico foi demitido depois de derrota no Pacaembu para o Atlético-GO. Tite, o substituto, estreou encerrando a crise ao vencer o clássico contra o Palmeiras. Agora com 54 pontos, o Corinthians segue como um dos principais candidatos ao título, ao lado de Fluminense e Cruzeiro.

São Paulo
Com Ricardo Gomes no comando, o São Paulo priorizou a Copa Libertadores até cair nas semifinais diante do Internacional, na primeira semana de agosto. Após a eliminação, o treinador foi dispensado. O Brasileirão estava na 12ª rodada e o time ocupava o nono lugar na tabela. Com o interino Sérgio Baresi, chegou a ficar em 15º, mas desde que Paulo César Carpegiani assumiu venceu quatro de cinco jogos, subiu para sétimo e segue sonhando com uma vaga na Libertadores.

Grêmio
Talvez a maior reviravolta provocada pela troca de treinador no Brasileirão 2010. Silas deixou o time depois da derrota para o Fluminense na 13ª rodada, ocupando a 17ª posição. Ou seja, o Grêmio vivia ameaça real da zona de rebaixamento. Com a chegada de Renato Gaúcho, se afastou da parte debaixo da tabela, chegou a ficar sete jogos consecutivos sem perder e hoje ocupa o nono lugar, também ainda brigando por um lugar ao menos no G4 - que dará vaga na Libertadores se nenhum time brasileiro vencer a Copa Sul-Americana.

Palmeiras
Antônio Carlos Zago comandou o time apenas nas duas primeiras rodadas e foi substituído pelo interino Jorge Parraga. Depois do intervalo para a Copa do Mundo Luiz Felipe Scolari assumiu o time e embora o Palmeiras ainda ocupe apenas a 10ª posição, tem os mesmos 47 pontos de São Paulo, Atlético-PR e Grêmio. Além disso, é um dos quatro times brasileiros com chance de garantir vaga na Libertadores 2011 em caso de título da Sul-Americana.

Flamengo
Atual campeão, o Flamengo começou o Brasileirão com Rogério Lourenço no comando. Ele deixou o time após a 17ª rodada, ocupando o 13º lugar. Silas assumiu e a situação só piorou, com o time caindo para 15º, a poucos pontos da zona de rebaixamento. Na 28ª rodada, Vanderlei Luxemburgo chegou e deu início à reação. Foram duas vitórias e três empates até agora e se o time não conseguiu uma grande “disparada”, pelo menos conquistou uma margem de pontos maior em relação aos quatro últimos.

Atlético-GO
A equipe goiana começou o Brasileirão com Geninho, depois contratou Roberto Fernandes e chegou a ocupar a lanterna do Brasileirão por 11 rodadas consecutivas. Mas desde a chegada de Renê Simões, os resultados sofreram mudança drástica. O time ainda está ameaçado pelo rebaixamento para a Segundona, mas hoje ocupa o 15º lugar e está muito mais próximo de escapar.

Atlético-MG
Vanderlei Luxemburgo esteve à frente do clube mineiro até a 24ª rodada, mas foi demitido depois da goleada por 5 a 1 para o Fluminense, deixando o time no 18º lugar com apenas 21 pontos - 4 a menos que o primeiro time fora da zona de rebaixamento, o Avaí. Depois de oito jogos sob o comando de Dorival Júnior, o Atlético-MG continua entre os times que seriam rebaixados, no 17º lugar. Hoje, no entanto, três rivais (Vitória, Atlético-GO e Guarani) tem menos de três pontos a mais.


Leia mais sobre:

> Você tem mais informações? Envie para Minha Notícia, o site de jornalismo colaborativo do iG


AE

Luxemburgo

Vanderlei Luxemburgo
Treinador deixou o Atlético-MG na zona de degola e agora faz boa campanha à frente do Flamengo

Topo
Contador de notícias