iG - Internet Group

iBest

brTurbo

 

Futebol

30/07 - 07:44

Contestado ou não, Coritiba comemora 25 anos do título brasileiro
Disciplina foi a marca da equipe que surpreendeu o país em 1985. Treinada por Ênio Andrade, ela venceu gigantes e calou o Maracanã

Altair Santos, especial para o iG

O Coritiba completa 25 anos da conquista de seu título mais relevante: o Campeonato Brasileiro de 1985. A decisão contra o Bangu, diante de 91.527 pagantes, no Maracanã, terminou 1 a 1 no tempo normal e na prorrogação e foi vencida nos pênaltis pelo clube paranaense, com um 6 a 5 que começou no fim da noite de 31 de julho e invadiu a madrugada de 1º de agosto.

Apesar de não ser um título contestado como o da Copa União de 1987, que até hoje é reivindicado por Flamengo e Sport Recife, a façanha do Coritiba também recebeu senões. Uma das alegações é a de tratar-se do único campeão brasileiro que terminou com saldo negativo de gols: marcou 25 e sofreu 27. Também se questiona a campanha, que teve 12 vitórias, 7 empates e 10 derrotas.

Os campeões, no entanto, rebatem as críticas uma a uma. “Ninguém lembra que o Coritiba venceu grandes times, como o Flamengo, em pleno Maracanã, e o Cruzeiro, no Mineirão, sem contar Santos, Corinthians e Atlético Mineiro. No Couto Pereira fomos quase imbatíveis”, relembra o lateral-direito André, que era revelado no Coritiba ao lado de Vavá, Dida e Tobi.

Contestações à parte, o título ajudou o futebol paranaense a mudar de status. Pela primeira vez desde a criação do Campeonato Brasileiro, em 1971, um clube fora do eixo Rio-São Paulo-Porto Alegre-Belo Horizonte vencia a competição. O grande responsável pela façanha foi o técnico Ênio Andrade, que morreu em 1997, aos 68 anos, vítima de complicações pulmonares.

Dirceu Kruger, que na época era auxiliar técnico do treinador e hoje coordena as categorias de base do Coritiba, conta que a grande virtude de Ênio Andrade foi ter a transformado um time limitado tecnicamente em uma equipe altamente disciplinada. “Os jogadores obedeciam ele cegamente. O que ele mandava fazer, eles faziam”, relembra.

A ponto de, após a conquista, o técnico, bem ao seu estilo gaúcho, ter soltado uma frase que marcou a trajetória do Coritiba naquele campeonato. “Se fosse uma vaca, não teria mais nenhum gota de leite para dar”, disse, referindo-se ao fato de ter levado os jogadores ao limite.

Odivonsir Frega, que era o preparador físico na época e hoje é supervisor da base do clube, afirma que nunca trabalhou com jogadores tão disciplinados. “Lembro que marcava treinos às 7h da manhã e os jogadores chegavam ao clube às 6h30. Foi o título da disciplina”, diz.

Dos jogadores que brilharam naquela campanha, quatro se destacaram: o goleiro Rafael, o lateral-esquerdo Dida, o meio-campista Marco Aurélio e o atacante Lela. Dida, que em 1985 tinha 18 anos, acabou convocado para as eliminatórias da Seleção Brasileira naquele ano, mas não disputou a Copa do Mundo. Depois de 1985, a melhor campanha do Coritiba em Campeonato Brasileiro foi em 2003, com um 5.º lugar.
 
Onde andam os campeões (os que mais atuaram naquela campanha)

Goleiros
Rafael Camarota:
candidato a deputado estadual pelo PV, em Curitiba, e dono de empresa que aluga limusine em São Paulo.

Jairo: tem três escolinhas de futebol espalhadas na região metropolitana de Curitiba e trabalha prefeitura de Tijucas do Sul-PR.

Gerson: é comentarista de rádio em Curitiba.

Laterais
Dida:
comentarista do canal fechado SporTV.

André: recentemente foi secretário de esportes da prefeitura de Almirante Tamandaré-PR.

Zagueiros
Gomes:
empresário de futebol em Campinas.

Vavá: contratado pela prefeitura de Quatro Barras-PR, desde 2006. Realiza trabalho social com crianças carentes do município.

Heraldo: está em Curitiba e é técnico de futebol do Urano, clube amador da cidade.

Caxias: empresário dono de transportadora.

Gardel: falecido em 2008.

Meio-campistas
Marildo:
é comerciante em Curitiba. Tem loja de carros usados.

Marco Aurélio: treinador. Último clube foi América-MG neste ano. Com o Cruzeiro, ganhou os seus principais títulos como técnico - Copa do Brasil de 2000 e Copa Sul-Minas de 2002.

Tobi: tem escolinha em Araucária-PR e é técnico do Araucária - clube amador da cidade. Também já foi secretário de esportes da prefeitura de Araucária.

Almir: tem uma escolinha em Florianópolis e trabalha no Avaí.

Atacantes
Lela:
treinava o Bauru, no interior São Paulo, e é pai d Richarlyson, do São Paulo, e Alecsandro, do Inter.

Índio: está no Rio de Janeiro e trabalha com as categorias de base do Vasco.

Edson Gonzaga: auxiliar do Paulo Bonamigo no Al Shabab dos Emirados Árabes.


Leia mais sobre: Coritiba Campeonato Brasileiro Série B

> Você tem mais informações? Envie para Minha Notícia, o site de jornalismo colaborativo do iG


Arquivo

us coritiba 1985

Coritiba
Campeão em 1985, time o primeiro fora do eixo Rio-São Paulo a vencer o Campeonato Brasileiro

Topo
Contador de notícias