iG - Internet Group

iBest

brTurbo

 

Futebol

19/07 - 16:35

Copa do Mundo de 2014 traz prejuízo ao Cruzeiro

Sem “plano B”, Cruzeiro perde mais de 70% do seu quadro de sócios devido ao fechamento do Mineirão e a mudanças no plano

Emerson Rodrigues, especial para o iG

O fechamento do Mineirão e a obrigatoriedade de renovar contrato por pelo menos um ano desanimaram o torcedor do Cruzeiro a permanecer no programa Sócio do Futebol. A perda de mais de 12 mil sócios dará um prejuízo de quase R$ 800 mil mensais ao clube. No saldo acumulado até o meio do ano que vem, a cifra poderá chegar aos R$ 10 milhões de prejuízo.

O gerente de futebol cruzeirense, Valdir Barbosa, alertou para as dificuldades financeiras. “Em números aproximados, o Cruzeiro perde de R$ de 12 milhões a 15 milhões no ano. Mas era previsível, porque com o Mineirão fechado e depois o Independência, que havia sido prometido para após a Copa do Mundo, e agora só vai ser reaberto talvez em janeiro, nos trouxe um sério prejuízo com relação ao sócio-torcedor”.

Com a demissão do diretor de marketing Antônio Claret, a diretoria cruzeirense não informou à imprensa os números precisos do “rombo” criado no programa de fidelização, já que ainda não contratou um substituto para o cargo. Entretanto, quando fora lançado em abril de 2009, o departamento de marketing do Cruzeiro já havia adiantado que o fechamento do Mineirão para a Copa de 2014 não atrapalharia o programa, contando com o término das obras no Independência, o que não ocorreu.

Na falta de um “plano B”, o marketing do Cruzeiro, ainda sem um diretor, contou com mais um grave problema estratégico: o presidente Zezé Perrella optou pelas cidades de Ipatinga e Uberlândia como casa do clube no Brasileirão. A decisão desencadeou uma manifestação de 40 minutos de torcedores em frente à sede administrativa, e a direção celeste voltou atrás e mandará algumas partidas em Sete Lagoas.

Segundo o Cruzeiro, a Arena do Jacaré, em sete Lagoas, não estava pronta. Mas o fato de o rival Atlético optar pelo estádio e a novas informações vindas de Sete Lagoas não deram alternativa. “Nós vamos disponibilizar por volta de 13 mil ingressos. O estádio não está pronto, é visível”, disse o responsável pelo programa Sócio do Futebol, Bernardo Mota, ao portal iG.

Bernardo confirmou que atualmente o clube conta com 5 mil sócios, e 75% deles moram em Belo Horizonte. Dos outros 25%, cerca de 125 residem em Sete Lagoas, o maior número fora da capital. Além de atender a essa demanda, o Cruzeiro pretende divulgar promoções àqueles que continuaram com o programa e estão prejudicados pela falta de um estádio em Belo Horizonte. “Agora, todo sócio passará a ser assinante da revista do Cruzeiro e também divulgaremos novas estratégias no mês que vem”, disse ele. “O sócio que ficou é Cruzeiro com ou sem estádio, é o torcedor apaixonado”, afirmou.


Leia mais sobre: Cruzeiro Sete Lagoas

> Você tem mais informações? Envie para Minha Notícia, o site de jornalismo colaborativo do iG


Gazeta Press

gilberto cruzeiro sete lagoas

Gilberto cmemora
Na Arena do Jacará, apenas 3,5 mil dos 10 mil ingressos foram comprados por torcedores

Topo
Contador de notícias