iG - Internet Group

iBest

brTurbo

 

Futebol

08/06 - 12:02

Ceará une entrosamento do time com parcerias para surpreender na Série A
Campanha de um dos caçulas, vice-líder do Brasileiro, é explicada por força defensiva e pagamento em dia de salários, possível graças a ajuda da torcida e de empresas

Marcel Rizzo, iG São Paulo

Manutenção da base do time de 2009, principalmente do setor defensivo, e projetos que fizeram o clube diminuir a dívida e evitar atraso de salários. Teve até parceria com empresa de energia elétrica e torcedores fazendo doações. O sucesso do Ceará no Brasileiro alia fatores técnicos e administrativos e deixou o time como o segundo colocado na parada para a Copa do Mundo, empatado em pontos com o Corinthians, os mesmos 17, mas perdendo no saldo de gols (sete a seis).

AE
Washington é o artilheiro do Ceará no Brasileiro, com três gols

É um time entrosado e de jogadores felizes que recebem em dia, como definiu o presidente Evandro Leitão. O campeonato só retorna em 14 de julho, quando os líderes se enfrentam no Castelão, em Fortaleza.

A campanha surpreende por diversos motivos: o Ceará é um dos caçulas da competição deste ano, não disputava a primeira divisão desde 1993 e não correspondeu nos torneios que disputou em 2010: foi eliminado precocemente na Copa do Brasil (na segunda fase, pelo Corinthians Paranaense) e perdeu a decisão do Estadual para o rival Fortaleza, que está na Série C. Tudo indicava para uma participação sofrível, lutando apenas pela manutenção na elite, mas por enquanto até mesmo falar em título passou a ser natural para os jogadores e para o técnico Paulo César Gusmão.

"Por que não (se falar em título)? Já passaram sete rodadas, o time está embalado e vai manter isso depois de 14 de julho", disse PC Gusmão, que foi preparador de goleiros dos times dirigidos por Vanderlei Luxemburgo, depois auxiliar técnico e já comandou 15 equipes, entre elas Flamengo, Vasco e Cruzeiro.

Entrosamento
O treinador assumiu na metade da Série B do ano passado, competição na qual o Ceará terminou em terceiro lugar, o que garantiu a vaga na primeira divisão. Na virada do ano, PC fez apenas um pedido para o presidente Leitão: que mantivesse a base do time do acesso, principalmente a defesa.

A dupla de zaga, Anderson e Fabrício, e os três volantes, Careca, Heleno e João Marcos, ficaram. Um time entrosado na retaguarda, que respondeu em campo e levou apenas um gol em sete rodadas, de pênalti. "Que não foi", ressaltou Gusmão. Neymar marcou, no empate contra o badalado Santos, 1 a 1, dentro da Vila Belmiro.

AE
Erick Flores (esquerda) comemora gol com Michel. Jovem de 21 anos é revelação

Este número levou a duas marcas interessantes: na história dos pontos corridos, que começou em 2003, nenhum time tinha levado apenas um gol nas sete primeiras rodadas. E a média de 0,14 gol sofrido transformou os cearenses na melhor defesa da história do Brasileiro, por enquanto. Em 1973, o campeão Palmeiras fez 40 jogos e levou 13 (0,33).

"Ofensivamente, o time se reforçou com o Washington, que é um atacante fixo. Em 2009 o time jogava com Misael e Mota, que são atacantes que caem pelos lados. Isso está dando resultado", explicou o jornalista Vladimir Marques, do "Diário do Nordeste", que acompanha o dia-a-dia do Ceará.

Além de Washington, ex-Portuguesa e Palmeiras, chegou Lopes, outro ex-palmeirense, jogador de 31 anos que teve carreira conturbada com problemas de peso e de drogas (foi pego no antidoping por uso de cocaína) e que tem jogado bem como centroavante quando o titular não pode atuar.

"O Lopes chegou bem acima do peso, mas já está em melhor forma. A estratégia do PC Gusmão é forte marcação e soltar os laterais. Está dando certo", completou Marques. Os atacantes são municiados pelo veterano Geraldo, de 36 anos, e "pai" dos mais jovens, como a revelação Erick Flores, 21 anos, emprestado pelo Flamengo.

Nesta quinta-feira, o Ceará estreia na Copa do Nordeste, competição que ressuscitou em 2010 depois de sete anos. O adversário será o Náutico, no Recife. Os titulares ganharam folga de dez dias, portanto PC Gusmão vai usar atletas que estavam atuando menos. O elenco é grande, de 30 jogadores, justamente para participar do campeonato regional. Quando os destaques voltarem das férias jogarão o "Nordestão" para readquirirem ritmo.

Parcerias
Evandro Leitão assumiu em 2008 um Ceará endividado. O que mais desfalcava o caixa eram os processos trabalhistas - dívida que batia os R$ 2 milhões. Foi quando surgiu a ideia de formar parcerias. A primeira foi  com a Coelce, empresa que fornece energia elétrica no Ceará. Os clientes autorizam a Coelce a acrescentar valores em suas contas e essa diferença vai diretamente para o Ceará.

Com o governo estadual foram dois acordos: o primeiro o anúncio direto na camisa do clube, que rende valor não divulgado. O segundo foi a participação do Ceará no projeto "sua nota vale dinheiro", que reembolsa os consumidores que pedem nota fiscal. Como o clube é uma das empresas cadastradas, todo produto consumido em nome do Ceará tem parte da renda revertida à instituição.  

Outra maneira de arrecadação foi feito por torcedores, com o embrionário "Ceará 2000", criado por um torcedor no início da década para ajudar o clube financeiramente. O projeto engrenou em 2008 quando produtos, confeccionados sem custo por empresas de aficionados, passaram a ser vendidos com a renda indo diretamente à conta do Ceará. Com o dinheiro arrecadado em dois anos foi possível construir salas para abrigar o laboratório de fisiologia do exercício e o consultório odontológico, além de ter adquirido equipamentos de musculação, fisioterapia e odontologia.

AE
Torcida do Ceará ainda não empolgou diretoria em jogos no Castelão

Com o time na primeira divisão foi possível fechar o primeiro patrocínio milionário da história. Em 1° de junho a diretoria anunciou que o laboratório Neo Química, que pertence à Hypermarcas, aparecerá na camisa até dezembro. O valor não foi divulgado, mas estima-se na casa de R$ 1 milhão.

É a mesma empresa que aparece na camisa de Corinthians e Botafogo. Claro que os paulistas, por exemplo, recebem mais (R$ 32 milhões por ano). Mas o Ceará começa a vislumbrar mais dinheiro para realizar um sonho, este também não alcançado pelo Corinthians: a construção de seu centro de treinamento.

A única decepção deste início de campanha no Brasileiro são os torcedores presentes no estádio. Quem olha as estatísticas não entende, já que o Ceará tem a segunda melhor média de público (20.929), perdendo apenas do Corinthians (24.619).

"Público bom em jogo do Ceará é mais de 30 mil. O ingresso está caro, R$ 30 cadeira superior e R$ 60 a inferior. mas se o time continuar nesse embalo pode colocar mais de 30 mil depois da Copa", disse Vladimir Marques. Dia 14 de julho, contra o Corinthians, esta meta começará a ser alcançada no duelo dos líderes.

*com a colaboração de Rodolfo Rodrigues


Leia mais sobre: Ceará Campeonato Brasileiro Copa do Nordeste

> Você tem mais informações? Envie para Minha Notícia, o site de jornalismo colaborativo do iG


AE

Ceará 2 x 0 Avaí

Eficiência
Ceará venceu os quatro jogos em casa, como nos 2 a 0 sobre o Avaí

Topo
Contador de notícias