iG - Internet Group

iBest

brTurbo

 

Futebol

01/09 - 07:02

O sonho de Matheus, 11 anos: ser presidente do Corinthians
Garoto já tem até a campanha "Matheus 2030", com assessoria de imprensa e foto sentado na sala da presidência. Nome é em homenagem a Vicente Matheus, seu "avô por consideração"

Marcel Rizzo, iG São Paulo

Não foi preciso marqueteiro, função que até outro dia não existia e que ganhou importância nas recentes batalhas eleitorais, para imaginar qual o tema da campanha de Matheus Silveira Miguel para presidente do Corinthians: “o Matheus de volta à presidência”.

Neto por consideração do folclórico Vicente Matheus, ex-presidente corintiano que morreu em 1997, o garoto Matheus nunca quis ser jogador de futebol, sonho de nove entre dez meninos de sua idade – 11 anos, ele completa 12 em dezembro. Treinador, então, nem pensar. Desde que se entende por gente ele quer ser presidente do Corinthians.

Marcel Rizzo
Matheus posa ao lado da foto do dia que conseguiu entrar na sala da presidência e tirar uma foto na cadeira do Dualib


“Quando eu tinha dois anos, me perguntaram o que seria quando crescesse. Eu disse presidente do Corinthians como o vovô Matheus”, contou o garoto, que não conheceu o avô de consideração, falecido um ano antes dele nascer. Matheus foi “adotado” por Marlene, viúva e também ex-presidente do clube. “Meu pai foi amigo do Vicente, então sempre convivi com a família. O nome do meu filho, claro, foi homenagem a ele”, disse Roberto William Miguel, pai de Matheus.

A campanha de Matheus não é piada ou devaneio de seu pai. Ele tem, por exemplo, assessora de imprensa. Monica Formigone orienta o garoto nas respostas e explica questões políticas ou esportivas que ele não conhece por causa da idade. Nesta quarta, data de aniversário do clube, vai ao ar o blog “Matheus Presidente 2030”.

A data escolhida para Matheus ser presidente não foi aleatória. Foi o menino quem disse isso, quando menor. Curiosamente, a mudança feita no estatuto do clube em 2008, com mandatos de três anos, e não mais dois, fará com que tenha uma eleição em 2030. Com 31 para 32 anos na ocasião, poderá ser o mandatário mais jovem da história do clube, marca hoje em posse de Andrés Sanchez, que assumiu em 2007 com 43 anos.

A visita à sala da presidência
Matheus recebeu a reportagem do iG em uma casa quase ao lado do Parque São Jorge, sede de uma das torcidas organizadas do clube. Com a camisa do Corinthians, ele fala com desenvoltura de diversos temas.
Quando é provocado a falar o que acha do presidente Andrés Sanchez, diz que é um mandato regular. Politicamente, o pai do garoto nesta rompido com Sanchez, apesar de ter feito campanha para ele em 2007.
“Se eu fosse presidente do Corinthians hoje tentaria contratar o David Villa, da Espanha. E o Tevez também”, diz o garoto, lembrado por seu pai do grande ídolo que viu jogar com a camisa corintiana.

William Miguel trata o tema com seriedade. “Digo ao Matheus que, se precisar, ele tem que colocar dinheiro no Corinthians. Mas nunca tomar dinheiro do Corinthians”. A campanha é tão séria a ponto de ele burlar a segurança do clube, alguns anos atrás, para fazer uma foto que hoje é usada para  a campanha do garoto.

Uma faxineira do clube, ainda quando o presidente era Alberto Dualib e, abriu a sala da presidência, bem cedinho, só para Matheus posar sentado na mesa. Todo sorridente na foto, com a foto de Dualib e do então presidente Fernando Henrique Cardoso logo atrás. A sala não é mais usada por Andrés Sanchez atualmente, porque foi construído um prédio novo para abrigar a diretoria.

Hoje, a chapa para uma eventual eleição se chamaria “Finta eles Matheus”. E já teria até candidato a vice: Diego Deungaro, filho de Douglas Deungaro, o Mataleiro, conhecido torcedor ligado a Gaviões da Fiel.

“Quando eu era pequeno, se não passasse na frente do Corinthians para eu ver o arco com o escudo do clube eu não dormia. Tudo que o Corinthians representa é importante. Se der certo um dia, quero um clube forte no futebol, mas também com piscinas boas e outros esportes também”, disse o garoto, com a campanha na ponta da língua, mas também um projeto de carreira. Quando se formar, ele pretende cursar faculdade de tecnologia.

Ao final da entrevista, Matheus pedia pressa ao pai para irem ao clube. Naquele momento o Corinthians entraria em quadra para uma partida de futsal. O candidato a presidente queria estar próximo dos jogadores, afinal não será apenas o futebol que o elegerá nas eleições de 2030.

Marcel Rizzo
A alegria de Matheus sentado na sala da presidência. Na época o presidente ainda era Alberto Dualib


Leia mais sobre: Corinthians Centenário

> Você tem mais informações? Envie para Minha Notícia, o site de jornalismo colaborativo do iG


Marcel Rizzo

Roberto William Miguel e o pequeno Matheus. Pai e filho em campanha bem antecipada

Pai e filho
Roberto William Miguel e o pequeno Matheus. Pai e filho em campanha bem antecipada

Topo
Contador de notícias