iG - Internet Group

iBest

brTurbo

 

Futebol

16/02 - 16:54, atualizada às 18:16 16/02

Ministério Público aguarda imagens para concluir inquérito do tumulto
Promotor de Justiça Paulo de Castilho elogia ação da polícia e classifica incidente no Morumbi como uma "fatalidade"

Marina Morena Costa, do iG Esporte

SÃO PAULO - Em entrevista realizada na sede do Ministério Público do Estado, localizado no centro de São Paulo, o promotor de Justiça Paulo Sérgio de Castilho disse que vai esperar as imagens do circuito de segurança do estádio do Morumbi para concluir o inquérito sobre a briga entre policiais e torcedores do Corinthians, após o clássico com o São Paulo, realizado neste domingo.

Castilho definiu o episódio como uma "fatalidade". De acordo com o promotor, "o que aconteceu no Morumbi poderia ter acontecido num show. Não houve agressão, e sim pisoteamento". Ele também afirmou que, de acordo com policiais militares, a torcida corintiana pressionou a saída do estádio assim que a chuva começou a cair no local, antes do horário estipulado para a evacuação.

Segundo a versão da polícia, os torcedores do Corinthians se dirigiam ao portão que dá acesso à Avenida Giovanni Gronchi, na saída do estádio, quando houve a explosão de uma bomba. Esse fato teria provocado o tumulto. O promotor disse que só as imagens de segurança vão poder esclarecer a origem da bomba.

O promotor afirmou também que, quando o tumulto começou, não havia mais torcedores do São Paulo dentro do estádio, apenas sócios do clube manobrando carros no estacionamento. Policiais Militares disseram ter encontrado dois explosivos - entre eles, um morteiro - no local onde estavam os corintianos. Castilho diz ser cedo para definir eventuais culpados, mas que "o incidente pode ter sido orquestrado por algumas pessoas que queriam medir força com a polícia".

Questionado se o muro construído para separar a torcida visitante do Setor Visa, a área VIP do Morumbi, teria provocado um afunilamento dos torcedores, o promotor afirmou que a fiscalização é de responsabilidade do Contru, do Corpo de Bombeiros e da Polícia Militar, que vistoriaram e liberaram o estádio para o clássico.

Em defesa do trabalho da polícia e do número reduzido de torcedores visitantes, Castilho afirmou, várias vezes, que não houve confronto entre torcedores de São Paulo e Corinthians.

O promotor ainda fez uma recomendação expressa aos presidentes de São Paulo, Palmeiras, Corinthians e à Federação Paulista de Futebol, para que sejam destinados apenas 5% da carga de ingressos à torcida adversária nos clássicos realizados na capital paulista. "Trata-se de uma questão de segurança pública. Com 30 mil torcedores de cada lado é impossivel controlar o entorno do jogo", disse Castilho.

Sobre o clássico Palmeiras x Corinthians, que será realizado em Presidente Prudente, a carga de ingressos será dividida entre os torcedores. A regra de 5% valerá somente para jogos na capital.


Leia mais sobre: São Paulo Corinthians Ministério Público

> Você tem mais informações? Envie para Minha Notícia, o site de jornalismo colaborativo do iG


Divulgação

Cadeira do Morumbi no gramado

Morumbi depredado
Uma cadeira das arquibancadas foi parar no gramado do estádio com a confusão

Topo
Contador de notícias