iG - Internet Group

iBest

brTurbo

 

Futebol

09/12 - 11:33

Corinthians abre os cofres para montar o time de 2009

Contratos dos principais jogadores deve ser reformulado com acesso; receita com patrocínios pode cair

Agência Estado

SÃO PAULO - A crise econômica mundial, que dificulta o acerto com um patrocinador que pague o que o clube quer pelo espaço nobre da camisa, e a dívida de mais de R$ 90 milhões não devem impedir os planos do Corinthians de montar um time competitivo para 2009. O objetivo é conquistar a vaga na Libertadores de 2010, a obsessão corintiana atualmente, e por isso a diretoria deu um bico no teto salarial que tanto alardeou em 2008 como prova de projeto com responsabilidade.

Neste ano apenas um jogador, o atacante Acosta, ganhava acima dos R$ 80 mil mensais colocados como teto (recebe R$ 150 mil, por ter chegado com status de vice-artilheiro da Série A). Na próxima temporada as cifras vão aumentar e, conseqüentemente, as despesas do departamento também.

É o caso de Túlio, o primeiro reforço anunciado. Com 32 anos, ele vai receber R$ 100 mil mensais no Parque São Jorge. Não é à toa que ameaçou até entrar na Justiça para se desvencilhar do Botafogo.

Mas não pára por aí. Martinez é outro com proposta na casa dos R$ 100 mil. Por isso que não quis nem ouvir uma oferta de renovação no Palmeiras. Ele só não foi anunciado ainda porque de última hora surgiu uma sondagem do Siena, da Itália.

Os R$ 130 mil oferecidos a Tcheco agradaram ao atleta. O acerto não ocorreu apenas por discordâncias sobre o tempo de contrato. O Corinthians queria dois anos, mas o meia apenas um pois pretende encerrar a carreira já em 2009.

O aumento de gastos com salários (Mano Menezes já teve um reajuste de 40%) , aliado à provável diminuição da receita com patrocínios, deve fazer com que a dívida corintiana, que caía mensalmente, tenha uma queda menos acentuada em 2009.


Leia mais sobre: Corinthians



Alerta de Gols Receba notícias pelo seu celular

> Você tem mais informações? Envie para Minha Notícia, o site de jornalismo colaborativo do iG


Topo