iG - Internet Group

iBest

brTurbo

 

Futebol

21/09 - 07:30

Times do Brasileirão só podem contratar até a próxima semana. Veja opções
Saiba quais são os principais jogadores que ainda estão disponíveis no mercado da bola e podem reforçar os vinte clubes da primeira divisão

Allan Brito, iG São Paulo

Seu time ainda precisa de um goleiro experiente? E de um lateral jovem e com fôlego para correr bastante? Ou será que seu clube sente mais falta de meias velozes? Pois saiba que existem algumas dessas opções disponíveis no mercado da bola para que os times brasileiros tentem melhorar seus elencos. No entanto, as diretorias precisam agir rapidamente, pois essas transferências só serão aceitas se forem fechadas até o início da 26ª rodada do Campeonato Brasileiro. Ou seja, até terça ou quarta-feira da próxima semana.

De acordo com o regulamento da CBF (Confederação Brasileira de Futebol), as transferências internacionais já estão vetadas, e para que um jogador mude de clube internamente ele não pode ter disputado mais do que seis jogos pelo Campeonato Brasileiro da Série A. Poucos destaques se enquadram nesse perfil, mas existem opções razoáveis para time que precisam completar o elenco, tão importante na reta final da competição, quando suspensões e lesões atormentam os técnicos.

Posição por posição, veja a lista dos principais jogadores que têm menos de sete jogos no Brasileirão e que realmente podem ser negociados por seus clubes:

Goleiros
Abbondanzieri (Internacional) - 6 jogos
Aranha (Atlético-MG) - 4 jogos
Bosco (São Paulo) - 0 jogo
Felipe (Santos) - 6 jogos
Lauro (Internacional) - 5 jogos
Tiago (Vasco) - 0 jogo

Não faltam times que têm reservas de qualidade em seu elenco e por isso poderiam liberá-los para que busquem chances em outros lugares. E o perfil deles não é igual. Existem revelações que não se firmaram, como Felipe e Tiago. Mas também há arqueiros experientes, que já tiveram bons momentos e agora estão em baixa, como Abbondanzieri, Bosco e Lauro.

Laterais-direitos
Medina (Avaí) - 3 jogos
Moacir (Corinthians) - 4 jogos

Medina surgiu no Avaí como uma grande promessa do time catarinense. Chegou a jogar no meio-campo também, mas agora ele briga por posição na lateral com Patric, que tem feito um bom Campeonato Brasileiro e não tem deixado chances para seu jovem rival se firmar. Já Moacir surgiu no Sport e tem sido apenas uma opção pouco utilizada no banco, ficando na reserva de Alessandro.

Zagueiros
Augusto (Goiás) - 4 jogos
Cássio (Fluminense) - 2 jogos
Danny Morais (Botafogo) - 5 jogos
Leandro Castán (Corinthians) - 5 jogos

Aqui não há opções de jogadores experientes, mas todos são jovens que ainda podem evoluir e se valorizar. Augusto surgiu no Avaí em 2009, foi importante na arrancada surpreendente do time catarinense no Brasileirão, mas não conseguiu ter uma sequência de jogos no Goiás. As histórias de Danny Morais, ex-Inter, e Leandro Castán, ex-Grêmio Prudente, são parecidas. Resta saber quem terá um destino diferente e conseguirá se recuperar daqui pra frente.

Laterais-esquerdos
Carleto (São Paulo) - 0 jogo
Gabriel Silva (Palmeiras) - 6 jogos
Jadílson (Goiás) - 4 jogos
Rodrigo Alvim (Flamengo) - 2 jogos
Uendel (Grêmio) - 1 jogo

É uma posição de pouca renovação e carente em vários times do Brasil, tanto que um dos principais destaques do Brasileirão nesse setor ainda tem sido o veterano Roberto Carlos. Os jogadores acima citados não têm o mesmo nível que o pentacampeão, mas podem reencontrar o bom futebol que já mostraram ou finalmente confirmar as expectativas criadas quando eles eram das categorias de base dos seus times.

Volantes
Boquita (Corinthians) - 6 jogos
Edu (Corinthians) - 1 jogo
Roberto Brum (Santos) - 4 jogos
Túlio Souza (Botafogo) - 5 jogos
Wellington (São Paulo) - 4 jogos

Boquita, Roberto Brum e Túlio Souza são reservas, mas foram utilizados recentemente em seus times, o que pode dificultar as negociações. Já Edu chegou tinha esperança de jogar com mais frequência quando o Corinthians trocou de técnico, mas continuou "esquecido" no elenco de Adilson Batista. Assim como Wellington, jovem promessa que nunca conseguiu uma sequência de jogos no São Paulo.

Gazeta Press
Colega de Adilson Batista (à direita) há anos, Edu (centro) imaginava que receberia mais chances com a mudança de técnico no Corinthians

Meias
Carlinhos Paraíba (São Paulo) - 6 jogos
Netinho (Atlético-PR) - 6 jogos
Willians (Fluminense) - 2 jogos
Tartá (Fluminense) - 4 jogos
Válber (Avaí) - 5 jogos

As características de todos eles são praticamente as mesmas: habilidosos, velozes, mas não muito técnicos. Mesmo assim, já conseguiram algum destaque na carreira e a maioria deles ainda tem alguma possibilidade de conseguir espaço em seus times, já que recentemente receberam oportunidades. É o caso de Carlinhos Paraíba e Netinho, por exemplo. Já os jogadores do Fluminense estão em baixa com Muricy Ramalho, enquanto Válber chegou a ser especulado no Flamengo recentemente.

Atacantes
Edu (Internacional) - 6 jogos
Rafael Coelho (Vasco) - 4 jogos

Aqui as opções de perfis são mais variadas. Quando saiu do Brasil, Edu era um jogador que costumava sair mais da área e participar do jogo, mas poucas vezes conseguiu mostrar essas qualidades no Inter. Por outro lado, Rafael Coelho foi um centroavante mais fixo e goleador no Figueirense, mas ficou no banco de reservas do Vasco por um longo tempo, só recebendo mais chances nos últimos jogos do campeonato.

Vipcomm
Edu jogou e fez gol pelo Inter no último final de semana, mas ainda não ultrapassou seu limite de jogos para ser transferido no Brasileirão

Outras opções
Além dos jogadores de outros times da primeira divisão, os clubes da Série A também podem buscar opções em outras divisões do futebol brasileiro. Atentos a isso, Grêmio, Vasco e Palmeiras já tentaram tirar do Sport um dos principais destaques da Série B, o jovem atacante Ciro, artilheiro da competição até agora, com treze gols. O time gaúcho também buscou outro matador da segunda divisão: Jael, que tem nove gols anotados e vai ficar mesmo no Bahia até o final de 2010.

Além desses destaques, a Série B pode oferecer mais opções para quem disputa o título do Brasileirão. O lateral-esquerdo Ávine, do Bahia, por exemplo, é um jovem de apenas 22 anos que tem sido uma importante opção ofensiva do líder da competição. Bruno Collaço, da Ponte Preta, é outro jovem jogador da mesma posição que tem conseguido jogar bem.

Jogadores importantes de equipes que estão na briga pelo acesso, Enrico, do Coritiba, e Maicon, do Figueirense, são dois meias que têm chamado a atenção na Série B. Se não forem contratados por outros times ainda neste ano, a chance de mudarem de clube aumentará em 2011.

Uma última saída para os times da primeira divisão pode ser a busca por jogadores que estão sem contratos. Eles também podem ser registrados até a semana que vem. É nessa situação que está, por exemplo, o zagueiro Álvaro, campeão brasileiro pelo Flamengo na última temporada.


Leia mais sobre: Mercado da bola Campeonato Brasileiro

> Você tem mais informações? Envie para Minha Notícia, o site de jornalismo colaborativo do iG


Vipcomm

Lauro

Lauro
Titular no começo do Brasileirão, goleiro virou a terceira opção entre os goleiros do Inter

Topo
Contador de notícias