iG - Internet Group

iBest

brTurbo

 

Futebol

31/05 - 10:15

Adriano terá de explicar à polícia relação com traficantes
Atacante deve se apresentar nesta segunda-feira para explicar supostas transações com o chefe do tráfico na Vila Cruzeiro, Fabiano Atanásio da Silva, o FB

iG Rio de Janeiro

Prestes a viajar para a Itália, onde se apresentará ao seu novo clube, a Roma, após uma semana de férias na região da Sardenha, o atacante Adriano mais uma vez terá de dar explicações à polícia sobre sua relação com traficantes. O jogador foi intimado a comparecer nesta segunda-feira, às 14h, à 38ª DP (Brás de Pina) para explicar supostas transações financeiras com pessoas ligadas ao chefe do tráfico na Vila Cruzeiro (comunidade onde Adriano cresceu), Fabiano Atanásio da Silva, o FB.

A polícia investiga ainda duas fotografias onde o jogador aparece segurando armas, que segundo a sua assessoria de imprensa seriam de brinquedo, e fazendo o símbolo de "CV (Comando Vermelho)" com as mãos. FB é apontado como mentor da execução do ex-diretor de Bangu 3, José Roberto Amaral Lourenço, em outubro de 2008, e autor do ataque, em 2009, que resultou na queda de um helicóptero da PM, matando três policiais.

Em abril, Adriano também teve de depor na 22ª DP, na Penha, após denúncia de que uma moto comprada por ele havia sido registrada no nome da mãe de Paulo Rogério de Souza Paz, o Mica, chefe do tráfico no Morro da Chatuba. A mãe do traficante sequer possuía carteira de motorista e, analfabeta, assinou o depoimento com a digital na época.

A nova convocação para depor acontece em função do nome do atacante aparecer em um inquérito que apura o tráfico de drogas na Vila Cruzeiro. Segundo a reportagem do jornal carioca "O Dia", onde foram publicadas as citadas fotos na edição desta segunda-feira, o jogador se refere à comunidade, que se transformou em uma espécie de quartel-general do Comando Vermelho, como "spa".

As fotos teriam sido tiradas na casa de Adriano na Itália, quando ainda defendia a Internazionale de Milão. Ao seu lado aparece o volante Yves, amigo do jogador e também criado na Penha. A assessoria de imprensa do "Imperador" alegou que a arma segurada pelo atacante é uma réplica usada para paintball, enquanto a arma nas mãos de Yves seria uma parte de um abajur que decorava a sala de Adriano. O chefe do Departamento de Polícia da Capital (DPC), delegado Ronaldo Oliveira, afirmou que as fotos serão investigadas.

Em entrevista ao canal Sportv, o procurador de Adriano, Gilmar Rinaldi, afirmou que as fotos já haviam sido repassadas para as redes Globo e Record, que não as publicaram. De acordo com Rinaldi, o atacante já tinha sido chantageados diversas vezes para que as imagens não fossem divulgadas. O procurador disse ainda que o jornal "O Dia" foi irresponsável.

O caso sobre a moto comprada para a mãe do traficante Mica também não está encerrado na 22ª DP. Há contradições nos depoimentos de Adriano e de um dos seus amigos, Marcos José de Oliveira, o que levou o delegado Jáder Amaral pedir mais tempo ao Ministério Público para concluir o inquérito. 


Leia mais sobre: Adriano Flamengo tráfico de drogas

> Você tem mais informações? Envie para Minha Notícia, o site de jornalismo colaborativo do iG


Vicente Seda

adriano

Adriano
Polícia ainda investiga fotos nas quais o atacante aparece com armas, que seriam de brinquedo

Topo
Contador de notícias