iG - Internet Group

iBest

brTurbo

 

Futebol

01/09 - 07:01

Libertadores, a lacuna do centenário Corinthians, vira prioridade novamente

Diretoria avalia erros de 2010 e vai evitar formar time com competição em andamento e contratar jogadores mais velhos. Dúvida é com relação à participação de Ronaldo caso a vaga no torneio seja garantida

Marcel Rizzo, iG São Paulo

O projeto do tão sonhado estádio encaminhado, o torcedor corintiano tem apenas um detalhe a lamentar nos 100 anos de história do clube: não ter conquistado a Copa Libertadores. A campanha em 2010 fracassou nas oitavas de final, derrota para o Flamengo, na oitava participação no torneio.

“O Corinthians tem que se acostumar a disputar a Libertadores. Quanto mais jogar, uma hora vai ser campeão com certeza”, repete sempre que pode o presidente Andrés Sanchez, antes mesmo até de ser eliminado na competição deste ano, mantra que no início parecia uma desculpa antecipada pela derrota, mas que no final acabou sendo adotado pela torcida.  Desta vez a eliminação foi tratada sem a violência de 2006, quando o River Plate venceu no mesmo palco, o Pacaembu, da desclassificação deste ano para o Flamengo.

A vaga na edição de 2011 ainda não está consumada, mas dentro do clube é tratada como certa a classificação como um dos quatro melhores do Campeonato Brasileiro. Atualmente o Corinthians ocupa a vice-liderança, com 34 pontos, três a menos do que o líder Fluminense e sete pontos a mais do que o quinto colocado, o Cruzeiro (que entraria na Libertadores porque os terceiro e o quarto colocados, Santos e Inter, já têm vaga assegurada como campeões da Copa do Brasil e Libertadores, respectivamente).

AE
Ronaldo não sabe se continua para 2011. Será importante em campo na Libertadores?

O projeto para a próxima temporada é baseado 100% na Libertadores, mais uma vez. Só que desta vez a diretoria avisou a nova comissão técnica, liderada por Adilson Batista, que evitará erros que avaliou ter cometido para 2010. Os dois principais: contratar jogadores mais velhos, casos de Iarley, Danilo e Tcheco (Roberto Carlos foi considerado exceção pelo ótimo desempenho), e deixar para que eles se integrassem à equipe somente no começo do ano. O clube gastou R$ 36 milhões, entre luvas e pagamento de rescisões para montar a equipe. Preço alto, que não gerou o retorno previsto.

Os três citados foram contratados entre setembro e outubro de 2009, mas só puderem se juntar ao elenco em janeiro, na pré-temporada. Na visão da diretoria, isso fez com que Mano Menezes montasse um time totalmente novo em meio à Libertadores, o que prejudicou a equipe. A ordem para Adilson é que deixe a equipe pronta com o elenco atual. A diretoria prometeu não vender jogadores e repor caso haja necessidade extrema – um centroavante se encaixa nesta situação.

A principal dúvida será a presença ou não de Ronaldo na equipe. A opinião é dividida entre diretores e até membros da comissão técnica: alguns acham que Ronaldo deve ficar apenas como garoto propaganda e embaixador e não entrar mais em campo. Outros opinam que ele em melhor forma do que está ainda pode ajudar o time. O certo é que Batista monta seu time sem Ronaldo – a diretoria deve tentar a contratação de um centroavante para 2011.

“Estamos montado esse time para ganhar o Brasileiro. Com isso nos classificamos para a Libertadores, mas aí será outra história”, disse Batista.


Leia mais sobre: Corinthians Copa Libertadores Centenário Corinthians

> Você tem mais informações? Envie para Minha Notícia, o site de jornalismo colaborativo do iG


AE

us adilson corinthians

Adilson Batista
Técnico foi orientado a montar time da Libertadores 2011 com elenco que conta hoje

Topo
Contador de notícias