iG - Internet Group

iBest

brTurbo

 

Futebol

05/09 - 17:59, atualizada às 08:52 06/09

Palmeiras apaga no segundo tempo, Cruzeiro faz três e vence de virada no Pacaembu

Meia teve participação nos três gols do Cruzeiro durante a virada sobre o Palmeiras no Pacaembu

Danilo Lavieri, iG São Paulo

O Cruzeirou venceu o Palmeiras de virada de uma forma impressionante por 3 a 2. O jogo pode ser definido por dois tempos completamente diferentes. Na etapa inicial, a equipe paulista dominou as ações, abriu 2 a 0 e teve em Marcos Assunção o seu principal líder dentro de campo. A defesa era sólida, errava pouco e dava a segurança necessária para o meio-campo criar sem preocupações. Kleber e Valdivia sofriam muitas faltas dentro de campo e preocupavam o rival.

No segundo tempo, o time mineiro voltou muito melhor. Deixou o 3-5-2, adotou o 4-4-2 e mandou no jogo. Roger foi o maestro, fez um gol, deu passe para o outro e iniciou a jogada do terceiro, garantindo a vitória sensacional. Kleber pouco pôde fazer e ainda levou o cartão amarelo por reclamação, Valdivia deixou o campo e reclamou de Felipão, e a equipe visitante fez todas as jogas perigosas, virando a partida.

A derrota de virada  também lembrou o péssimo segundo tempo do jogo entre Palmeiras e Botafogo na 10ª rodada do Brasileirão. Na ocasião, o time paulista teve melhor "sorte", quando o time abriu 2 a 0 e sofreu o empate. A derrota deixa o Palmeiras com 24 pontos na mesma colocação, a 9ª. O Cruzeiro vai a 31 pontos, mesmo número de pontos do Botafogo, que está na 3ª colocação.

Assista aos gols do jogo


O jogo - veja como foi, lance a lance, a partida no Pacaembu
A bola mal começou a rolar, e Kleber e Valdivia já começaram a sofrer com a marcação. Logo no primeiro lance, o camisa 30 foi disputar uma bola aérea com Gil, caiu e reclamou da falta. Héber Roberto Lopes encarou o jogador e mandou levantar. O mesmo tipo de jogada se repetiu outras três vezes em sequência. Foi o suficiente para a torcida protestar, e para Felipão levantar do banco de reservas e orientar seus jogadores a não falarem com o árbitro.

Aos 10 minutos, a primeira boa chance. Marcos Assunção, sempre ele na bola parada chutou firme e bem colocado, e Fábio fez boa defesa. A resposta veio rápida. Dois minutos depois, em jogada de contra-ataque, Diego Renan deu belo drible em Pierre, emendou outra boa finta para cima de Rivaldo, que acabou fazendo a falta. Na batida, Montillo colocou no ângulo do Palmeiras, e Marcos fez excelente defesa espalmando para lateral.

O jogo era movimentado, mas as equipes não eram eficientes o bastante para assustar os goleiros. Até que aos 21 minutos, Fabrício recebeu bom passe de Valdivia e, na entrada da área, chutou cruzada de perna esquerda. A bola cruzou a área inteira, e foi parar nas mãos de Fábio, levantando a torcida palmeirense. Quatro minutos mais tarde, Edcarlos, da entrada da área, chutou forte, no centro do gol. Com a visão incoberta, Marcos colocou para o escanteio.

AE
Montillo, do Cruzeiro, comemora segundo gol do Cruzeiro no Pacaembu

Gil sofria bastante para marcar Kleber. Abusava das faltas e acabou punido com o cartão amarelo aos 26 minutos por uma infração na intermediária. Marcos Assunção bateu mais uma vez bem colocado. Fábio se ajoelhou no seu canto direito para fazer a defesa. Logo depois disso, Cuca inverteu a marcação e colocou Edcarlos para marcar o camisa 30.

Aos 35 minutos, Fabrício esperava cruzamento de Marcos Assunção e foi agarrado por Wellington Paulista e Léo. Heber Roberto Lopes não teve dúvida e marcou o pênalti a favor do Palmeiras. Na batida, Kleber bateu no centro do gol e abriu o placar a favor do dono da casa. O atacante preferiu não comemorar, ao contrário da torcida, que explodiu de alegria e ensaiou até mesmo um coro de "olé" logo após o gol após bela jogada de Rivaldo.

O gol colocou o Palmeiras ainda mais dominante dentro de campo.
Valdivia fez mais um belo passe, colocou a bola nos pés de Edinho que, da entrada da área, chutou com certo efeito na bola que fez Fábio espalmar para escanteio. Na cobrança de Marcos Assunção, Maurício Ramos, no primeiro poste, desviou para o fundo das redes do Cruzeiro, aumentando a vantagem aos 37 minutos do segundo tempo. Antes ainda de acabar a etapa inicial, Kleber disputou bola pela direita e chutou por cima do gol.

Na volta para o segundo tempo, o Cruzeiro mudou seu esquema de jogo do 3-5-2 para o 4-4-2. Saiu o pendurado zagueiro Gil para a entrada de Roger, e o sumido Wellington Paulista para a entrada do argentino Farías. A troca surtiu efeito, e o time mineiro aumentou o seu volume de jogo.

Aos 10 minutos, Farías tentou alcançar uma bola e acabou acertando o joelho de Marcos, que caiu no gramado sentindo muita dor. O camisa 12 já havia deixado o primeiro tempo reclamando de dores e foi substituído por Deola sob muitas homenagens. No primeiro lance dentro de campo, o goleiro reserva não levou sorte. Aos 15 minutos, Roger pegou rebote da defesa da entrada da área, chutou e contou com o desvio de Maurício Ramos para diminuir a diferença no placar.

Milton Trajano

Roger estava inspirado. Aos 19 minutos, dominou a bola no peito, fez belo passe para Thiago Ribeiro, que não deu chances para Deola ao chutar forte e cruzado à direita do goleiro. O gol acelerou a substituição que já vinha sendo preparada por Luiz Felipe Scolari.
Tinga entrou no lugar de Valdivia, que não gostou de ser substituído e saiu reclamando de seu técnico.

O que era o ponto forte no primeiro tempo acabou virando o problema no segundo tempo. A defesa do Palmeiras não conseguia se entender e viu Farías subir mais alto que todo mundo aos 23 minutos para quase virar o placar. Para tentar mudar a situação, Felipão colocou o salvador do último jogo, Ewerthon, no lugar de Rivaldo. O atacante não teve a mesma sorte da última vez e ainda viu Farías, aos 40 minutos, empurrar para as redes já vazias depois de belo passe de Thiago Ribeiro.

FICHA TÉCNICA: PALMEIRAS 2 x 3 CRUZEIRO

Local: Estádio do Pacaembu, em São Paulo (SP)
Data: 05 de setembro de 2010, domingo
Horário: 16 horas (de Brasília)
Árbitro: Heber Roberto Lopes (Fifa-PR)
Assistentes: Roberto Braatz (Fifa-PR) e Rodrigo Pereira Joia (RJ)
Público: 23.542 pessoas
Renda: R$ 620.526,00
Cartões Amarelos:Rivaldo (Palmeiras); Gil e Jonathan (Cruzeiro)

Gols:Palmeiras: Kléber, aos 35 minutos do primeiro tempo, e Maurício Ramos, aos 37
Cruzeiro: Roger, aos 14 minutos do segundo tempo; Montillo, aos 18; e Farías, aos 41

PALMEIRAS: Marcos (Deola); Maurício Ramos, Danilo e Fabrício; Márcio Araújo, Pierre, Edinho, Marcos Assunção e Rivaldo (Ewerthon); Valdívia (Tinga) e Kleber.
Técnico: Luiz Felipe Scolari

CRUZEIRO: Fábio; Gil (Roger), Léo e Edcarlos; Jonathan, Marquinhos Paraná, Henrique, Montillo e Diego Renan; Wellington Paulista (Farías) e Thiago Ribeiro
Técnico: Cuca


Leia mais sobre: Cruzeiro Palmeiras

> Você tem mais informações? Envie para Minha Notícia, o site de jornalismo colaborativo do iG


AE

palmeiras x cruzeiro roger

Roger
Jogador, que entrou no segundo tempo, mudou a história da partida e conduziu o Cruzeiro à virada

Topo
Contador de notícias