iG - Internet Group

iBest

brTurbo

 

Futebol

07/07 - 16:17

"Embaixador" Sorin ajuda o Cruzeiro na caça de talentos argentinos
Time já apresentou Waler Montillo e está perto de anunciar o atacante Ernesto Farías

Emerson Rodrigues, especial para o iG

O Cruzeiro busca reforços para o restante da temporada 2010, na qual acumula dois fracassos: eliminações frente o Ipatinga na semifinal do Campeonato Mineiro e frente o São Paulo nas quartas de final da Copa Libertadores. Para este ano, só resta o Campeonato Brasileiro, e a torcida cruzeirense espera fazer uma boa campanha para, ao menos, figurar no G4.

Para isso, a diretoria cruzeirense, após o pedido de demissão do treinador Adílson Batista, reformulou toda a comissão técnica e trocou peças importantes em sua cúpula. A mais importante foi a saída de Eduardo Maluf na direção de futebol para a entrada de Dimas Fonseca. Antônio Claret, diretor de marketing e nome forte da diretoria, também não faz mais parte do Cruzeiro.

Com Fonseca na responsabilidade de contratar jogadores, um ídolo da torcida mineira passou a ser importantíssimo nos bastidores: o ex-lateral Juan Pablo Sorín. Com ele, o Cruzeiro passou a apostar no mercado argentino, país onde nasceu o ex-atleta. O principal alvo foi o meia Riquelme, atualmente no Boca Juniors. Montillo, do Universidad de Chile e Ernesto Farías, do Porto fecham a trinca platina.

“Conversamos com o Sorín, fizemos uma proposta dentro daquilo que o Sorín entendia que ele iria ficar satisfeito. Fui a São Paulo, consegui também um patrocinador que vai bancar 70% dos salários dele, praticamente”, disse o presidente do Cruzeiro no início das negociações com o meia do Boca Juniors.

Com a demora de Riquelme em dar uma resposta definitiva, o Cruzeiro anunciou a contratação de Walter Montillo, que vem se destacando na Libertadores. Já o atacante Ernesto Farías deve ser anunciado em breve, desde que haja acordo salarial entre o clube mineiro e o atleta. “Está muito próximo ainda. O Zezé tem tratado diretamente com o representante do atleta (Gustavo Arribas) e com o Porto, existe a possibilidade ainda de o jogador vir. Existe a possibilidade não, acho difícil ele não vir. São detalhes mínimos que estão sendo conversados e acredito que, na semana que vem, a gente poderá dar a notícia definitiva da contratação do Farías”, destacou o diretor de futebol Dimas Fonseca.

Na Internet, a torcida do Cruzeiro ainda encara Montillo como uma aposta e a preferência por Riquelme era absoluta. “Não é o Riquelme. É uma aposta, e espero que seja uma aposta certa”, disse o torcedor Pedro José, de Belo Horizonte. Com relação a contratação de Ernesto Farías, a torcida também desconhece o futebol dele, mas espera que consiga suprir a ausência de Kleber, negociado com o Palmeiras.

Argentinos com a camisa do Cruzeiro

Os argentinos fazem parte da histórica do Cruzeiro com dois ídolos em épocas distintas. Além de Sorín, o zagueiro Roberto Perfumo encantou a torcida com um futebol técnico aliado a muita garra. Ambos os ídolos foram titulares indiscutíveis da seleção argentina e Perfumo chegou a disputar A Copa do Mundo de 1974, enquanto ainda jogava pelo time mineiro. Na Toca da Raposa, o jogador foi tricampeão estadual, nos anos de 1972 a 1974. Foi o estrangeiro que mais atuou pelo Cruzeiro, com 138 jogos e seis gols assinalados.

Já o lateral esquerdo Sorín chegou como a maior contratação feita na história do Cruzeiro até o momento: US$ 5,08 milhões. Logo no primeiro semestre de clube, jogou bem e conquistou a Copa do Brasil sobre o São Paulo. No mesmo ano, fez uma partida memorável diante do Atlético-MG no Brasileirão, quando venceu por 4 a 2, e caiu de vez nas graças da torcida.

O destino do argentino no Cruzeiro ainda reservaria mais emoções. Depois de ter chegado às semifinais do Brasileiro de 2000 e conquistado a Copa Sul-Minas 2001 e o Mineiro 2002, o lateral teve uma despedida apoteótica na grande final da Sul-Minas 2002, marcando o gol do título diante do Atlético-PR. Ele ainda retornou ao clube mineiro e foi campeão estadual em 2009. A identificação foi tão forte, que o lateral escreveu uma carta aos torcedores cruzeirenses.

Outros dois argentinos fizeram parte do elenco do Cruzeiro até a chegada de Montillo. O atacante Buchelli, que disputou apenas 12 jogos e marcou quatro gols em 1946, e o também atacante Rudman, que vestiu a camisa do time mineiro em apenas uma partida e não marcou gol. O Cruzeiro ainda contou com diversos outros jogadores estrangeiros de destaque no clube como o uruguaio Revetria, o colombiano Aristizábal e o chileno Maldonado.


Leia mais sobre:

> Você tem mais informações? Envie para Minha Notícia, o site de jornalismo colaborativo do iG


Divulgação

us montillo cruzeiro

Montillo
Argentino foi apresentado no Cruzeiro na terça-feira como reforço para temporada do Brasileirão

Topo
Contador de notícias