iG - Internet Group

iBest

brTurbo

 

Futebol

30/03 - 22:21

Ronaldo admite que não conhece zagueiros adversários

"Nome eu não sei mesmo. O Mano passa antes de cada jogo um VT com algumas partidas do adversário e fala da numeração deles"

Agência Estado

SÃO PAULO - Na sua volta ao Brasil depois de quase 15 anos jogando na Europa, Ronaldo tem encontrado dificuldade para lidar com a marcação dos zagueiros brasileiros, que utilizam mais o contato para tentar evitar os gols do Fenômeno. Além disso, o centroavante do Corinthians admite que não conhece os adversários, fator que o técnico Mano Menezes tem procurado amenizar nas últimas partidas.

"Nome eu não sei mesmo. O Mano passa antes de cada jogo um VT com algumas partidas do adversário e fala da numeração deles. Dessa maneira, eu tento me identificar dentro de campo", explicou Ronaldo. Nesta terça-feira, contra o Ituano, no Pacaembu, Tiago Bernardi e Anderson terão a missão de parar o Fenômeno.

Tiago Bernardi tem 29 anos e um vasto currículo. Já jogou em times grandes, como o Santos, e no segundo escalão do futebol europeu. Segundo Mano Menezes, é um jogador que precisa de cuidado. "Aqueles que já jogaram em times grandes sempre querem jogar mais quando enfrentam novamente uma grande equipe", alertou o treinador.

Bernardi não acha que marcar Ronaldo será algo diferente em sua carreira. "É mais um grande jogador. Lógico que ele é diferenciado, mas não pretendemos mudar a postura", afirmou Bernardi nesta segunda-feira, do hotel onde o Ituano está concentrado em São Paulo.

O companheiro de Tiago é Anderson. Aos 22 anos, o jogador revelado pelo Fluminense pode assustar pelo porte atlético. Mas é em cima dele que Ronaldo deve atuar, já que é mais lento que o companheiro. O problema é que tanto Anderson quanto Bernardi têm contratos curtos, até o início de maio. E precisam mostrar serviço para ter emprego no Campeonato Brasileiro, nem que seja por outro clube.

"O pessoal está marcando em cima mesmo. Contra a Ponte Preta o jogador não largava a minha camisa, mesmo com a bola no ataque deles. Contra o Guarani, levei uma entrada forte no final que até assustou, por causa do joelho. Mas mostrei que estou inteiro", brincou Ronaldo.

Ele só não titubeia em apontar o melhor zagueiro que o marcou até hoje: Paolo Maldini, italiano que defende o Milan e se aposenta no meio do ano. "Ele não fazia falta, não ficava perto. Mas na hora certa dava o bote e te roubava a bola. Você nem percebia o que aconteceu."


Leia mais sobre: Corinthians Ronaldo

> Você tem mais informações? Envie para Minha Notícia, o site de jornalismo colaborativo do iG


Gazeta Press

Ronaldo, do Corinthians

Ronaldo
Embora não conheça bem os seus adversários, Fenômeno não faz cerimônia com a bola nos pés

Topo
Contador de notícias