iG - Internet Group

iBest

brTurbo

 

Futebol

01/09 - 13:16

As especulações que não se confirmaram no mercado da bola do futebol europeu
Ribéry, Luís Fabiano e Rafinha foram alguns dos nomes que estamparam as capas dos jornais esportivos do Velho Mundo, mas que continuam em seus respectivos clubes

Por Mário André Monteiro, do iG Esporte

SÃO PAULO - A janela de transferências dos clubes europeus se fechou na segunda-feira - para todos os países, menos Inglaterra, que só encerrou as negociações às 13h desta terça-feira - e muitas especulações que agitaram os noticiários no Velho Mundo acabaram não se confirmando. Veja abaixo alguns desses rumores que não foram concretizados, mas que podem ser retomados em janeiro, quando a janela será reaberta.


Franck Ribéry
Real Madrid (ESP)

O namoro do clube espanhol com o meia-atacante francês foi duradouro, teve seus altos e baixos, ganhou novos capítulos nos últimos dias, mas não foi para frente. Muitos imaginavam que com a ida do holandês Arjen Robben para o Bayern de Munique na última semana, os bávaros cederiam para que o Real pudesse contratar Franck Ribéry, mas o atleta permaneceu mesmo na Alemanha.


Miranda
Fiorentina (ITA), Lazio (ITA) ou Wolfsburg (ALE)

O zagueiro são-paulino era objeto de desejo de vários europeus, mas fica no clube brasileiro até, pelo menos, o final do Brasileirão. Os rumores da sua transferência para o exterior aumentaram quando a Fiorentina conquistou sua vaga na fase de grupos da Liga dos Campeões, já que usaria o dinheiro da classificação para contratar o jogador. Ele até falou em tom de despedida depois do clássico contra o Palmeiras.


Sergio Agüero
Chelsea (ING)

Os ingleses chegaram a oferecer 48,9 milhões de euros (cerca de 131 milhões de reais) para contar com o futebol do argentino, mas o Atlético de Madri avisou que não liberaria o atacante por menos de 58 milhões de euros - algo em torno de 158 milhões de reais. A expectativa era de que o Chelsea chegasse ao valor desejado pelo clube espanhol, o que não aconteceu.


Luís Fabiano
Milan (ITA)
Com a saída de Kaká para o Real Madrid, o Milan se viu na obrigação de contratar um jogador de peso para o ataque. Eles tentaram Dzeko, do Wolfsburg, mas os alemães não liberaram. Luís Fabiano surgiu como "plano B", mas os 14 milhões de euros oferecidos foram insuficientes para que o Sevilla negociasse o brasileiro. Os italianos ainda tentaram conversar, insistiram, mas o negócio não foi feito. Restou ao clube contratar Huntelaar, que estava encostado no Real Madrid. O valor pago aos merengues foi praticamente o mesmo oferecido ao Sevilla por Luís Fabiano.


Rafinha
Juventus (ITA), Barcelona (ESP) ou Bayern de Munique (ALE)

Todos desejavam o brasileiro do Schalke 04, mas ninguém ficou com ele. O técnico do clube alemão, Felix Magath, conseguiu convencer a diretoria de que o lateral-direito era importante para o time na temporada. Primeiro foi o Barça, que apareceu com uma proposta de 4 milhões de euros; a Juve veio em sequida, com 8 milhões no bolso; por último, o Bayern, sem valor divulgado. Mas pelo jeito, não chegou aos 10 milhões que o Schalke queria.


David Villa
Chelsea (ING), Real Madrid (ESP) ou Barcelona (ESP)

Antes mesmo de contratar Kaká, Cristiano Ronaldo e Benzema, Villa era o nome mais forte nos corredores do Santiago Bernabéu. Entretanto, as negociações esfriaram com as contratações galácticas de Florentino Perez. O Barcelona chegou a oferecer 42 milhões de euros pelo atacante da seleção espanhola, mas o Valencia disse que por menos de 55 milhões nem iniciava a conversa. O Chelsea também entrou na briga para ter o jogador, ofereceu um valor parecido com o do Barça, e Villa ficou no Valencia.


Pirlo e Alexandre Pato
Chelsea (ING)

Carlo Ancelotti deixou o comando do Milan e foi se aventurar no milionário clube inglês. E assim que chegou lá, já pediu as contratações de Pirlo e Alexandre Pato, com quem trabalhou no time rossonero. O mais cobiçado pelo Chelsea na verdade era o meia italiano. O brasileiro foi especulado principalmente com a incerteza de Drogba, se permaneceria ou não na equipe inglesa. E ele ficou. Já Pirlo chegou a um acordo para continuar na Itália e, inclusive, para encerrar sua carreira no Milan.


John Terry
Manchester City (ING)

O time de Robinho resolveu abrir os cofres, contratou Tevez, Santa Cruz, Lescott, Sylvinho, Adebayor, Touré... enfim, o City estava disposto a armar um esquadrão para brigar pelo título inglês. E o "general" dessa tropa seria Terry, zagueiro da seleção inglesa. Mesmo com os ataques intensos, o Chelsea conseguiu segurar o defensor e anunciou no último dia da janela de transferências a renovação de seu contrato por mais cinco anos, sem divulgar valores.


Leia mais sobre: Mercado da bola Franck Ribéry Sergio Aguero

> Você tem mais informações? Envie para Minha Notícia, o site de jornalismo colaborativo do iG


AFP

AFP

Franck Ribéry
Francês do Bayern namorou com o Real Madrid, mas acabou ficando no futebol da Alemanha

Topo
Contador de notícias