iG - Internet Group

iBest

brTurbo

 

Futebol

10/08 - 23:06

Neymar e Ganso brilham, e Mano Menezes estreia com vitória no comando da seleção brasileira

Atacante abriu o placar em seu primeiro jogo na seleção principal, e Alexandre Pato definiu a partida em favor do Brasil contra a seleção dos Estados Unidos

Juliana Saporito, enviada iG aos Estados Unidos

Neymar e Alexandre Pato tiveram sua redenção nesta terça-feira. O primeiro não convenceu Dunga a convocá-lo para a Copa do Mundo, apesar do forte apelo popular. O outro acabou perdendo sua vaga na equipe em que chegou a ser titular e também não foi à África do Sul. Renegados pelo ex-treinador da seleção brasileira, ambos brilharam para definir a vitória sobre os Estados Unidos, por 2 a 0, no início da Era Mano Menezes.

Em seu primeiro compromisso no cargo, o técnico colocou em campo jovens talentos em formação ofensiva. O sistema 4-3-3 e a fragilidade da seleção norte-americana abriram espaço para o amplo domínio verde-amarelo, com destaque para a consistente atuação dos autores dos gols e de Ganso. O meio-campista santista organizou o time, enquanto Robinho deu qualidade à movimentação.

David Luiz e Thiago Silva começaram um pouco nervosos, mas depois se firmaram e anularam o ataque adversário. Ramires e Lucas formaram a dupla de volantes titular, com o primeiro jogador dando uma linda assistência para o gol de Alexandre Pato. Nas laterais, André Santos e Daniel Alves foram bme.

Também entraram em campo Ederson, que teve estreia frustrada e se machucou sozinho em seu primeiro lance, Carlos Eduardo, Hernanes, André, Diego Tardelli e Jucilei. A postura, no entanto, se manteve a mesma, especialmente com os espaços deixados para o contra-ataque. Mano Menezes se exaltou pouco à beira do gramado e o torcedor brasileiro e latino, nas arquibancadas em Nova Jérsei, foi à loucura.


O jogo
Quando entrou em campo para dirigir a seleção brasileira pela primeira vez, Mano Menezes avisou, em declaração à Sportv: "O time vai sofrer um pouco com a falta de entrosamento, mas vai ter tranquilidade para fazer um grande jogo". Estava certo. A seleção brasileira começou a partida errando muitos passes, sem se encontrar, acuada pelos norte-americanos.

Aos 2 minutos, Donovan aproveitou passe errado de Daniel Alves, invadiu a área na frente de Thiago Silva e bateu, desequilibrado. Victor defendeu com os pés, evitando o gol norte-americano. O lateral direito brasileira se redimiu seis minutos depois, quando acertou seu primeiro toque: lançou Pato, que invadiu a área e bateu com muito perigo para o arqueiro Howard.

Aos poucos, o time foi se encontrando. Centralizado, Ganso fez o jogo girar pelos lados, onde Neymar e Robinho encontravam o apoio de Daniel Alves e André Santos. Assim, o lateral esquerdo do Fenerbahce quase marcou ao invadir a área pela esquerda e bater rasteiro, aos 21 minutos. Pouco depois, Neymar passou por Spector e cruzou na primeira trave, onde Pato quase completou.

O gol saiu aos 28 minutos: André Santos avançou pela esquerda e cruzou na medida para Neymar, bem colocado, cabecear para o fundo da meta. Aos 32 minutos, um bom lance surgiu pela direita: Daniel Alves recebeu livre e tocou para Alexandre Pato, que tocou a bola e trombou com Howard antes de completar para o gol. O árbitro validou o tento, mas seguiu a orientação de seu assistente e marcou falta.

A seleção brasileira manteve o domínio da partida no final do primeiro tempo, tocando a bola e esperando uma boa oportunidade. Continuando com a postura ofensiva, acabou recompensada já nos acréscimos, aos 46: Ramires viu a defesa rival em linha e passou em profundidade para Pato, que invadiu a área em velocidade, driblou Howard e completou para as redes, ampliando.

Na segunda etapa, a seleção voltou perdendo uma incrível chance. Aos 8 minutos, Daniel Alves cruzou da direita, Alexandre Pato furou ao tentar completar de letra e Neymar acabou travado. Na sobra, Robinho bateu rasteiro e acertou a trave norte-americana. Os anfitriões chegaram a marcar gol aos 11, com Bradley completando cruzamento, mas o assistente anotou impedimento.

O tão exaltado 'quarteto santástico' se formou em campo quando, aos 21 minutos, André substituiu Alexandre Pato. Hernanes também entrou, na vaga de Ramires. O esquema tático foi mantido com três atacantes. Sobrava espaço. Aos 24 minutos, Neymar partiu em contra-ataque, invadiu a área e bateu na saída do goleiro Guzan, que havia substituído Howard. O suplente fez excelente defesa.

O atacante do Santos deixou o gramado para dar lugar a Ederson. Em seu primeiro lance, o meia do Lyon escorreu sozinho na lateral direita e contundiu a coxa - uma breve estreia, com menos de um minuto em campo. Carlos Eduardo entrou em campo. Aos 32, Paulo Henrique Ganso, outro renegado de Dunga, quase marcou: bateu de fora da área e acertou a trave. A bola ainda bateu nas costas do goleiro, mas não entrou.

Aos 37, outra chance impressionante: André Santos cruzou, André pegou mal na bola e, na sobra, Carlos Eduardo ficou cara a cara com Guzan. O brasileiro tentou bater no canto, mas o arqueiro foi bem e evitou o gol. No final da partida, André ainda desperdiçou boa oportunidade, batendo cruzado em contra-ataque. Ganso também tentou deixar o seu: deu elástico em Gonzáles, mas bateu para fora.

A estreia segura dos novatos da seleção brasileira terminou com uma festa geral nas arquibancadas do Estádio New Meadowlands. Os torcedores brasileiros e latinos fizeram a festa. Os norte-americanos entraram na brincadeira e participaram da tradicional 'Ola'. Até gritos de "Olé" foram entoados, diante do domínio da seleção brasileira. Mano Menezes, que não precisou se irritar durante o jogo, teve um bom começo.

Milton Trajano
Charge com Madson, Neymar e Mano Menezes
Charge com Madson, Neymar e Mano Menezes

FICHA TÉCNICA - ESTADOS UNIDOS 0 X 2 BRASIL

Local:
Estádio New Meadowlands, em Nova Jersey (EUA)
Data: 10 de agosto de 2010, terça-feira
Horário: 21h11 (de Brasília)
Árbitro: Silviu Petrescu (Canadá)
Assistentes: Joe Fletcher e Daniel Belleau (ambos do Canadá)
Cartões Amarelos: David Luiz (Brasil)

GOLS: Brasil: Neymar, aos 28 minutos do primeiro tempo, e Alexandre Pato, aos 47

ESTADOS UNIDOS: Howard (Brad Guzan); Spector, González, Bocanegra (Goodson) e Bornstein; Feilhaber (Altidore), Edu, Bradley e Bedoya (Gomez); Donovan (Findley) e Buddle (Kljestan)
Técnico: Bob Bradley

BRASIL: Victor; Daniel Alves, David Luiz, Thiago Silva e André Santos; Lucas, Ramires (Hernanes) e Ganso (Jucilei); Robinho (Diego Tardelli), Neymar (Ederson) (Carlos Eduardo) e Alexandre Pato (André)
Técnico: Mano Menezes

*Com Gazeta Esportiva


Leia mais sobre: seleção brasileira Estados Unidos Mano Menezes Dunga

> Você tem mais informações? Envie para Minha Notícia, o site de jornalismo colaborativo do iG


AFP

AFP

Bradley, Robinho e Ganso
Santistas criaram ótimas chances de gol, em jogo no qual os novatos atuaram com desenvoltura

Topo
Contador de notícias