iG - Internet Group

iBest

brTurbo

 

Futebol

04/08 - 00:13

Chivas vence, passa à final e garante brasileiro no Mundial

Vitória por 2 a 0 sobre a Universidad de Chile teve "ajuda" de goleiro rival. Como o time mexicano não pode jogar o Mundial, Inter ou São Paulo ficará com a vaga em Abu Dhabi

Gazeta Esportiva

Numa clara amostra de que a justiça nem sempre é fator presente em um jogo de futebol, o Chivas bateu o Universidad de Chile por 2 a 0, em Santiago, com grande colaboração do goleiro Miguel Pinto, que foi um dos melhores jogadores da partida e fez defesas brilhantes, mas falhou no primeiro gol dos mexicanos e acabou ajudando o futebol brasileiro. Convidado da Conmebol, o Chivas não poderá disputar o Mundial de Clubes em caso de título da Libertadores. No México, as equipes haviam empatado por 1 a 1.

Na próxima quinta-feira, São Paulo e Internacional enfrentam-se no Morumbi desse confronto sai o segundo finalista da competição mais importante das Américas. A equipe que se classificar estará automaticamente classificada para a disputa do Mundial no final do ano, em Abu Dhabi.


O jogo
A linda festa protagonizada pela torcida chilena não intimidou o Chivas, superior desde o princípio da eletrizante primeira etapa da partida. Em menos de 15 minutos de bola rolando, os mexicanos criaram nada menos que cinco grandes oportunidades para inaugurar o marcador, duas delas defendidas pelo goleiro Miguel Pinto, reserva da seleção chilena na última Copa do Mundo.

Aos 12 minutos, Omar Bravo rolou de calcanhar para Bautista, que chegou batendo e mandou em cima de Pinto. No lance seguinte, Omar Bravo apareceu novamente e desta vez invadiu a área pela esquerda antes de bater cruzado e exigir nova intervenção complicada do arqueiro rival, que passaria de herói a vilão num piscar de olhos.

Aos 22, a boa atuação dos visitantes foi recompensada por uma falha clamorosa de Miguel Pinto. Ele tentou segurar chute venenoso de Báez, a bola escapou de seus braços e entrou de mansinho no canto esquerdo da meta.

O gol empolgou o Chivas que partiu para cima e criou outra boa chance dois minutos depois, com Fabián. O meia invadiu a área e bateu cruzado, com endereço, mas viu Miguel Pinto fazer outra ótima defesa, mostrando não ter se abalado com o vacilo anterior.

Precisando ao menos do empate para levar a decisão aos pênaltis, o Universidad finalmente empolgou seus torcedores, apoiado principalmente na qualidade técnica do meia Montillo, já contratado pelo Cruzeiro. Foram três bons lances e a trave salvou o time visitante duas vezes, em chute de Contreras e cabeçada de Olarra. Pouco antes do intervalo, o goleiro Luis Michel fazer linda defesa após chute forte do futuro cruzeirense.

Os chilenos voltaram para o segundo tempo com Rivarola no lugar de Contreras, mas o Chivas voltou a dominar. Aos seis minutos, Fabián recebeu cara a cara com Miguel Pinto e o goleiro fez mais uma defesa salvadora. Na sequência, aos nove, ele fez outra defesa espetacular em cabeçada de Magallón, mas nada pôde fazer para evitar o gol do próprio Magallón no rebote.

Os anfitriões sentiram a desvantagem e pouco conseguiam criar. Aos 22, Gerardo Pelusso trocou Manuel Rojas por Ángel Rojas. Aos 29, foi a vez de Vargas entrar em campo no lugar de Olarra. A equipe tentou encurralar o Chivas e mandou o time todo ao ataque. No entanto, o Chivas conseguia neutralizar os avanços do rival e ainda assustava nos contra-ataques.

No fim da partida, José Luis Real fez suas mudanças para ganhar tempo e lançou mão de Dávila, Solis e Vazquez nas vagas de Bautista, Fabián e Omar Bravo. De forma honrosa, os donos da casa lutaram até o fim, mas faltou inspiração para que pudesse evitar a decepção dos torcedores, que lotaram o estádio, fizeram grande festa, mas saíram tristes do Estádio Nacional.


FICHA TÉCNICA - UNIVERSIDAD DE CHILE 0 x 2 CHIVAS-MEX


Local: Estádio Nacional, em Santiago-CHI
Data: 3 de agosto de 2010, terça-feira
Horário: 22h15 (de Brasília)
Árbitro: Juan Soto (VEN)
Assistentes: Luis Sánchez e Jorge Urrego (ambos da VEN)
Cartões Amarelos:
Omar Bravo e Mejía (Chivas); Manuel Olivera (Universidad)

Gols: CHIVAS: Xavier Báez, aos 22 minutos do primeiro tempo e Edgar Mejía, aos nove minutos do segundo tempo.

UNIVERSIDAD DE CHILE: Miguel Pinto; Matías Rodríguez, Rafael Olarra (Eduardo Vargas), Mauricio Victorino e Manuel Rojas (Ángel Rojas); Felipe Seymour, Manuel Iturra, Edson Puch e Raúl Contreras (Diego Rivarola); Walter Montillo e Manuel Olivera
Técnico: Gerardo Pelusso

CHIVAS-MEX: Luis Michel; Mario de Luna, Héctor Reynoso, Jonny Magallón e Miguel Ponce; Xavier Báez, Patricio Araujo, Edgar Mejía e Adolfo Bautista (Davila); Marco Fabián (Solís) e Omar Bravo (Vázquez)
Técnico: José Luis Real


Leia mais sobre: Chivas Universidad de Chile Libertadores Mundial interclubes

> Você tem mais informações? Envie para Minha Notícia, o site de jornalismo colaborativo do iG


AFP

AFP

Gol de Edgar Mejía
Mejía e Omar Bravo comemoram gol que selou a classificação do Chivas Guadalajara no Chile

Topo
Contador de notícias