iG - Internet Group

iBest

brTurbo

 

Futebol

31/08 - 07:45

Governo aponta investimentos em Itaquera e moradores pedem segurança

Prefeitura e governo do estado apostam em Pólo Tecnológico e obras viárias para fortalecer local escolhido para receber jogos da Copa. Comerciantes reclamam de enchentes, assaltos e invasões

Marcel Rizzo, iG São Paulo

Itaquera é um distrito da capital no extremo da zona leste que possui cerca de 600 mil habitantes. O local escolhido para receber o estádio que representará São Paulo na Copa de 2014 já era uma das prioridades da prefeitura e do governo do Estado em investimentos para melhoria de infraestrutura, verba que agora será turbinada por causa do Mundial.

“Não fechamos o orçamento de quanto será gasto no entorno, mas já havia previsão de investimento em um Pólo Tecnológico, que vai englobar Fatec (Faculdade Tecnológica), Etec (Escola Estadual de Tecnologia), entre outras coisas”, disse o prefeito Gilberto Kassab.

A obra do Pólo Tecnológico já está em andamento em terreno ao lado de onde o Corinthians pretende levantar seu estádio (local no qual hoje funciona o centro de treinamento das categorias de base do clube). A previsão é que a Fatec seja entregue até 2012 e contará com 24 salas de aula, biblioteca e auditório para os cursos de Mecânica de Projetos, Soldagem, Automação Industrial e Sistemas Biomédicos.

Divulgação
Vista aérea do que será o Centro Tecnológico no bairro de Itaquera, ao lado do terreno que o Corinthians pretende levantar seu estádio


No futuro, a idéia é que o Pólo vire institucional, já que receberá também um fórum e uma rodoviária. A intenção é que Itaquera se transforme no centro da zona leste da capital.

O acesso ao local no qual será construído o campo do Corinthians é feito hoje exclusivamente pela Radial Leste. No futuro, a avenida Jacu Pêssego chegará até a Radial e ligará o estádio diretamente à rodovia Ayrton Senna e, uns anos à frente, ao setor leste do Rodoanel, ainda em fase de licitação.

A linha do metrô 2, a vermelha, já atende o local. Uma passarela liga a estação Corinthians-Itaquera quase à porta do estádio. Segundo José Luiz Portella, secretário estadual do transporte metropolitano, a linha 2 não é mais a que leva maior número de passageiros, perdendo o posto para a 1, a azul.

“Vamos ter nos próximos anos 10 novos trens para essa linha, o que vai diminuir o tempo de espera de 101 segundos para 82 segundos, tornando o metrô paulista o mais rápido do mundo. Hoje carregamos 60 mil passageiros por hora na linha 2 e esses novos trens podem aumentar a demanda em até 30% (para 78 mil)”, disse Portella.

“A grande vantagem deste terreno é que temos o metrô ao lado, vamos ter acesso fácil por duas grandes avenidas e uma rodoviária, que atenderá também ônibus locais”, disse o governador Alberto Goldman. O projeto do estádio corintiano prevê estacionamento para 4 mil a 5 mil automóveis, visando também os shows que o clube pretende realizar no local e que foca um público alvo com pode aquisitivo mais alto.

Um parque também está no projeto. Segundo dados da prefeitura ele será linear, a cerca de 1 km do terreno do estádio, e será o maior do município. A previsão inicial era de entrega após 2014, mas pode ser antecipado por causa da Copa do Mundo.

Para facilitar a acomodação de turistas e jornalistas na cobertura da Copa do Mundo de 2014, o Corinthians pode acrescentar ao projeto a construção de um pequeno hotel, que seria construído e gerido, num primeiro momento, também pela Odebrecht. Depois da Copa serviria para receber pessoas que viessem a São Paulo acompanhar shows que serão realizados no estádio.

AE
Terreno em Itaquera onde será construído pólo tecnológico, ao lado do estádio, com linha férrea ao fundo

“A idéia é trazer qualidade para os moradores que já vivem aqui e, quem sabe, povoar ainda mais essa área de São Paulo trazendo empresas e lazer”, disse o prefeito Gilberto Kassab.

Nem tudo são flores
A ocupação ilegal de áreas, formando favelas, é apontado por moradores de Itaquera como o principal problema do distrito atualmente e que precisa ser resolvido pelo poder público para a Copa do Mundo.

“O centro de Itaquera, onde está o comércio do local, também enche quando chove forte. Estamos vibrando com a possibilidade de receber a Copa, mas são alguns problemas que precisam ser resolvidos”, disse a advogada Lidia Paniaga, que representa os comerciantes da região.

A segurança também preocupa não só os moradores, mas foi, por exemplo, um dos motivos de que o desejo da diretoria corintiana de construir ali o CT dos time profissional nunca saísse do papel – o CT está quase pronto, mas bem distante, no Parque Ecológico, ao lado de Guarulhos.

“Temos alguns bolsões de segurança, onde ficam policias. Mas como a ocupação ilegal acaba atraindo pessoas que não viviam aqui, ocorrem alguns problemas”, disse Paniaga.

A diretoria corintiana desistiu de abrigar ali o CT dos profissionais porque vários jogadores foram assaltados, no caminho de volta para casa quando o elenco trabalhou por ali. No começo deste ano, o próprio CT foi assaltado e garotos perderam dinheiro, celulares e computadores.

A previsão dos moradores, segundo Paniaga, é que a Copa do Mundo e o Pólo que está sendo construído na região tragam mais hospitais à região e o acesso viário melhore, o que está no plano do governo. “Vamos cobrar”, disse.


Leia mais sobre: Corinthians Itaquera Estádio Corinthians

> Você tem mais informações? Envie para Minha Notícia, o site de jornalismo colaborativo do iG


- Divulgação

Imagem do estádio do Corinthians que será construído pela construtora Odebrecht

Estádio
Imagem do estádio do Corinthians que será construído pela construtora Odebrecht

Topo
Contador de notícias