iG - Internet Group

iBest

brTurbo

 

Futebol

23/06 - 10:43

"Meu sonho ainda é treinar o Grêmio", diz Caio Júnior
Técnico, atualmente no Catar, planeja trabalhar no clube em que, como jogador, já foi artilheiro e tricampeão gaúcho

Altair Santos, especial para o iG

Tricampeão gaúcho pelo Grêmio, em 1985, 86 e 87, além de ter sido o artilheiro da competição de 1985 com 15 gols, o técnico Caio Júnior não esconde que tem um sonho: comandar o time gremista. “Qual técnico não sonha em treinar o Grêmio? Para mim, que como jogador fui praticamente revelado lá no Olímpico, é um projeto que pretendo realizar no futuro”, confessa Caio Júnior, 45 anos.

No entanto, o plano de um dia vir a treinar o time de Porto Alegre só poderá ser viabilizado após o fim da temporada 2011. Até lá, ele terá de cumprir seu contrato no Al-Gharafa, do Catar, onde já ganhou três títulos - a Star Cup, a Copa do Príncipe e a Liga, o campeonato nacional do país. A partir de setembro, Caio Júnior começa a decidir as quartas de final da Copa da Ásia contra o Al-Hilal, da Arábia Saudita.

Segundo o treinador, que como atacante também foi campeão gaúcho com o Internacional, em 1994, a possibilidade de ele voltar a trabalhar no Brasil depende do que acontecer na Copa da Ásia. Caso conquiste o título, o que não é improvável, já que o Al-Gharafa tem Juninho Pernambucano e Araújo no time, comenta-se que ele pode ser convidado para iniciar um projeto como técnico da seleção do Catar, para levar o país à Copa do Mundo de 2014.

“Se acontecer o convite, vou pensar com o maior carinho sobre a possibilidade de aceitar. Afinal, trabalhar numa Copa do mundo é também um sonho de qualquer treinador”, afirma Caio Junior, animado com a possibilidade. No entanto, se a Copa da Ásia e a Copa do Mundo de 2014 não acontecerem, a partir de 2011 o técnico pode estudar a hipótese de voltar ao Brasil, onde já dirigiu Paraná Clube, Palmeiras, Goiás e Flamengo.

Aliás, o técnico não se desvinculou totalmente do futebol brasileiro. Lá do Catar, ele assiste televisão, acompanha quase todos os jogos e procura se manter atualizado sobre o noticiário dos clubes. Ficou sabendo, por exemplo, das recusas de Felipão, Adílson Batista e Cuca para dirigir o Internacional e disse que, apesar de sua maior identificação com o Grêmio, não recusaria o convite. “Eu teria prazer e satisfação de trabalhar nos dois clubes, assim como tive de atuar como jogador nos dois”, afirma.

Caio Júnior também desmistifica a tese de que quem vai atuar no futebol árabe acaba no ostracismo. “Isso é mito mesmo. O futebol árabe hoje realiza muito intercâmbio. Sempre há clubes europeus indo fazer amistosos lá e nossas pré-temporadas são na Europa. Por isso, diria que o intercâmbio é maior do que o realizado pelo futebol brasileiro”, diz um possível futuro técnico gremista.


Leia mais sobre: caio junior gremio materias especiais

> Você tem mais informações? Envie para Minha Notícia, o site de jornalismo colaborativo do iG


Gazeta Press

Meu sonho ainda é treinar o Grêmio, diz Caio Júnior

Caio Júnior
Técnico estuda a possibilidade de voltar ao Brasil, onde já dirigiu Paraná, Palmeiras, Goiás e Flamengo

Topo
Contador de notícias