iG - Internet Group

iBest

brTurbo

 

Futebol

05/05 - 23:48, atualizada às 00:54 06/05

Flamengo perde do Corinthians, mas gol fora de casa põe time nas quartas da Libertadores

Gol de Vágner Love e defesa espetacular de Bruno garantem classificação flamenguista para as quartas de final da Libertadores. Torcida aplaudiu o derrotado Corinthians

Marcel Rizzo e Vicente Seda, iG São Paulo

Em um jogo tenso, o Flamengo perdeu do Corinthians no Pacaembu, mas levou a vaga nas quartas-de-final da Copa Libertadores da América. A derrota por 2 a 1 serviu ao time carioca já que ele marcou uma vez fora de casa, um dos critérios de desempate da competição. No jogo de ida, quarta-feira passada, no Maracanã, o Fla venceu por 1 a 0, gol de Adriano.

David, contra, e Ronaldo fizeram para a equipe paulista, mas Vágner Love, com passe de Kléberson, marcou logo no início do segundo tempo o gol que viria a garantir a classificação flamenguista. No último minuto, uma defesa espetacular de Bruno, após cobrança de falta de Chicão, selou a vaga.

O Flamengo enfrenta agora o vencedor de Universidad de Chile (CHI) e Alianza Lima (PER), que se enfrentam nesta quinta-feira em Santiago. Os chilenos venceram os peruanos em Lima por 1 a 0 e jogam pelo empate.

Um jogo decisivo como o disputado nesta quarta-feira no Pacaembu tradicionalmente têm diversos heróis durante os seus 90 minutos. O primeiro candidato foi o goleiro flamenguista Bruno. Nos primeiros 25 minutos, ele foi o protagonista. De onde o Corinthians chutava, o camisa 1 defendia. Quando a bola estava nos pés do time da casa, a Fiel não parava de cantar “Timão”. Quando ela era recuperada pelos visitantes, o “apitaço” ficava insuportável. Foram distribuídos mais de 30 mil apitos na entrada do estádio.

Mas Bruno deixou de ser o herói aos 27 minutos. Danilo recebeu a bola pela esquerda, não a perdeu apesar da marcação adversária e lançou para a área. Ronaldo dividiu com David, que chutou para trás. Traiçoeiramente para Bruno, a bola bateu na mão de Ronaldo. Sem intenção, mas a ponto de confirmar o gol.

O Corinthians merecia vencer naquele momento, mas o 1 a 0 levava a decisão para os pênaltis. Por isso a torcida corintiana não parou de empurrar o time. O Flamengo do primeiro tempo ficou marcado por um buraco que deixou no meio de campo. Vinícius Pacheco, o substituto de Michael, expulso na primeira partida, não sabia se marcava ou se armava. Com isso, Adriano e Vágner Love ficavam isolados na frente.

Neste momento, Ronaldo se tornou o “nome do jogo”. Não que fazia uma partida brilhante, apesar de estar bem mais participativo do que no confronto do Maracanã. Mas se sua "mão boba" já tinha ajudado no primeiro gol, desta vez foi um toque de cabeça, algo raro em sua carreira de artilheiro.

O lance, aos 39 minutos, foi curioso porque Adriano quase marcou no lance anterior, mas perdeu a dividida com Felipe. O 10 flamenguista ficou caído na área, Felipe balançando a mão para o árbitro parar o jogo, mas Dentinho não obedeceu. Avançou com a bola e cruzou na cabeça de Ronaldo. Ele fez o gol, mas parecia magoado com a torcida: em vez de ir para a galera, como sempre faz, comemorou com seus companheiros, dentro das quatro linhas. Os 2 a 0 classificava o Corinthians.

Gazeta Press
Ronaldo
Ronaldo festeja o primeiro gol corintiano. Seu time venceu mas não levou


Mudança
A torcida corintiana parecia, no intervalo, sentir que a situação não estava tão confortável. Na arquibancada amarela, parte dos torcedores entrou em confronto com a PM. Os policiais precisaram de reforço e cinco minutos depois conseguiram controlar a fúria da galera. Pelo Fla, Rogério Lourenço percebeu o buraco no meio de campo e no intervalo sacou o “fanstasminha” Vinícius Pacheco e colocou Kléberson em campo.

Não foram necessários nem mesmo quatro minutos para o próprio Kléberson dividir o heroísmo com Vagner Love. O passe foi preciso e deixou o centroavante frente a frente com Felipe. O toque foi preciso, por baixo. Um 2 a 1 que garantia os cariocas nas quartas-de- final porque marcou fora de casa. Mano Menezes mudou, colocando Iarley, o “Senhor Libertadores”, e Jucilei. Mas o Corinthians sentiu o gol tomado. A torcida apoiava, mais mansa, mas o Flamengo marcava muito melhor. E ainda contra atacava com perigo.

Ronaldo teve sua chance de ser o herói. Aos 38 minutos, um cabeceio (de novo) acertou a trave. Caprichosamente na trave. O último suspiro da torcida corintiana foi na falta de Chicão. Após a partida, a torcida corintiana aplaudiu o time e o receio de invasão e briga não foram confirmados. Mas foi o início da festa dos flamenguistas. Carnaval carioca na capital paulista.


FICHA TÉCNICA
- CORINTHIANS 2 x 1 FLAMENGO


Local: Estádio Paulo Machado de Carvalho (Pacaembu), em São Paulo (SP)
Data: 05 de maio de 2010, quarta-feira
Horário: 21h50 (de Brasília)
Árbitro: Roberto Silvera (Uruguai)
Assistentes: William Casavieja e Marcelo Costa (ambos do Uruguai)
Público: 35.561 pagantes
Renda: R$ 2.949.424,00
Cartões Amarelos: Iarley (Corinthians); Juan, David, Rômulo e Willians (Flamengo)

Gols: CORINTHIANS: David (contra), aos 27 minutos do primeiro tempo, e Ronaldo, aos 38 minutos do primeiro tempo; FLAMENGO: Vagner Love, aos quatro minutos do segundo tempo

CORINTHIANS: Felipe; Alessandro (Paulinho), Chicão, William e Roberto Carlos; Ralf, Elias (Jucilei) e Danilo; Dentinho, Ronaldo e Jorge Henrique (Iarley)
Técnico: Mano Menezes

FLAMENGO: Bruno; Leonardo Moura, David, Ronaldo Angelim e Juan; Rômulo, Maldonado (Toró), Willians e Vinícius Pacheco (Kléberson); Adriano e Vagner Love (Fierro)
Técnico: Rogério Lourenço


Leia mais sobre: Flamengo Corinthians Libertadores Ronaldo Adriano Vágner Love

> Você tem mais informações? Envie para Minha Notícia, o site de jornalismo colaborativo do iG


AP

Corinthians x Flamengo

Love marca
Aproveitando passe de Kléberson, camisa 9 tocou por baixo de Felipe e fez o gol que valeu a vaga

Topo
Contador de notícias